Está mais do que provado cientificamente que o exercício físico contribui (e muito) para a nossa saúde mas esta informação não será propriamente algo que desconhecia até agora. Por isso, acabaram-se, de uma vez por todas, as desculpas para adiar a sua prática. Sim, estamos a falar consigo, que nunca fez qualquer tipo de atividade física ou que há muito tempo deixou de o fazer. Independentemente de o ter feito por preguiça, por doença ou por lesão, está na altura de calçar as sapatilhas e mexer-se.

O objetivo é que deixe de integrar o grupo de pessoas inativas que no nosso país, segundo os dados do Eurobarómetro de 2019, ronda os 74% e se torne mais saudável. As vantagens que vai encontrar são muitas pois, de acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), a prática regular de atividade física contribui para a prevenção e para o tratamento de patologias crónicas não transmissíveis como a doença cardíaca, o acidente vascular cerebral (AVC), a diabetes, o cancro da mama e o cancro do cólon.

Movimentos que queimam calorias. Um plano de exercícios exclusivo com resultados garantidos
Movimentos que queimam calorias. Um plano de exercícios exclusivo com resultados garantidos
Ver artigo

Ajuda também a prevenir a hipertensão, a combater o excesso de peso e a obesidade e contribui, ainda, para uma melhoria da saúde mental, da qualidade de vida e do bem-estar. Começar não vai ser fácil, pois o corpo tem se adaptar a rotinas novas ou já esquecidas e a mente tem de combater a preguiça, mas é tudo uma questão de mentalização. "Em primeiro lugar, é preciso estar ciente de que não é fácil e que há um caminho a percorrer. Depois, é pensar nas metas que quer atingir, começar e, em simultâneo, adotar uma alimentação saudável e descansar", aconselha Nilton Bala, treinador pessoal (PT) a que muitas estrelas nacionais recorrem.

"Quando os resultados começarem a aparecer, a motivação cresce", garante o autor do livro "Fique em forma em 28 dias", publicado pela editora Contraponto. "A prática de exercício físico liberta endorfinas, uma hormona que está associada ao bom humor e é um analgésico natural", garante. "Por isso, não há quem saia da minha aula triste, apesar de muitas vezes os alunos chegarem cansados", refere o personal trainer, que já treinou nomes famosos como Sara Sampaio, Maria Cerqueira Gomes e Ruben Rua.

1. Ir ao médico

É um passo essencial. Antes de começar ou recomeçar a fazer exercício físico, é fundamental ir ao médico. "É muito importante fazer um check-up antes de iniciar a prática desportiva, até porque há muitas pessoas que têm problemas e não sabem e convém saber se há restrições a nível patológico", aconselha Nilton Bala.

2. Escolher a modalidade

Esqueça as modas ou o que os seus amigos fazem. Mais importante do que tudo isso, é encontrar a sua modalidade ou as suas modalidades, a ou as atividades que lhe dão mais prazer. "Nem que seja fazer uma caminhada ou um jogging durante 30 minutos já é válido. Só o facto de as pessoas começarem a exercitar-se é importante e benéfico para a saúde, sem esta é que não fazemos nada. O exercício físico contribui ainda para termos mais energia e força", salienta o personal trainer.

3. Decidir se vai sozinho ou acompanhado

Esta é outras das opções a fazer. "Há quem precise do acompanhamento de um treinador pessoal, mas há também quem seja completamente autónomo. Há pessoas que deixam de treinar e quando regressam, começam a trabalhar sem ajuda", afirma Nilton Bala. "Além disso", acrescenta, "nem todas as pessoas têm a possibilidade de ter um PT ou de se inscreverem num ginásio e foi a pensar nelas que escrevi este livro", revela.

"Nele, mostro que é possível fazer exercício sem qualquer material e que se deve começar de forma progressiva, ou seja, as pessoas só precisam de motivação e força de vontade", refere. E caso tenha sido uma lesão a impor a paragem? "Depende da lesão", esclarece. "Nalguns casos, é mesmo melhor ter acompanhamento para não dificultar a recuperação", recomenda o treinador pessoal do reality show "Biggest deal".

4. Começar progressivamente

Não vá com demasiada sede ao pote, como se dizia antigamente. "O ideal é fazer um trabalho progressivo, do simples ao complexo, para que os objetivos sejam alcançados. Não convém começar a treinar de forma intensa quando não se está preparado, nem a nível físico nem mental. Quando isso acontece, é mais fácil desistir", avisa Nilton Bala.

O personal trainer aconselha a fazer exercício físico com alguma regularidade. "No mínimo, três vezes por semana, com um dia de descanso pelo meio, para que possa ter uma rotina de atividade física e sentir as mudanças esperadas", aconselha o PT. A constância é a melhor ajuda para alcançar resultados positivos e não é só ele que o diz.

5. Controlar os progressos

Seja qual for o seu objetivo ao fazer exercício físico, ter metas ajuda à motivação e superá-las ainda mais. Perder peso, ter mais resistência, ficar mais tonificada, mais saudável e/ou conseguir fazer mais exercícios do que no início são todas boas razões para se mexer. "A motivação cresce a partir do momento em que se começa a ver algum resultado e se percebe que há uma mudança, quaisquer que sejam os objetivos definidos por cada pessoa", garante Nilton Bala.

6. Definir o melhor horário

Não seja rígido com os horários. Esse comportamento pode ser contraproducente. O melhor é escolher um horário para que o exercício faça parte da sua rotina mas, se num dia não conseguir ir no habitual, vá noutro. Como realça o personal trainer e autor do livro "Fique em forma em 28 dias", "a melhor hora para fazer exercício é aquela em que tem disponibilidade".

"Às vezes, ficamos presos a um horário e, quando temos um contratempo e não conseguimos ir àquela hora, não vamos", refere. "Temos de pensar que a nossa mente está cheia de truques que inventam razões para faltarmos ao treino e o horário pode ser uma delas", alerta o treinador pessoal. "A parte mental também precisa de ser trabalhada", avisa. Não dê ouvidos à preguiça.

7. Fazer o aquecimento

É obrigatório, ainda que muitos o esqueçam. Não vai querer começar e lesionar-se logo. "O aquecimento é importante para preparar o corpo, nomeadamente as articulações, os músculos e a temperatura, para o treino, diminuindo a probabilidade de lesão", explica Nilton Bala. No final da prática, o personal trainer, que já foi elogiado publicamente por Lourenço Ortigão, Benedita Pereira, José Fidalgo e Marisa Cruz, aconselha a fazer a libertação da tensão muscular, recorrendo a uma sessão de alongamentos.

Texto: Rita Caetano

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.