“A avaliação do risco nutricional é um passo essencial para a implementação de uma estratégia de combate à desnutrição hospitalar, uma condição que se estima que possa estar presente em 20% a 50% dos doentes internados”, sublinha o Ministério num comunicado publicado no Portal da Saúde.

Segundo o Ministério da Saúde, a identificação precoce dos doentes com desnutrição ou em risco é essencial para promover o suporte nutricional adequado à sua recuperação. 

12 alimentos para a pele recomendados pelos nutricionistas
12 alimentos para a pele recomendados pelos nutricionistas
Ver artigo

“A implementação de uma identificação precoce do risco nutricional irá trazer ganhos em termos de qualidade de vida e na recuperação do estado de saúde, podendo ainda contribuir para reduzir úlceras de pressão” e reduzir custos, uma vez que a desnutrição está associada a internamentos mais longos, afetando sobretudo os mais idosos.

No despacho de 2018 que determinou as ferramentas a utilizar para a identificação do risco nutricional, o Governo afirma que “a desnutrição em doentes internados em hospitais representa um grave problema de saúde que é frequentemente encoberto por outras situações clínicas”.

“Trata-se de uma situação que amplifica a necessidade de cuidados de saúde e influência marcadamente a qualidade de vida dos doentes, com elevados custos a nível pessoal, para a sociedade e para o sistema de saúde”, adianta.

Também está associada a um aumento do risco de infeções e de outras complicações, e a uma necessidade acrescida de tratamentos hospitalares e de reinternamentos, a um aumento do tempo de internamento hospitalar e a uma maior morbilidade e mortalidade. 

Destruímos as vitaminas quando cozinhamos? Regras para salvar 10 vitaminas essenciais
Destruímos as vitaminas quando cozinhamos? Regras para salvar 10 vitaminas essenciais
Ver artigo

A medida arrancou em abril com duas experiências-piloto na Unidade Local de Saúde do Alto Minho e no Centro Hospitalar de Lisboa Central e hoje foi “alargada a todas as unidades hospitalares do Serviço Nacional de Saúde (SNS).

Em declarações à agência Lusa em abril, a diretora do Programa Nacional para Alimentação Saudável, Maria João Gregório, afirmou que “é extremamente importante” identificar precocemente estas situações para que a prestação de cuidados nutricionais seja “a mais adequada”.

O que se pretende é que os doentes possam ter um plano de cuidados ajustado àquilo que são as suas necessidades e melhorar o seu estado nutricional, disse Maria João Gregório, explicando que se trata de “um procedimento simples” que pode ser aplicado por diferentes profissionais de saúde.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.