Pessoas bem-dispostas que encaram a vida com otimismo e que dificilmente se deixam dominar pelo stresse podem viver mais anos. Esta é a conclusão de um estudo científico realizado no Instituto Karolinska, na Suécia, que mostrou que estas pessoas apresentam baixos níveis de cortisol. Esta hormona, desencadeada pelo stresse "se permanecer durante um período longo de tempo no cérebro pode ter efeitos nefastos", revela a psicóloga clínica Carina Lobato Faria.

"Nós  precisamos da ativação desta hormona no dia a dia para responder aos  problemas do quotidiano, no entanto, quando a hormona passa a estar presente permanentemente pode ser prejudicial", esclarece a psicóloga, especialista em neuropsicologia, explicando que "é quando não conseguimos gerir os estados de stresse, de nervosismo e de e ansiedade que se constata a atividade prolongada do cortisol".

Uma substância que, a longo prazo, pode causar "alterações nas capacidades cognitivas como a concentração e memorização, alterações de sono, instabilidade de humor, problemas músculo-esqueléticos e doenças psicossomáticas como o colesterol elevado e a depressão", advertem os autores do estudo. Veja também as cinco atividades que os naturopatas e os nutricionistas sugerem para revitalizar corpo e mente.

As recomendações de uma psicóloga

Existem comportamentos que podem simplificar o nosso quotidiano, fazendo-nos sentir melhor. "Os problemas fazem parte da vida, se nunca os ignorar e acreditar que tem capacidade real para os resolver, os níveis de stress e ansiedade vão estar mais controlados e sentir-se-á mais tranquila, confiante e otimista", assegura a psicóloga Carina Lobato Faria. Por isso, esta especialista deixa uma lista de conselhos:

- Encare os problemas e procure soluções

Evitar um problema ou adiar uma solução é um erro. É importante que se consciencialize de que tem um problema e que este tem de ser resolvido. Para isso, não pode deixar-se levar pelas emoções.

- Invista nas relações afetivas de qualidade

Este suporte afetivo ajuda a ultrapassar as adversidades.

- Evite situações de tensão

Procure fazer uma reorganização das suas tarefas diárias, por exemplo.

- Festeje a vida

Saia, vá apanhar sol e passear… Ficar em casa a remoer nos problemas deve ser sempre a sua última opção. Caminhar na praia, na cidade ou no campo são sempre programas preferenciais.

- Aprenda a controlar o stresse

O stresse e a ansiedade podem ser evitados através de técnicas de relaxamento, como o yoga, a meditação ou as massagens.

Como o passar do tempo e as novas tecnologias afetam a nossa saúde mental

Sentir-se 10 anos mais novo do que realmente é também poderá contribuir para o aumento da sua longevidade. As pessoas que mantêm o sentimento de juventude têm maior probabilidade de viver durante mais anos. "Este sentimento está diretamente relacionado com o otimismo, a autoestima e a motivação, fatores que ajudam a reduzir o stresse, estimulam o sistema imunitário e diminuem o risco de desenvolver doenças", revela a psicoterapeuta Cristina Verde.

"As pessoas com uma idade já mais avançada que têm a capacidade de se integrar e de se identificar com as gerações mais novas, geralmente, são pessoas com uma forte auto estima que procuram manter um estilo de vida saudável e as opções que fazem, no dia a dia, vão obviamente refletir-se no seu estado de saúde", explica a psicoterapeuta portuguesa, especialista em psicogerontologia.

Estas são as dicas da especialista para ultrapassar o problema:

- Aceite a novidade e experimente as chamadas coisas do mundo moderno, como a internet, por exemplo.

- Mantenha o sentimento de pertença bem presente. Para isso, é importante que continue a investir nas suas relações sociais e familiares.

- Procure estimular as capacidades inteletuais através de atividades como a leitura ou a escrita.

- Sinta-se sempre útil, quer seja pelas tarefas que realiza no dia a dia, quer seja pela sabedoria que adquiriu ao longo da vida.

- Nunca se esqueça de cuidar de si. Mantenha um estilo de vida saudável e invista  em cuidados estéticos.

- Lembre-se do que já fez. O sentimento de realização é fundamental. Procure alimentar o sentimento de que deixou alguma coisa feita no seu percurso de vida.

Os perigos da utilização das novas tecnologias

Usar as novas tecnologias também pode dar-lhe mais anos de vida. Aprender a usar ferramentas online como o Facebook ou o Skype ajuda a manter o cérebro saudável e jovem. A psicoterapeuta Cristina Verde refere que, "além do estímulo inteletual, as ferramentas sociais evitam o isolamento ao permitirem o contacto entre amigos e familiares". Estas têm ainda outra vantagem, como faz questão de sublinhar.

"Para muitos idosos, usar as novas tecnologias pode significar uma vitória porque apercebem-se que conseguem entender algo que não fazia parte da sua realidade", acrescenta a especialista. Uma perceção que favorece emoções positivas como a autoestima e o sentimento de utilidade e pertença. Descubra, de seguida, as recomendações da especialista para um uso mais proveitoso:

- O estímulo intelectual não é importante apenas quando se atinge a meia-idade. Privilegie as atividades que exigem ginástica mental ao longo da vida.

- Nas idades mais avançadas, as próprias atividades da rotina diária poderão ser suficientes para manter a atividade cerebral, como conversar, ver televisão ou ler o jornal. O importante é não deixar de fazer as coisas!

- Não se deixe dominar pela solidão, mantenha a sua rede de contactos e participe em atividades ou jogos de grupo com os seus amigos.

Texto: Sofia Santos Cardoso com Carina Lobato Faria (psicóloga clínica e especialista em neuropsicologia) e Cristina Verde (psicoterapeuta e especialista em psicogerontologia)

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.