Quinze dos 20 portugueses residentes na cidade chinesa de Wuhan, o epicentro do surto de coronavírus, regressam a Portugal no segundo voo disponibilizado pelo Mecanismo Europeu de Protecção Civil, a partir de sexta-feira. A informação é avançada hoje pelo jornal Público que cita fonte do Governo.

No primeiro avião, que partiu esta manhã para a China, regressarão 250 franceses, e mantém-se o plano de, no segundo voo, marcado para sexta-feira, viajarem cidadãos de outras nacionalidades.

Entretanto, na tarde desta quarta-feira, num ponto de situação feito pelo executivo comunitário em Bruxelas, seriam 17 o número de portugueses que pediram para ser repatriados.

Fotogaleria: China constrói hospital em 10 dias para tratar doentes com coronavírus
Fotogaleria: China constrói hospital em 10 dias para tratar doentes com coronavírus
Ver artigo

As autoridades de saúde da China anunciaram estar quarta-feira mais 26 mortes, o que eleva o balanço do coronavírus para 132 vítimas fatais, e 5.974 casos confirmados. O número já supera o número de infeções da epidemia de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SARS) de 2002 e 2003, outro coronavírus que contaminou 5.327 pessoas no país. A SARS provocou 774 mortos em todo o mundo, 349 deles na China continental.

Vírus continua a alastrar

As autoridades de saúde alemãs confirmaram mais três casos de contágio pelo novo coronavírus (2019-nCoV) detetado na China, aumentando para quatro o número de contagiados naquele país. A Alemanha é o segundo país na Europa afetado pelo surto, depois de França.

Os sintomas associados à infeção são mais intensos do que uma gripe e incluem febre, dor, mal-estar geral e dificuldades respiratórias, como falta de ar.

Além do território continental da China, de França e Alemanha, também foram reportados casos de infeção em Macau, Hong Kong, Taiwan, Tailândia, Japão, Coreia do Sul, Estados Unidos, Singapura, Vietname, Nepal, Malásia, Austrália e Canadá.

As autoridades chinesas admitiram que a capacidade de propagação do vírus se reforçou.

As pessoas infetadas podem transmitir a doença durante o período de incubação, que demora entre um dia e duas semanas, sem que o vírus seja detetado.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) anunciou que vai enviar peritos internacionais para a China o mais rapidamente possível para trabalhar com especialistas chineses no estudo e contenção do vírus.

A cronologia da expansão do surto em imagens

Perguntas e respostas: O que precisa de saber sobre o novo coronavírus
Perguntas e respostas: O que precisa de saber sobre o novo coronavírus
Ver artigo

Vários países já começaram o repatriamento de cidadãos de Wuhan, cidade que foi colocada sob quarentena, na semana passada, com saídas e entradas interditadas pelas autoridades durante um período indefinido.

Um avião fretado pelo Governo japonês transportando 216 pessoas retiradas da cidade já chegou a Tóquio.

Entretanto, um avião com pessoal diplomático dos Estados Unidos e outros cidadãos norte-americanos também saiu de Wuhan, sendo esperado que chegue ao aeroporto internacional de Ontário, na Califórnia, nesta quarta-feira.

Já o Canadá está a estudar todas as opções para repatriar os 126 canadianos que vivem na região e a União Europeia vai enviar dois aviões entre quarta e sexta-feira e que deverão repatriar 250 franceses e outros 100 cidadãos europeus.

A ministra da Saúde portuguesa, Marta Temido, assegurou que os hospitais de Portugal estão preparados para lidar com uma eventual epidemia e que a situação está a ser tratada de forma “tranquila, mas rigorosa”.

Notícia atualizada às 16h07

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.