Esta constatação é óbvia pois a marcha é o modo de locomoção natural do Homem e o corpo está natural e perfeitamente adaptado para este tipo de exercício. Claro está que o exercício não é, de forma alguma, a solução para todos os males, mas a prática regular de uma atividade de intensidade baixa e moderada proporciona, sem sombra para dúvidas, uma melhoria na qualidade de vida.

Na verdade, a prática de um exercício suave, sem movimentos violentos mas de uma forma prolongada e regular traz muitos benefícios. Basta andar a pé durante cerca de trinta minutos todos os dias para que, ao fim de algum tempo, possa notar as diferenças. Na prática, este tipo de exercício aeróbico aumenta a capacidade de transporte de oxigénio pelo sangue, melhorando a circulação.

Aconselha-se especialmente a pessoas que estão sentadas ou em pé durante longos períodos de tempo e que por isso, sofrem de problemas como varizes, por exemplo. Melhora o funcionamento e a eficiência dos aparelhos circulatório e respiratório e ajuda na prevenção de doenças cardiovasculares, como a aterosclerose. Os níveis de colesterol também podem ser reduzidos através da prática regular de exercício.

Prevenção da osteoporose

O simples facto de caminhar ajuda a fortalecer os músculos, a manter a flexibilidade das articulações e a aumentar a resistência dos ossos, ajudando assim a prevenir doenças como a osteoporose. No caso especial dos idosos, os passeios a pé são muito aconselhados pois, ao contrário do que possa parecer, ficar em casa sem se mexer pode aumentar os riscos de uma fratura mais do que andar a pé diariamente.

Quando se pretende emagrecer, o ideal é conciliar o exercício físico com um regime alimentar para que a diminuição de peso seja mais efetiva. Por exemplo, se caminhar durante 30 minutos pode queimar cerca de 200 calorias. Há estudos que relacionam a prática de exercício regular com a prevenção de alguns tipos de cancro como o da mama ou do cólon, embora ainda permaneça por descobrir como se processa essa prevenção.

Recomenda-se que, no dia-a-dia, se adquiram alguns hábitos como o de usar as escadas em vez do elevador, por exemplo. Mas quando se refere que o andar a pé é benéfico, normalmente não bastam as tarefas domésticas ou as idas aos centros comerciais… Deve caminhar de uma forma ritmada e continuada durante o período de tempo que tiver estabelecido. Com o decorrer do tempo, pode acelerar o ritmo, sem correr, e desde que não fique cansado.

Não se agarre mais a desculpas do tipo de não ter tempo para frequentar o ginásio ou outra instalação desportiva. Andar a pé é a forma mais simples, mais prática e acessível de se manter saudável. Não necessita de um equipamento especial, recomenda-se apenas que utilize um calçado confortável e adequado.

Tenha ainda atenção à postura enquanto anda e não se esqueça de beber água com frequência. Atualmente, as grandes cidades possuem parques, zonas à beira-rio e outros circuitos pedonais que poderá seguir. Fora das áreas urbanas poderá aproveitar também para apreciar o contacto com a Natureza. Ao mesmo tempo que anda, aproveite para movimentar os braços, levantar os ombros e fazer a extensão da coluna, ajudando assim a fortalecer outros músculos.

Para além dos benefícios físicos deste tipo de exercício físico, a caminhada é também um meio excelente de promover o bem-estar psicológico, reduzir o stress, a ansiedade, sentimentos de depressão e de solidão. Se dispõe de pouco tempo disponível, convide os amigos e assim, aproveite para pôr a conversa em dia.

Por Pedro Lôbo do Vale, Médico Especialista em Medicina Geral e Familiar e Consultor da Associação Portuguesa de Alimentação Racional e Suplementos Alimentares e do Celeiro