16 de março

São já 331, os casos confirmados de infeção pelo novo coronavírus, em Portugal, de acordo com o boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS). Há 4592 casos em vigilância pelas autoridades.

Nas últimas 24 horas, registaram-se mais 86 doentes, sendo que o número total de casos suspeitos subiu para 2908. O total de casos não confirmados por análise é de 2203. Pelo menos 374 pessoas aguardam resultado laboratorial para saber se estão, ou não, infetadas. Em relação ao dia anterior, recuperou mais uma pessoa, elevando o número de recuperados para três.

Quanto à localização dos casos confirmados, 138 estão no norte do país, 31 no centro, 143 na zona de Lisboa, 13 no Algarve, 5 no estrangeiro e 1 nos Açores. Madeira e Alentejo continuam sem casos. Há 18 cadeias de transmissão ativas em Portugal, mais quatro do que no dia anterior.

Mais de 70 trabalhadores rurais são colocados em quarentena, em Faro, depois de ter sido confirmado no domingo, 15 de março, um caso de COVID-19 envolvendo um cidadão de nacionalidade nepalesa, que trabalha e reside na zona rural do concelho.

“O trabalhador encontra-se internado no Centro Hospitalar Universitário do Algarve e é o primeiro registo de infeção pelo novo coronavírus (COVID-19) no concelho de Faro, não temos registo de mais nenhum”, afirmou o presidente da Câmara Municipal de Faro, Rogério Bacalhau. Na sequência da confirmação, a autoridade de saúde “decretou a necessidade de manter em quarentena 74 cidadãos”, de várias nacionalidades estrangeiras, com quem o primeiro infetado terá tido contacto pessoal ou profissional.

A Portway também informou que foi confirmado um caso positivo de COVID-19 numa trabalhadora que operava no Aeroporto Francisco Sá Carneiro, no Porto. Em comunicado, esclarece que o plano de contingência foi imediatamente colocado em prática e que a trabalhadora em causa já estava em casa em situação de isolamento antes de ter confirmado positivo.

Segundo a Portway, antes deste caso, verificaram-se dois outros casos positivos de COVID-19, mas em candidatos em formação inicial na unidade do Porto, formação que decorria num edifício que fica separado do aeroporto Francisco Sá Carneiro.

Na conferência de imprensa conjunta da ministra das Finanças e diretora-geral da Saúde, Marta Temido confirmou o primeiro óbito em Portugal devido ao coronavírus. Trata-se de um homem de 80 anos que estava internado no Hospital de Santa Maria, em Lisboa, há vários dias.

15 de março

O número de casos confirmados em Portugal de infeção pelo novo coronavírus, que causa a doença COVID-19, continua a aumentar. A região de Lisboa é a que tem agora mais casos enquanto na região norte do país este número não é tão elevando. O Alentejo e Madeira mantêm-se sem casos de infeção. Açores tem primeira confirmação, informação que tinha sido adiantada pela Autoriadade de Saúde Regional.

Pedro Xavier Simões é um dos doentes com COVID-19: "Nunca me atenderam no SNS24". A "situação vai ficar muito mais grave nas próximas semanas"
Pedro Xavier Simões é um dos doentes com COVID-19: "Nunca me atenderam no SNS24". A "situação vai ficar muito mais grave nas próximas semanas"
Ver artigo

Segundo o boletim epidemiológico diário da Direção-Geral da Saúde (DGS), há 245 casos confirmados de COVID-19 em Portugal, mais 76 que ontem, 2271 suspeitos, desde 1 de janeiro de 2020, 281 aguardam o resultado laboratorial, 4592 em vigilância pelas autoridades de saúde e 1176 caos infirmados.

Quanto à localização dos casos confirmados, 103 estão no norte do país, 10 no centro, 116 na zona de Lisboa, 10 no Algarve, 5 no estrangeiro e 1 nos Açores. Há 14 cadeias de transmissão ativas em Portugal, mais três que no dia anterior.

Quanto aos casos confirmados, 16 são importados de Espanha, 14 de Itália, 9 de França, 5 da Suíça, 1 da Alemanha ou Áustria e 1 da Bélgica e 1 de Andorra. Dos 245 casos, 139 estão internados, há nove internados nos Cuidados Intensivos e dois já recuperaram. A DGS já informou que há infetados a recuperar em casa, que devem estar em isolamento social.

É entre a população com idades dos 30 aos 39 anos (55 casos) que há mais casos, seguindo-se a faixa etária entre os 40 e os 49 anos (53 casos). Há cinco pessoas com mais de 80 anos com o novo vírus, e mantém-se apenas uma criança com menos de nove anos, em relação ao boletim do dia anterior. De acordo com o mesmo documento 124 infetados são dos sexo masculino e 121 do sexo feminino.

Neste dia foi confirmado o primeiro caso confirmado no concelho de Viana do Castelo, um professor com cerca de 60 anos, da escola básica e secundária de Barroselas, em Viana do Castelo. A informação foi confirmada pela diretora do agrupamento escolar. "Professores e alunos" do estabelecimento de ensino que estiveram em contacto com o docente já foram contactados para tomarem as medidas preventivas.

14 de março

O número de casos confirmados em Portugal de infeção pelo novo coronavírus, que causa a doença COVID-19, volta a subir. A região norte do país mantém-se com o maior número de casos mas a região de Lisboa também aumenta. O Alentejo e as Regiões Autónomas da Madeira e dos Açores mantêm-se sem casos de infeção.

Segundo o boletim epidemiológico diári oDGS, há 169 casos confirmados de COVID-19 em Portugal, mais 57 que no dia anterior, 1 704 suspeitos, 126 aguardam o resultado laboratorial e 5 011 em vigilância pelas autoridades de saúde.

Quanto aos casos confirmados, 12 são importados de Espanha, 13 de Itália, 7 de França, 5 da Suíça, 1 da Alemanha ou Áustria e 1 da Bélgica. Dos 169 casos, 114 estão internados, há 10 internados nos Cuidados Intensivos e mantém-se um doente recuperado. A DGS já informou ontem que há infetados a recuperar em casa, que devem estar em isolamento social.

Quanto à localização dos casos confirmados, 77 estão no Porto, 8 em Coimbra, 73 em Lisboa, 7 no Algarve e 4 no estrangeiro. O Alentejo, Alores e Madeira mantém-se sem casos de infeção. Mantem-se o número de 11 cadeias de transmissão ativas em Portugal.

O Hospital Santa Maria deteta mais quatro casos positivos de COVID-19, além dos dois casos conhecidos no dia 11 de março, após um "rastreio rigoroso" aos doentes internados nas enfermarias de Medicina.

Açores e Madeira decidem colocar em regime de quarentena obrigatória, todos os passageiros que cheguem aos respetivos aeroportos. A ministra da Saúde, Marta Temido, alerta que o país vai entrar "numa fase de crescimento exponencial da epidemia", no mesmo dia em que o segundo doente tem alta hospital por já não apresentar qualquer análise positiva da doença.

13 de março

Segundo o boletim epidemiológico diário da DGS, 112 são casos confirmados de COVID-19 em Portugal, 1.308 suspeitos, 172 a aguardar o resultado laboratorial e 5.674 em vigilância pelas autoridades de saúde.

Quanto à localização dos casos confirmados, 53 estão no Porto, 6 em Coimbra, 46 em Lisboa, 6 no Algarve e 1 no estrangeiro. Há 11 cadeias de transmissão em Portugal, mas cinco do que no dia anterior (6), informa o documento.

Quanto aos casos confirmados, 9 são importados de Espanha, 5 de França, 15 de Itália, 3 da Suíça e 1 da Alemanha ou Áustria. Dos 112 casos, 107 estão internados.

É entre a população com idades entre os 40 e os 49 anos que se registam mais casos (28 casos), seguindo-se a faixa etária entre os 30 e os 39 anos (24 casos). Há duas pessoas com mais de 80 anos com o novo vírus, bem como uma criança com menos de nove anos.

Os doentes começam a ter alta hospitalar para poderem recuperar em casa, uma vez que não se encontram em estado crítico.

12 de março

Segundo o documento da DGS, há 78 casos confirmados de COVID-19 em Portugal, mais 19 que no dia anterior, 637 suspeitos, 133 a aguardar resultado laboratorial e 4923 em vigilância epidemiológica. Dos 78 casos confirmados, 69 estão internados.

Do total de 78 casos, 44 estão no Norte, cinco em Coimbra, 23 em Lisboa, cinco em Portimão e um no estrangeiro. Não há nenhuma morte confirmada, garante o documento oficial, contrariando assim informações que se tornaram virais nas redes sociais, que garantiam que uma morte tinha acontecido no Curry Cabral. Em conferência de imprensa no dia 11 de março, a ministra da Saúde, Marta Temido, apelou à comunicação social que não passasse informação com base em fontes falsas ou não oficiais.

O boletim informa que há seis cadeias de transmissão ativa em Portugal. Dos 78 casos, cinco são importados de Espanha, 10 de Itália, três da Suíça e um da Áustria ou Alemanha.

É entre a população com idades entre os 40 e os 49 anos que se registam mais casos (21 casos), seguindo-se a faixa etária entre os 30 e os 39 anos (14 casos). Há duas pessoas com mais de 80 anos com o novo vírus, bem como uma criança com menos de nove anos.

O primeiro doente curado teve alta hospitalar no mesmo dia em que o Governo ordena o encerramento de todas as escolas a partir de dia 16 de março, bem como outras medidas.

11 de março

O número de casos confirmados de infeção pelo novo coronavírus que causa a doença COVID-19 sobe para 59 de acorso com o boletim epidemiológico.

São mais 18 casos em relação aos 41 que tinham sido confirmados até ao dia anterior. É o maior aumento diário de pessoas infetadas desde o início da epidemia.

Segundo o boletim epidemiológico da DGS, os casos confirmados de coronavírus (COVID-19) em Portugal 36 estão no Norte, três em Coimbra, 17 em Lisboa e três no Sul do país.

Há 471 casos suspeitos e 83 esperam resultados laboratoriais. A região do Alentejo e as ilhas não têm casos confirmados de COVID-19.

De acordo com a DGS, há ainda 3.066 contactos em vigilância pelas autoridades de saúde, um aumento face aos 667 divulgados na terça-feira.

Segundo o documento divulgado pela DGS, existem pelo menos seis cadeias de transmissão ativas em Portugal. Pelo menos 12 casos foram importados: dois de Espanha, nove de Itália e um da Áustria ou Alemanha. Esta última informação ainda está a ser investigada pelas autoridades de saúde. O documento refere que das 59 pessoas com a infeção, 57 estão internadas.

Há um caso confirmado de um menino com menos de dez anos internado e 11 casos de jovens entre os dez e os 19 anos. Existem também sete doentes acima dos 70 anos, dois dos quais relativos a homens com mais de 80 anos.

É entre a população com idades entre os 40 e os 49 anos que se registam mais casos (16 casos), seguindo-se a faixa etária entre os 60 e os 69 anos (seis casos). Há ainda quatro jovens entre os 20 e os 29 anos, adianta o boletim da DGS, que aponta ainda nove doentes com idades entre os 30 e os 39 anos.

O jornal Expresso avança que equipas do Hospital de Santa Maria, em Lisboa, descobriram entretanto mais dois casos de COVID-19 entre doentes internados há vários dias naquela unidade. A informação foi confirmada por circular interna daquela unidade de saúde.

Os dois homens, com mais de 60 anos, estavam hospitalizados com um diagnóstico de pneumonia, mas só agora foi apurada a origem da infeção: o vírus que surgiu em Wuhan, na China, em dezembro de 2019. Os responsáveis hospitalares começaram a avaliar quais os contactos dos dois doentes. Na lista estarão familiares, doentes, médicos, enfermeiros e outros profissionais de saúde.

Neste dia, o diretor-geral da Organização Mundial de Saúde (OMS), Tedros Adhanom, declarou o novo coronavírus uma pandemia, ou seja, a doença tomou proporções à escala mundial, com diferentes focos em vários países do mundo.

10 de março

No boletim epidemológico enviado no final da manhã deste dia, a DGS confirma a existência de 41 casos em Portugal. No entanto, apenas 40 estão em regime de internamento o que significa que um doente pode estar sob vigilância em meio não hospitalar.

Do total de casos identificados, dois foram importados de Espanha, cinco de Itália e outro da Áustria ou Alemanha. Esta última informação ainda está a ser investigada pelas autoridades de saúde. Os restantes casos dizem respeito a contágios em território português.

Pelo menos 83 pessoas aguardam resultado laboratorial, existindo 667 pessoas sob vigilância epidemiológica.

O grupo etário com mais doentes infetados com o COVID-19 é o 40-49 anos, com 14 doentes (sete de cada sexo.) Os três grupos etários seguintes com mais casos - 10-19 anos, 30-39 anos e 60-69 anos - contam com seis casos cada um. Existem agora 4 casos de doença nos grupo etário 50-59 anos, 3 no grupo etário 70-79 anos e 2 no grupo 20-29 anos.

De acordo com a RTP, dois destes novos casos são em Lisboa e correspondem a uma mãe e uma filha, aluna do primeiro ano do Liceu Francês que estavam de quarentena desde 29 de fevereiro. A aluna não regressou às aulas depois da interrupção letiva da Páscoa.

Na sequência desta situação, o Liceu Francês decidiu suspender as aulas até 24 de março, anunciou a diretora do estabelecimento.

Sabe-se também, através de um vídeo que foi colocado na sua conta pessoal de Instagram, que um DJ da Figueira da Foz é outro dos casos confirmados e que se encontra internado no Hospital Pedro Hispano. O DJ contactou com centenas de pessoas uma vez que pôs música no Hard Club, no Porto, e esteve num batizado. Só depois foi internado.

Consequentemente, Maria Neto, delegada regional de Saúde do Norte apelou a todos os que estiveram no evento que aconteceu no Hard Club, no dia 6 de março, que fiquem em isolamento social e contactem as autoridades.

9 de março

DGS confirmou em conferência de imprensa a existência de 39 casos positivos em Portugal.

Das 39 pessoas infetadas, "a maioria está clinicamente estável". Uma mulher "inspira algum cuidado", frisou António Lacerda Sales, Secretário de Estado da Saúde, o que obriga a uma "vigilância clínica mais apertada".

Dos nove novos casos confirmados, sete estão na região norte e dois na região de Lisboa e Vale do Tejo, adiantou a diretor-geral da Saúde Graça Freitas.

Sabe-se que um dos casos trata-se de uma mulher que é professora na Escola Básica 2,3 Professor José Buísel, em Portimão. A informação é avançada pela TVI que cita a presidente da Câmara Municipal de Portimão, Isilda Gomes. O estabelecimento de ensino onde leciona foi encerrado por tempo indeterminado, confirmou fonte da escola ao SAPO Lifestyle.

8 de março

Sobre os nove casos confirmados oficialmente na noite de domingo, o relatório da DGS refere que existem 30 infeções confirmadas em Portugal. Existem 281 suspeições que ainda estão por confirmar, sendo que 56 estão a aguardar resultado laboratorial.

Recomendações da Direção-Geral da Saúde (DGS)

  • Caso apresente sintomas de doença respiratória, as autoridades aconselham a que contacte a Saúde 24 (808 24 24 24). Caso se dirija a uma unidade de saúde deve informar de imediato o segurança ou o administrativo.
  • Evitar o contacto próximo com pessoas que sofram de infeções respiratórias agudas; evitar o contacto próximo com quem tem febre ou tosse;
  • Lavar frequentemente as mãos, especialmente após contacto direto com pessoas doentes, com detergente, sabão ou soluções à base de álcool;
  • Lavar as mãos sempre que se assoar, espirrar ou tossir;
  • Evitar o contacto direito com animais vivos em mercados de áreas afetadas por surtos;
  • Adotar medidas de etiqueta respiratória: tapar o nariz e boca quando espirrar ou tossir (com lenço de papel ou com o braço, nunca com as mãos; deitar o lenço de papel no lixo);
  • Seguir as recomendações das autoridades de saúde do país onde se encontra.

Na Grande Lisboa existem seis casos e os restantes 23 estão na região Norte e Centro - 18 internados no São João e seis no Santo António. Foi detetado COVID-19 pela primeira vez no Sul do país, um caso. Trata-se de uma menor de 16 anos, oriunda de Portimão, que foi internada no Hospital Pediátrico Dona Estefânia, em Lisboa, e que viajou para Itália com a família durante o Carnaval, refere o jornal Sul Informação. O estabelecimento onde estuda - Escola Secundária Manuel Teixeira Gomes - foi encerrado para limpeza.

A distribuição das infeções confirmadas em termos de idades vai dos 10 aos 79 anos. Do total de casos, 12 são do sexo feminino e 15 do sexo masculino. Resumindo, este domingo verificaram-se os seguintes aumentos de casos por faixas etárias: dos 10 aos 19 (mais dois novos casos do sexo feminino), dos 20 aos 29 (mais um caso do sexo feminino), dos 30 aos 39 (mais um do sexo masculino), dos 40 aos 49 (mais duas mulheres), dos 50 aos 59 (um homem), dos 60 a0s 69 (mais um homem) e dos 70 aos 79 anos (mais uma mulher).

Dos 30, apenas seis casos são importados de outros países, nomeadamente um de Espanha e cinco de Itália, verificando-se mais um caso importado entre sábado e domingo. Os restantes são o resultado de contágio direto com outro infetado, existindo neste dia quatro cadeias de transmissão ativas.

Pelas 22h deste dia, o jornal Expresso divulgou a existência de um novo caso de COVID-19 em Lisboa que ainda não foi confirmado pela DGS. É uma jovem que foi diagnosticada no Hospital de Dona Estefânia e que, alegadamente,  tem ligação à professora que dá aulas na Amadora. Recorde-se que este foi o sexto caso e a primeira mulher infetada em Portugal. É professora na Amadora, na escola básica Roque Gameiro, e leciona a disciplina de Físico-Química aos alunos do 7.º ano. A professora esteve em Itália durante as férias do Carnaval. Os alunos do 7º ano desta escola foram colocados em isolamento profilático.

7 de março

Do 14º ao 21º caso confirmados pela DGS na noite de sábado sabe-se que três infetados se situam na faixa etária entre os 10 e os 19, dois do sexo masculino e um do sexo feminino. Há também um novo caso masculino na faixa etária entre os 20 e os 29. Destes casos, sobretudo em relação aos mais jovens, Graça Freitas explicou, em conferência de imprensa no sábado, que não iriam ser revelados detalhes de modo a proteger a identidade destas pessoas.

6 de março

Os 10º, 11º, 12º e 13º casos anunciados pela ministra da Saúde Marta Temido, em Bruxelas, referem-se a três doentes internados no Porto e um em Lisboa. "Destes quatro novos casos, três são no Norte e têm ligação epidemiológica a casos anteriores" e a Itália, disse Marta Temido aos jornalistas após uma reunião dos ministros da Saúde. Relativamente ao caso de Lisboa, Marta Temido admite não saber ainda como foi infetado. O paciente mais velho é uma mulher, com idade entre 70 e 79 anos, lê-se no boletim da DGS.

5 de março

sétimo casoconfirmado, é de um homem de 50 anos que veio de Itália e que foi intrnado no Centro Hospitalar Universitário de São João.

Cães e gatos transmitem o novo coronavírus? 15 mitos desfeitos pela OMS
Cães e gatos transmitem o novo coronavírus? 15 mitos desfeitos pela OMS
Ver artigo

No mesmo hospital estava também o oitavo caso: um homem de 49 anos que foi infetado pelo COVID-19, em Portugal.

Quanto ao nono caso, trata-se de um homem internado em Lisboa, no Hospital Curry Cabral, de 42 anos. Trata-se de um contacto com um caso confirmado em Portugal, de acordo com um comunicado da DGS.

4 de março

Na quarta-feira, mais dois casos: o quinto caso refere-se a um homem de 44 anos, também regressado do norte de Itália onde esteve a frequentar uma masterclass em Bérgamo. Trata-se de um professor da Escola Superior de Música e Artes do Espetáculo do Porto (ESMAE). A instituição de ensino decidiu suspender as aulas. Dezenas de alunos ficam em isolamento social.

sexto caso é o da primeira mulher infetada em Portugal. Internada no Curry Cabral, em Lisboa, tem entre 40 e 49 anos e foi contagiada em Itália. Esta mulher é professora numa escola da Amadora, na escola básica Roque Gameiro, e leciona a disciplina de Físico-Química aos alunos do 7.º ano. Esta professora esteve em Itália durante as férias do Carnaval. Os alunos do 7º ano desta escola foram colocados em isolamento profilático.

3 de março

Na terça-feira, surgiram mais dois casos, e novamente dois homens, de 49 e 37 anos, ambos contagiados em Portugal, por um dos dois primeiros infetados.

terceiro caso foi internado no Hospital Curry Cabral. De acordo com o jornal O Mirante este homem reside em Alverca e é funcionário da fábrica Dacsa Atlantic, em Coruche. Este caso terá mantido contacto com o segundo infetado a ser confirmado com o vírus em Portugal, e que esteve na unidade de Coruche a efectuar operações numa máquina industrial, depois de ter vindo de Valência, avança o mesmo jornal.

O quarto caso corresponde a um homem de Coimbra, mais precisamente de Lousada, que foi encaminhado para o Hospital de São João, no Porto, depois de ter contraído o vírus após uma viagem ao norte de Itália, para participar na Feira do Calçado, em Milão. Esta situação levou ao encerramento da fábrica de calçado onde o doente trabalha e à imposição de quarentena a 64 trabalhadores.

2 de março

primeiro caso diagnosticado em Portugal corresponde a um médico do Centro Hospitalar do Tâmega e Sousa, em Penafiel, que tinha estado no norte de Itália de férias e que ficou internado no Hospital de Santo António, no Porto.

segundo paciente, de 33 anos, foi contagiado em Valência. Foi internado no Hospital de São João, no Porto, e, de acordo com o Jornal de Notícias, trabalha no ramo da construção civil.

Veja em baixo o mapa interativo com os casos de coronavírus confirmados até agora

Se não conseguir ver o mapa desenvolvido pela Universidade Johns Hopkins, siga para este link.

Como lavar bem as mãos?

Notícia atualizada às 17h00 com primeiro óbito em Portugal.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.