Os frutos silvestres, em particular os mirtilos, podem reduzir a quantidade de mau colesterol no sangue, diminuir o risco de incidência de certos tipos de cancro e evitar infeções no aparelho urinário. Mas é o seu contributo para a juventude do cérebro e da mente que tem vindo, nos últimos anos, a captar a atenção dos investigadores. Tal como todos os tecidos no organismo, o cérebro possui uma defesa contra intrusos indesejados.

A inflamação é um deles e uma parte importante deste processo é a reação imunitária. Esta implica a produção de radicais livres nocivos, que, para além de repelirem os invasores indesejáveis, danificam as próprias células cerebrais, sendo esta a grande causa do envelhecimento do cérebro. Os frutos silvestres contêm grandes quantidades de polifenois, que combatem o envelhecimento do cérebro de duas formas.

Graças às suas propriedades anti-oxidantes, absorvem os radicais livres nocivos. Para além disso, possuem propriedades anti-inflamatórias naturais, pelo que diminuem o número de células responsáveis pela reação imunitária, reduzindo assim o efeito de envelhecimento. Também conhecidos como frutos do bosque, integram, além do mirtilo, a groselha-preta, a cereja, a amora, o morango, a framboesa, a groselha e as amoras.

As provas científicas que os especialistas conseguiram reunir

Para comprovar o efeito positivo do consumo de frutos silvestres no cérebro, foi encetada uma experiência de dois anos que envolveu a realização de testes de memória e de reação em idosos através da internet. Os voluntários foram aleatoriamente distribuídos por grupos que recebiam doses diárias de mirtilos e de outros alimentos. O grupo que consumia mirtilos foi o que registou melhores resultados na experiência.

Apresentou uma melhoria de 4,2% na capacidade cognitiva, mais do dobro da melhoria nos outros grupos. Na verdade, desde 1999, inúmeras experiências com ratos de laboratório confirmam que os mirtilos são um superalimento para o cérebro, uma vez que melhoram o equilíbrio e a coordenação e reduzem consideravelmente os danos cerebrais após um acidente vascular cerebral, vulgarmente conhecido como AVC.

Devem, por isso, ser ingeridos regularmente nessa fase, dado que aceleram a posterior recuperação, chegando a estimular a criação de novas células cerebrais. Os especialistas recomendam a ingestão de uma porção de frutos silvestres todos os dias, como parte das cinco porções diárias de fruta e legumes. Duas a três colheres de sopa cheias de frutos silvestres é mais ou menos o equivalente a uma porção de 80 gramas.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.