Oito cidadãos com passaporte português a bordo de um cruzeiro em quarentena no Japão estão sem sintomas de infeção pelo novo coronavírus (2019-nCov), indicou hoje a diretora-geral da Saúde, Graças Freitas.

Trata-se de cinco tripulantes e três passageiros, cujas análises para a presença do 2019-nCov deram resultado negativo, adiantou Graça Freitas, numa conferência de imprensa, em Lisboa, onde foi feito novo balanço sobre o surto da doença respiratória aguda provocada pelo novo coronavírus.

Miguel Matos: "Tive receio. Aconteceu-me aquilo que só acontece nos filmes. Uma cidade deserta por causa de um vírus"
Miguel Matos: "Tive receio. Aconteceu-me aquilo que só acontece nos filmes. Uma cidade deserta por causa de um vírus"
Ver artigo

No navio Diamond Princess, sob quarentena no porto de Yokohoma, a sul de Tóquio, foram confirmados até à data 61 casos de infeção pelo 2019-nCov, que foi detetado pela primeira vez em dezembro na China. O número de pessoas contaminadas no cruzeiro não inclui um residente de Hong Kong que saiu do navio na região administrativa especial chinesa.

As pessoas infetadas já foram levadas para centros médicos de Tóquio e de outras localidades próximas, onde estão a receber tratamento. As autoridades sanitárias continuam a realizar exames médicos aos passageiros e tripulantes do "Diamond Princess", que transportava 3.700 pessoas. O navio está sob quarentena desde segunda-feira e por um período de duas semanas.

Outro navio em quarentena com 7 passageiros com passaporte português

Graça Freitas clarificou hoje que não dispõe de informação das autoridades de saúde locais sobre as sete pessoas com passaporte português que estão a bordo de um cruzeiro em quarentena em Hong Kong. Na quinta-feira, a diretora-geral da Saúde disse, respondendo a uma questão dos jornalistas sobre estes cidadãos, que os mesmos não estavam "em risco especial" e não tinham sintomas.

À Lusa, o cônsul-geral de Portugal em Macau e Hong Kong, Paulo Cunha-Alves, referiu hoje que se trata de tripulantes do navio World Dream e que não têm problemas de saúde.

As autoridades de Macau (região administrativa especial chinesa) e de Portugal continuam, no entanto, sem saber a identidade dos sete cidadãos, desconhecendo se são residentes em Macau ou em Portugal.

6.000 casais dão o nó em cerimónia coletiva. Apesar do coronavírus, há que prosseguir com o casório
6.000 casais dão o nó em cerimónia coletiva. Apesar do coronavírus, há que prosseguir com o casório
Ver artigo

O "World Dream", mantido em quarentena desde quarta-feira no porto de Hong Kong, transportava 3.600 pessoas, entre tripulantes e passageiros, que foram sujeitos a exames médicos após a confirmação de que três passageiros chineses, que haviam viajado anteriormente na embarcação, estavam infetados com o novo coronavírus.

Portugueses em quarentena em Lisboa estão bem

Na conferência de imprensa, Graça Freitas frisou que não há, neste momento, nenhum português em risco especial, referindo-se também aos 20 cidadãos repatriados que estão em Lisboa no Hospital Pulido Valente e no Parque Saúde. Permanecem em isolamento profilático, sem sintomas de coronavírus e em "situação completamente estável". "Cada dia que passa dá-nos mais tranquilidade", disse a diretora-geral de Saúde, Graça Freitas.

Em relação a esses cidadãos que ficam em quarentena (14 dias), não há uma data definida publicamente para o fim desse período, embora em entrevista ao SAPO Lifestyle um dos cidadãos repatriados tenha apontado 15 de fevereiro como data-limite.

World Dream
Cruzeiro "World Dream" retido para quarentena em Hong Kong créditos: AFP

A China elevou hoje para 636 mortos o balanço do surto de pneumonia provocado por um novo coronavírus (2019-nCoV) detetado em dezembro passado, em Wuhan, capital da província de Hubei (centro), colocada sob quarentena.

O novo vírus (2019-nCoV) pertence à mesma família do vírus da síndroma respiratória aguda (SARS, na sigla em inglês), que atingiu 5.327 pessoas entre novembro de 2002 e agosto de 2003 e foi responsável por 800 mortes, a grande maioria na China.

Atualmente, e segundo os dados oficiais mais recentes, mais de 31 mil pessoas estão infetadas com o novo coronavírus na China, onde várias cidades têm imposto medidas drásticas de confinamento a dezenas de milhões de pessoas.

Coronavírus: Peritos alertam que Portugal pode não estar preparado
Passageiros em quarentena no navio "World Dream" créditos: AFP

Uma dessas cidades é Wuhan, na província de Hubei (centro da China), onde o novo vírus foi identificado pela primeira vez e onde está identificado o epicentro do surto.

Além do território continental da China e das regiões chinesas de Macau e Hong Kong, há outros casos de infeção do novo coronavírus confirmados em mais de 20 países.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) declarou em 30 de janeiro uma situação de emergência de saúde pública de âmbito internacional, o que pressupõe a adoção de medidas de prevenção e coordenação à escala mundial.

Veja o vídeo explicativo sobre a transmissão do vírus entre animais e humanos

Veja em baixo o mapa interativo com todos os casos de coronavírus confirmados

Se não conseguir ver o mapa desenvolvido pela Universidade Johns Hopkins, siga para este link.

Veja a expansão do coronavírus em imagens

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.