Ao pequeno-almoço

O pequeno-almoço é a refeição mais importante do dia. Deve, por isso, ser muito completo: com fruta ou sumo natural, um lacticínio (leite ou iogurte), hidratos de carbono (pão, cereais) e um pouco de proteínas (fiambre de peru ou frango, queijo).

Notará como assim recarrega baterias para enfrentar mais um preenchido dia de trabalho.

Não precisa de seguir um regime rigoroso: coma de tudo mas com moderação

Coma carnes pouco gordas (vitela, peru, coelho, frango) 4-5 vezes por semana e, de preferência, sempre ao almoço. De peixe azul a quantidade recomendada é de:

3 vezes por semana

Consuma diariamente fruta fresca (2 a 3 peças diferentes por dia) e verduras (ao almoço e jantar). A massa, o arroz e a batata deve comê-los preferencialmente ao almoço e em pequena quantidade; se seguir esta regra pode incluí-los no prato todos os dias.

E não se esqueça de comer leguminosas (grão, ervilhas, lentilhas), pelo menos, 1 a 1 vezes por semana.

Não está de dieta, mas há alimentos que deve evitar

Evite, sempre que possível, refeições preparadas, aperitivos de pacote e pastelaria industrial. Também não deve abusar dos refrigerantes nem da fast food.

Lembre-se que há imensas receitas rápidas, fáceis de preparar e muito saborosas, como as que encontra no nosso site e nas edições em papel da revista Prevenir. Evite os fritos, panados e folhados.

Escolha sobremesas saudáveis como sorvete de fruta

Claro que pode comer sobremesa depois de comer, mas não deverá optar por bolos após as refeições. Boas ideias?

Ao almoço: sorvetes de fruta, saladas de fruta, sobremesas à base de iogurte

Ao jantar, é ficar-se por uma infusão ou um sumo natural.

Coma fruta a meio da manhã

Não sacie a fome com bolachas. O melhor é comer fruta ou beber um sumo natural: de ananás, laranja, cenoura, tomate. O melhor momento para comer fruta é a meio da manhã e a meio da tarde que é quando o corpo pode captar todas as suas vitaminas e propriedades. Em alternativa? Um punhado de frutos secos (nozes, avelãs).

Hidrate o seu corpo

É importante que beba entre 1,5 e 2 litros de líquidos por dia, preferencialmente, água.

Não abuse das bebidas alcoólicas, sobretudo as de elevado grau de destilação.

Ainda que o consumo de vinho esteja recomendado, deve ser bebido com moderação e sempre às refeições, entre 1 e 4 copos por semana (melhor se for vinho tinto).

Coma pão, que lhe dá energia

Isso não quer dizer que pode comê-lo a todo o momento, se o seu objectivo é não engordar.

Faça-o somente ao pequeno-almoço e ao almoço, mas não o elimine do seu dia alimentar. Se sofre de prisão de ventre, prefira o integral.

Especiarias, mais sabor sem calorias

Para cozinhar e temperar privilegie o azeite mas, já sabe, sempre com moderação.

Para ter uma ideia, a quantidade recomendada é de 1 a 2 colheres de sopa por dia.

Reduza pouco a pouco o consumo de sal e aumente o de especiarias, que dão sabor à comida e não fornecem calorias.

Para a sobremesa, substitua o açúcar por mel e, quando beber café, opte pelo adoçante, que também não tem valor calórico.

Exercício? Sim, por favor (e regularmente!)

Inscreva-se num ginásio perto de casa ou do trabalho e, se tiver fácil acesso a um espaço verde, aproveite para correr ou caminhar ao ar livre. O difícil são os primeiros dias; o desporto cria habituação: quando começar a sentir os seus benefícios verá a vontade com que se dispõe a fazê-lo.

Mas se o desporto não combina nada consigo, pelo menos ande a pé o mais possível.

E evite dormir uma sesta logo depois de comer. Um truque para não cair em tentação é demorar um pouco mais a beber café, aproveitar essa hora para ir ao cabeleireiro... para vencer a languidez pós-refeição.

Quivi e água em jejum

A causa mais frequente de obstipação é uma dieta desequilibrada e pobre em alimentos ricos em fibra. Para evitar esse incómodo e controlar melhor o seu peso, coma um quivi e beba um copo de água morna ao acordar. Regularizará o seu funcionamento intestinal em poucos dias.