Existem vários tipos de suplementos à venda no mercado que potencialmente promovem a perda do peso. Distinguem-se pelas substâncias que contêm, a forma como, alegadamente, atuam no organismo e a forma como devem ser tomados. Os suplementos que contêm substâncias, como o glucomanano, à base de fibras, atuam através do preenchimento do estômago para levar a uma menor ingestão de alimentos.

Os que contêm picolinato de crómio induzem a regulação da concentração de açúcar no sangue, levando à diminuição da produção de insulina, uma hormona que estimula a acumulação de gordura corporal. Os suplementos ricos em cafeína ou em substâncias semelhantes promovem um aumento do metabolismo pelo aumento da concentração de adrenalina no sangue, uma substância com um efeito lipolítico.

A adrenalina usa a gordura corporal como fonte de energia. Os que contêm ácido linoleico conjugado (CLA) pretendem o aumento da utilização de gordura pelo organismo para promover o emagrecimento e o aumento de massa magra. Existe ainda o orlistato, uma substância que promove uma menor absorção de gordura no intestino, levando a uma menor absorção de calorias contidas na gordura dos alimentos.

Estes são os ingredientes mais comuns neste tipo de formulações mas existem outros no mercado. Nas últimas décadas, foram muitas as inovações apresentadas para fazer face àquela que é uma das maiores epidemias sociais nos dias que correm, a obesidade. Em Portugal, um país onde a população gosta (muito) de comer e onde a obesidade tem vindo a atingir níveis preocupantes, a procura é grande.

Em que casos podem ser úteis

Apesar de a sua eficácia ser muito relativa, podem ajudar a perder peso principalmente em pessoas que têm excesso de peso ou obesidade (IMC superior a 25 e perímetro de cintura superior a 88 cm nas mulheres e a 102 cm nos homens). O suplemento alimentar deverá ser indicado por especialistas em gestão do peso, com conhecimentos de fisiologia, uma vez que a sua eficácia depende da fisiologia de cada individuo.

Os cuidados a ter com a toma

Os suplementos estimulantes, à base de cafeína, devem ser usados com moderação, pois podem contribuir para a ansiedade, insónia, irritabilidade, entre outros sintomas. Tendo em conta que a toma dos suplementos, por si só, não resolve o problema de excesso de peso, é sempre recomendado adotar uma alimentação saudável e a prática regular de atividade física para potenciar o efeito dos suplementos ingeridos.

A melhor forma de os tomar

Depende do tipo de suplemento alimentar que escolher. Estas são, contudo, algumas recomendações genéricas a ter em conta:

- Os suplementos que têm uma ação saciante ou que bloqueiam a absorção de gordura devem ser tomados um pouco antes das refeições principais.

- Os suplementos que regulam a ação do açúcar devem ser tomados de manhã e à noite.

- Os suplementos termogénicos, ricos em cafeína ou outros estimulantes, devem ser tomados de manhã para não comprometer o sono.

Texto: Teresa Branco (fisiologista na gestão do peso e diretora do Instituto Prof. Teresa Branco)

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.