Os diabéticos que meditam regularmente, sozinhos ou acompanhados, conseguem controlar melhor a glicemia. Para além de uma redução do stresse e da pressão arterial, da diminuição nos níveis de glicose no sangue, do aumento da autoconsciência, de um melhor controlo da doença e dos impulsos que muitas vezes a agravam, esta prática milenar, atualmente muito em voga, também reduz a depressão e ansiedade, o que, segundo o Diabetes 365º, gera uma melhoria nos relacionamentos interpessoais.

"A meditação suprime a resposta ao stresse, reduzindo o cortisol plasmático", refere mesmo um artigo publicado neste projeto informativo que pretende ajudar os portugueses a lidar melhor com uma patologia que afeta mais de um milhão de portugueses. "Melhora o controlo glicémico e favorece a redução da pressão arterial. Ao mesmo tempo, a meditação promove a disciplina, ajudando no controlo do impulso o que permite fazer escolhas mais conscientes e positivas", garantem os especialistas.

Meditação. A arte de contemplar o presente (já) não é só para pessoas alternativas
Meditação. A arte de contemplar o presente (já) não é só para pessoas alternativas
Ver artigo

Apesar de serem muitos os que preferem meditar sozinhos, fazê-lo acompanhado, pessoalmente ou à distância, através de plataformas digitais ou até mesmo de aplicações móveis, acaba por ser mais estimulante. "A meditação guiada oferece uma abordagem estruturada com indicações precisas sobre como se sentar, como respirar, onde colocar as mãos, os tempos a permanecer e quais as imagens ou referências a utilizar na meditação. Às vezes organizada em etapas ou níveis, incentiva a uma prática consistente e aumenta a confiança no processo de meditação", asseguram os especialistas que colaboram com o Diabetes 365º.

"A estrutura fixa de uma meditação orientada pode parecer restritiva para indivíduos com níveis de prática mais avançados, bem como a voz do instrutor ser mais um elemento de distração do que um suporte. Por essas razões, de um modo geral, a aconselha-se a meditação guiada aos iniciantes, enquanto a meditação não guiada é um trampolim de exploração para meditadores mais avançados", justifica o site informativo. "Os benefícios são os mesmos do que os da meditação não guiada", garante ainda.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.