Esta operação atraiu dezenas de curiosos às imediações do aeroporto de Beja para assitirem à partida do avião que vai tirar 350 pessoas de Wuhan, cidade chinesa onde surgiu o coronavírus, que já matou 170 pessoas.

O comandante Antonios Efthymiou, da companhia Hi Fly, disse hoje que está tudo preparado para dar início à missão de repatriamento de cidadãos europeus desde Wuhan, salientando que foram tomadas todas as precauções. "É uma honra", disse.

Esta operação atraiu dezenas de curiosos às imediações do aeroporto de Beja para assitirem à partida do aviã,o que vai tirar 350 pessoas de Wuhan, cidade chinesa onde surgiu o coronavírus, que já matou 170 pessoas.

Entre os curiosos, estava Alexandre Gonçalves, de 34 anos, do Algarve, que estava de passagem e aproveitou para assistir à partida do avião.

Várias companhias suspendem voos para a China: conheça todas as alterações
Várias companhias suspendem voos para a China: conheça todas as alterações
Ver artigo

“Vi numa notícia que o avião A380 ia partir hoje [do aeroporto de Beja] para resgatar portugueses que estão na China e achei interessante vir [assistir à partida]”, contou à Lusa.

Alexandre disse que “ainda não tinha visto o aeroporto de Beja” e achou que a partida de hoje do A380 “era uma oportunidade interessante para o ver” e também considerou “interessante e importante” ser uma companhia portuguesa a participar numa missão de resgate de europeus da China.

Francisco Catalão, de 59 anos, a viver em Beja há 32 anos, também se deslocou hoje de propósito ao aeroporto porque teve “curiosidade” para assistir à partida do avião.

“É uma situação importante para todos e de interesse mundial”, disse, frisando que “o aeroporto de Beja está a ter um papel importante e relevante para a realização desta missão”.

O Airbus A380, o maior avião comercial do mundo, partiu do aeroporto de Beja, porque, atualmente, é o único aeroporto em Portugal capaz de o receber e é onde a companhia Hi Fly tem uma das suas bases para estacionamento e manutenção de linha dos seus aviões.

Segundo os dados oficiais mais recentes, quase 60% dos mais de 7.700 casos confirmados até agora em todo o país ocorreram na província de Hubei, onde foram registadas 162 das 170 mortes devido ao coronavírus (família de vírus que causa pneumonias), mas há já casos em todas as províncias e regiões autónomas do país.

Mapa interativo mostra em tempo real países afetados pelo coronavírus
Mapa interativo mostra em tempo real países afetados pelo coronavírus
Ver artigo

Além do território continental da China, foram reportados casos de infeção em Macau, Hong Kong, Taiwan, Tailândia, Japão, Coreia do Sul, Estados Unidos da América, Singapura, Vietname, Nepal, Malásia, Austrália, Canadá, Alemanha, França (primeiro país europeu a detetar casos), Finlândia e Emirados Árabes Unidos.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) convocou para hoje o Comité de Emergência para determinar se este surto vírico deve ser declarado uma emergência de saúde pública internacional.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.