Há alguns anos que a C&A iniciou a sua política de responsabilidade perante o meio ambiente e a sociedade. Juntamente com os 34.000 colaboradores distribuídos pelos 16 países, a C&A compromete-se com medidas sustentáveis para a protecção do ambiente.

A marca acaba de implementar importantes medidas ambientais, principalmente no que diz respeito às emissões de CO2 e, de forma a minimizar os efeitos negativos sobre o clima. Todos os compromissos ambientais da C&A baseiam-se na nova estratégia da marca, com o nome: We C&Are.

 

Desta forma, a C&A assume responsabilidades em relação ao futuro de uma maneira sustentável e inovadora.
Carlos Valderrama, director de Marketing da C&A para Portugal e Espanha explica: “O objectivo da C&A é estar entre as cinco empresas mais importantes do comércio da moda na Europa em relação às seguintes áreas de actividade: algodão orgânico, sacos recicláveis, uso de energias renováveis, lojas ecológicas e logística”.

 

 BIO-ALGODÃO O ponto que a marca mais destaca no que diz respeito ao meio-ambiente centra-se na introdução de uma colecção que inclui calças de ganga, camisolas, roupa interior e roupa para bebé. Tratam-se de 12,5 milhões de artigos de roupa certificada  de algodão orgânico, i.e., provenientes de  produção agrícola sustentável, que cumpre os critérios da Legislação Ambiental Europeia e limita o uso de fertilizantes artificiais e produtos químicos.

 Em cooperação com a organização Organic Exchange, a C&A pretende fomentar o uso do algodão orgânico durante os próximos anos.Trata-se do investimento do futuro, uma vez que a procura por parte dos consumidores assegura a criação de um ambiente de trabalho seguro e uma maior qualidade de vida para os agricultores do produto a longo prazo.
Assim, a partir de 2008, a marca disponibilizará uma colecção certificada com 100% algodão orgânico, com a etiqueta “BIO-ALGODÃO”, numa ampla gama de produtos para toda a família, em todas as lojas Europeias, sempre aos melhores preços.

 

SACOS

A partir da primavera de 2008, a C&A vai substituir os actuais sacos de compra por material reciclado. Desta forma, em 2008, vão ser utilizados nas lojas da marca cerca de 170 milhões de sacos feitos com material reciclado.
Para além disto, a partir de Março de 2008, a C&A disponibilizará aos clientes um saco de algodão 100% orgânico de forma a minimizar o uso de bolsas de plástico.

 

 ETIQUETAS

Através da reestruturação das etiquetas de vestuário em 2008, a C&A incentivará os seus clientes a lavar os produtos a temperaturas baixas – a 30 graus em vez dos 40 graus Celsius – de modo a contribuir também para a poupança de energia nos gastos domésticos.

  

ENERGIAS RENOVÁVEIS E LOJAS ECOLÓGICAS

Desde Outubro de 2007 que a C&A está a utilizar energia que respeita o meio-ambiente, gerada por hidroelectricidade. Cerca de 380 lojas, que representam cerca de 50% da superfície total das vendas (m2) da C&A-Europa já funcionam com energia renovável.
Para além disso a marca vai estabelecer um conceito de lojas ecológicas, que reduzem os gastos de energia em cerca de 50%, localizadas em edifícios vanguardistas e infra-estruturas comerciais que salvaguardam a eficácia da energia. A C&A prevê abrir a primeira loja ecológica na Alemanha no segundo semestre de 2008.

 

RECICLAGEM, TRANSPORTE E LOGÍSTICA  Outra das metas da marca é a redução dos materiais de empacotamento, graças à qual foram já recicladas desde 2006,  cerca de 570 toneladas de plástico e 6.600 toneladas de papéis e cartões.
Também na área do transporte e logística, está a ser implementada uma frota de camiões que respeitam o  meio-ambiente através de emissões mínimas, com base em tecnologia de vanguarda. Em 2010, quase todos os camiões de entrega às delegações da C&A na Europa devem cumprir com a normativa Euro 5.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.