A diabetes ocorre quando o pâncreas não consegue produzir insulina em quantidade suficiente ou quando, embora produza esta hormona, o organismo não é capaz de a usar com eficácia. Será que podemos evitar esta doença que afeta mais de um milhão de portugueses? Esclareça esta e outras questões e acabe com os mitos que ainda teimam em persistir. No caso de ter outras dúvidas, pode também consultar o site de literacia sobre a doença Diabetes 365º.

1. Não é possível prevenir a diabetes

É falso! Atualmente, a diabetes tipo 1 não pode ser prevenida, mas os estudos demonstram que a diabetes tipo 2, mais associada a um estilo de vida sedentário e a uma alimentação incorreta, pode, em muitos casos, ser evitada através da manutenção de um peso equilibrado, o seguimento de uma dieta saudável e a prática de exercício físico. Só para ter uma ideia uma caminhada diária de 30 minutos permite reduzir o risco em cerca de 35% a 40%.

2. A diabetes é uma doença assintomática

Também é falso. Quando os níveis de açúcar no sangue são muito elevados, a diabetes denuncia-se através de uma série de sintomas, como urinar em grande quantidade e, mais frequentemente, sede constante e intensa, fome persistente, boca seca, fadiga e comichão no corpo, para além da visão turva, outra das manifestações comuns.

3. A ingestão de grandes quantidades de açúcar causa diabetes

Falso! Comer açúcar em demasia, por si só, não provoca diabetes. No entanto, pode contribuir para o excesso de peso, um dos fatores de risco da diabetes tipo 2.

4. Os diabéticos não podem comer doces

Também não é verdade. Os diabéticos podem ingerir doces, desde que integrados num plano de refeições saudável ou em combinação com o exercício físico. Tanto as pessoas sem a doença como os diabéticos devem ter o mesmo cuidado de ingerir doces com limites e moderação, como também alerta este artigo.

5. Os diabéticos devem comer alimentos especiais

Tal também é falso. Um plano alimentar saudável é o mesmo para indivíduos saudáveis e diabéticos. Recomenda-se a ingestão de alimentos com baixo teor de gordura, especialmente no caso da gordura saturada e da gordura trans. A alimentação diária também deve ser moderada em sal e em açúcar, com refeições à base de cereais integrais, de legumes e de frutas.

6. Os diabéticos não podem ingerir hidratos de carbono

Não é verdade. Não há alimentos proibidos para os diabéticos desde que sejam consumidas doses equilibradas e preferidas versões integrais. O diabético deve ser aconselhado sobre o planeamento diário da sua alimentação bem como sobre como equilibrar a medicação com a atividade física e o estilo de vida.

7. Os diabéticos não têm maior propensão de desenvolver doenças graves

Também é falso! A diabetes é uma doença crónica e implica uma monitorização cuidadosa. Sem os devidos cuidados, os níveis de açúcar no sangue podem prejudicar, a longo prazo, vários órgãos e tecidos. A diabetes está associada a doenças cardiovasculares, pode provocar falência renal, implicar a amputação de membros e conduzir à perda de visão.

8. A diabetes só é tratada com insulina

Outro mito que também corresponde a uma inverdade. A insulina ajuda a manter os níveis de açúcar no sangue normais mas não é a única medida eficaz para que o diabético evite complicações a longo prazo, tal como não é o passaporte para a cura da doença. Os diabéticos tipo 2 podem não necessitar de administrar insulina para o tratamento da doença.

9. Os diabéticos não podem praticar exercício físico

É falso! O exercício físico reduz a quantidade de açúcar no sangue, ajuda a evitar o excesso de peso e previne complicações da doença. Logo, é recomendável para todos os diabéticos, como também pode confirmar neste artigo.

10. A diabetes gestacional só afeta mulheres diabéticas

Outra ideia errónea. Este tipo de diabetes ocorre em mulheres que não tinham a doença antes de engravidarem. Se não forem adotadas estratégias de prevenção, quase metade das mulheres com diabetes gestacional virão a ter diabetes do tipo 2. A diabetes gestacional, caso não seja controlada, envolve risco para a mãe e bebé, estando associada à necessidade de cesariana e à possibilidade de ocorrer aborto espontâneo.

10 mentiras sobre a diabetes nas quais não pode continuar a acreditar

Os dois tipos de diabetes mais comuns

Saiba o que as distingue e o que deve ter em conta para proteger a sua saúde:

- Diabetes tipo 1

Mais frequente em crianças e em adultos jovens, é causada por uma reação autoimune do organismo que destrói as células produtoras de insulina, impedindo o organismo de produzir esta hormona. Os doentes com diabetes tipo 1 precisam de administrar injeções de insulina, para controlar os níveis de glicose no sangue. É responsável por cerca de 10% dos casos de diabetes diagnosticados.

- Diabetes tipo 2

É responsável por cerca de 90% dos casos de diabetes. Neste caso, o pâncreas é capaz de produzir insulina, mas o estilo de vida sedentário e a alimentação incorreta, associada a antecedentes familiares, fazem com que o organismo se torne resistente à ação da insulina, obrigando o pâncreas a produzir maiores quantidades desta hormona até ao ponto em que a sua produção se torna insuficiente.

Este tipo de diabetes pode ser tratada com a combinação de um estilo de vida saudável e de fármacos. Comer de três em três horas, por exemplo, mantém a glicemia mais estável, pois evita episódios de compulsão alimentar que levam a um maior consumo de alimentos açucarados e pouco saudáveis e a um consequente aumento de peso, alertam médicos e nutricionistas, como pode ler neste artigo.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.