Vivemos numa sociedade onde, apesar do excesso de informação, são muitos os mitos e as ideias feitas que perduram. Deixar de jantar, por si só, ao contrário do que possa pensar, não emagrece, tal como nem sempre as gorduras vegetais, muitas vezes aconselhadas, são mais adequadas. Descubra as crenças que só lhe complicam a vida e aprenda a separar o trigo do joio para conseguir perder os quilos que lhe vão devolver a saúde.

1. A parte branca dos legumes é a mais light

De facto, têm poucas calorias. No entanto, é na parte verde das folhas dos diversos legumes que se concentram as vitaminas e os minerais. Por isso, o melhor é consumir as folhas internas e as externas e, quanto mais verdes forem, mais ricas serão em vitaminas e antioxidantes.

2. Jantar engorda

É completamente errado fazer apenas uma refeição por dia ou saltar algumas delas para tentar emagrecer. Distribua os alimentos entre quatro a cinco refeições por dia. As mais abundantes ou energéticas devem fazer-se de manhã, enquanto os jantares devem ser mais ligeiros.

Fazendo várias refeições por dia diminui a necessidade de comer entre aquelas, o que geralmente é sinónimo de ingestão de alimentos muito calóricos ou de calorias vazias. Se come pouco, o organismo habitua-se e gasta menos calorias.

3. A fruta engorda mais quando comida após a refeição

Lembra-se quando lhe ensinaram, na escola, que a ordem dos fatores é arbitrária? Pois bem, aqui acontece o mesmo. A ordem em que se ingere os alimentos não tem influência no total de calorias consumidas. Um peça de fruta tem as mesmas calorias antes ou depois das refeições. A única vantagem que terá ao comê-la antes da refeição está associada ao facto de ter um alto teor de água e fibra, o que lhe vai dar a sensação de saciedade e isto pode ajudá-la a comer menos.

4. A gordura vegetal é a mais saudável

Na generalidade, sim, porque a maioria contém ácidos gordos insaturados bons para o coração. No entanto, há óleos vegetais, nomeadamente o de palma e o de coco, que se usam na elaboração industrial de alimentos e cujas gorduras são saturadas, prejudicais à saúde.

5. A gordura deve provir apenas do azeite

O azeite e o peixe azul contêm ácidos gordos insaturados, que favorecem a eliminação do excesso de colesterol no sangue. Contudo, as gorduras polinsaturadas, como o óleo de girassol, o óleo de milho e óleo de soja, reduzem tanto o mau como o bom colesterol e ajudam a expulsar o mau do organismo.

O azeite é ideal para cozinhar a altas temperaturas, pois não se degrada com o calor, embora perca qualidades, como o sabor e o aroma. Quando começar a deitar fumo deite-o fora, porque passa a ser tóxico.

6. O peixe azul é saudável mas engorda

Um estudo publicado numa publicação especializada norte-americana revela que comer atum, sardinhas ou salmão, peixes azuis com ácidos gordos do tipo ómega-3, não é apenas saudável mas também ajuda a perder peso.

A parte branca dos legumes é a mais light? 15 crenças que engordam que urge desmistificar

7. Comer toranjas emagrece

O seu poder adelgaçante é um clássico. Tal como acontece com o sumo de limão, é atribuído ao de toranja um suposto efeito destruidor da gordura devido à sua acidez. No entanto, o ácido cítrico não destrói a gordura. Chegou-se mesmo a criar a dieta da toranja, que não foi mais do que um truque para relançar as vendas dos excedentes deste fruto.

8. Para emagrecer não podemos comer pão

É um dos primeiros alimentos a ser eliminado quando se inicia uma dieta sem acompanhamento de um nutricionista. Contudo, o pão, como o resto dos farináceos, é rico em hidratos de carbono, um nutriente que o nosso organismo necessita em maior quantidade para obter energia.

Deve, sim, estar atento ao que põe no pão. O problema reside, na maioria das vezes, nos molhos calóricos, nas manteigas, no chocolate e nas pastas para barrar à base deste ingrediente e ainda os enchidos. O pão torrado fornece a mesma quantidade de calorias, apenas contém menor quantidade de água.

9. Temos de comer menos

Deve ingerir a quantidade que a sua constituição e a sua atividade física pedem. Nem mais nem menos! Lembre-se que está provado cientificamente que as pessoas que estão muito tempo sem comer têm o metabolismo mais baixo e queimam menos calorias do que as que comem mais vezes por dia.

Quem salta refeições tem ainda uma maior tendência para comer mais à noite, quando o metabolismo tende a queimar menos calorias por estarmos mais inactivos. A melhor forma de controlar o peso é fazer cinco refeições ligeiras e incluir em todas elas legumes ou fruta fresca de forma a não ter carência de vitaminas e minerais.

10. Beber água durante as refeições engorda

A água não contém calorias, portanto, é impossível engordar quando se bebe água e, para além disso, é saciante. A água pode, sim, devido a algumas patologias, ficar retida no organismo, facto que aumenta o peso corporal mas não a gordura.

11. Os adoçantes emagrecem

A sacarina e o ciclamato não aportam calorias, mas há outras substâncias que como os polialcóis, derivados do açúcar, transformam-se numa molécula de glicose que tem quatro calorias por grama. Logo, as pastilhas e os rebuçados sem açúcar afetam o peso.

12. As bebidas light emagrecem

As bebidas baixas em calorias estimulam o apetite, segundo um estudo que analisou o efeito que estas bebidas provocavam nas pessoas que as ingeriam. Os investigadores descobriram que quem as tomava comia mais do que quem bebia água ou outras bebidas açucaradas originais. O gás dessas bebidas pode gerar problemas digestivos.

13. O chá é adelgaçante

Alguns chás podem conter teína, uma substância semelhante à cafeína do café e teobromina do cacau, que atua na destruição da gordura, de acordo com um teste in vitro.

A parte branca dos legumes é a mais light? 15 crenças que engordam que urge desmistificar

14. A cerveja é muito calórica

Alguns dos últimos estudos científicos atribuem a barriga de cerveja que muitos homens exibem não à bebida mas, sim, ao que a acompanha. Uma cerveja aporta, em média, cerca de 90 calorias. Muitos investigadores têm feito notar que esta bebida é bastante menos energética que alguns refrigerantes e possui um efeito metabólico positivo sobre o organismo.

Um estudo realizado pelo Hospital Universitário de Zurique, na Suíça, indica que as pessoas que queiram emagrecer devem reduzir a ingestão de calorias totais da sua dieta, sem ter que renunciar às bebidas que tomam habitualmente. De qualquer forma, não se esqueça que a cerveja contém álcool, logo o seu consumo deve ser moderado. Pode também optar pelas cervejas que não contêm álcool.

15. O sal engorda

O sal não engorda. É um mineral e não tem calorias. No entanto, pode produzir retenção de água em caso de insuficiência cardíaca, renal ou hepática. Em pessoas normais, não altera o peso, asseguram os especialistas.