Da saúde ao bem-estar, passando pela vida profissional e pelas relações pessoais, inúmeros estudos têm vindo a demonstrar que o otimismo tem reflexos positivos em diversas áreas da vida. Seja mais positivo e goze os benefícios. O otimismo é um estado de espírito associado a "uma atitude positiva em relação ao mundo e a uma expectativa de que, em geral, as coisas irão correr bem", resume Maria do Carmo Oliveira, psicóloga especialista em psicologia positiva.

É sorrir num dia cinzento, é valorizar o presente e é entusiasmar-se com o futuro. Isso não quer dizer que tudo corre bem na vida dos optimistas ou que estes não têm problemas. Têm, claro, mas sabem olhar para eles através do otimismo, acreditando piamente que vão conseguir resolvê-los da melhor forma. "As pessoas otimistas tentam sempre alcançar os seus objetivos, mantendo uma postura confiante e persistente, ainda que se deparem com dificuldades", refere.

Por que é que os homens (quase) nunca ficam deprimidos?
Por que é que os homens (quase) nunca ficam deprimidos?
Ver artigo

"Os pessimistas mantêm uma atitude de dúvida e de hesitação face aos objetivos, o que faz com que frequentemente apresentem uma baixa autoconfiança que os leva a serem menos pró-ativos e bem-sucedidos do que os outros", sublinha a fundadora do Clube do Optimismo. A solução passa, segundo a especialista, por "mudar o foco dos nossos pensamentos, substituindo-os por pensamentos mais positivos em relação a nós mesmos, aos nossos objetivos e ao mundo em geral". Alcançando isso, "conseguiremos mudar as nossas emoções, os nossos comportamentos e a forma como nos relacionamos com os outros", diz.

Em função disso, vamos sentir mais confiança e positivismo perante o presente e o futuro e ficaremos, assim, mais ativos rumo aos nossos objetivos e aos nossos sonhos. E o otimismo cura mesmo? Maria do Carmo Oliveira não tem dúvidas quanto a isso. Sim, o optimismo pode ser considerado um "facilitador da cura", diz a especialista. Os optimistas são naturalmente pessoas mais confiantes e persistentes e, em caso de doença, acreditam mais facilmente na recuperação.

Esta especialista lusa considera ainda que "a atitude optimista tem uma influência direta na recuperação pelo facto de os optimistas possuírem um sistema imunitário mais reforçado mas, também, pelo facto de, em caso de doença, acreditarem que podem recuperar, procurando fazer o tratamento adequado e sendo persistentes". O positivismo está "diretamente correlacionado com uma maior resposta do sistema imunitário", defende mesmo Maria do Carmo Oliveira.

Por isso, os benefícios desta atitude para a saúde física e psicológica passam pela "existência de uma menor probabilidade de adoecer", sublinha. E, caso ainda assim isso aconteça, a adoção de atitudes saudáveis proporciona "uma recuperação mais rápida", acrescenta ainda a especialista em psicologia positiva, uma corrente da psicologia que, na últimas décadas, conseguiu atrair as atenções de um crescente número de pessoas que sofrem de insegurança e baixa autoestima.

As investigações científicas que confirmam a teoria

Rir é bom para a saúde e são muitos os estudos científicos que conseguiram demonstrarar a ligação entre o optimismo e a saúde física e psicológica, "tanto ao nível da existência de uma menor probabilidade de adoecer, como ao nível de uma mais rápida recuperação", sublinha Maria do Carmo Oliveira. A adoção de uma atitude positiva pode tornar menos prováveis os primeiros sintomas da doença e aligeirar o nível de gravidade da mesma, acrescenta ainda.

Tal sucede "devido à menor probabilidade de recaídas e [também] a uma recuperação mais eficaz", garante. Um exemplo paradigmático desta associação é um estudo de 1998 que acompanhou 268 homens, emocionalmente saudáveis, ao longo de 35 anos e que constatou que os que, aos 25 anos, apresentavam um estilo explicativo [explicações dadas a si mesmos sobre o porquê das coisas acontecerem] pessimista eram, mais tarde, menos saudáveis", exemplifica.

As pessoas otimistas são mais felizes do que as outras

São muitos os especialistas que o apregoam. Os otimistas são pessoas mais felizes do que as outras pessoas, "pois o otimismo é um dos determinantes da felicidade", assegura também Maria do Carmo Oliveira. São pessoas que conhecem bem as suas qualidades e os seus defeitos, valorizando o que têm de melhor e sem perder tempo a pensar nos seus pontos fracos, que veem, na maioria dos casos, como uma possibilidade de aprendizagem e até de evolução.

Constroem objetivos de vida e lutam por eles, adaptando-se facilmente a novas situações. Fazem amigos com facilidade porque estabelecem uma comunicação positiva e são, normalmente, bem sucedidas nos estudos, no desporto e no trabalho. Sente que esta é uma descrição da sua personalidade? Confira aqui as características que, segundo a especialista em psicologia positiva Maria do Carmo Oliveira, distinguem as pessoas naturalmente otimistas.

As pessoas otimistas são habitualmente mais:

- Autoconfiantes

- Pró-ativas

- Persistentes

- Comunicativas

- Positivas

Para além dessas características, segundo Maria do Carmo Oliveira, psicóloga:

- Têm uma autoestima elevada

- Mantêm relações pessoais gratificantes

- Têm o sistema imunitário reforçado

- Adoecem com menos frequência

- Recuperam mais rapidamente

- Têm menor probabilidade de vir a desenvolver uma depressão

Texto: Ana Catarina Alberto com Maria do Carmo Oliveira (psicóloga, especialista em psicologia positiva e fundadora do Clube do Optimismo)

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.