Cada vez mais as crianças têm várias exigências no seu dia a dia e são obrigadas a um ritmo acelerado que, nem sempre, respeita o ritmo interno de cada criança. Este registo diário faz com que seja crescente o número de crianças com elevados níveis de ansiedade, que acabam por  contaminar o seu bem-estar, o seu rendimento escolar, a sua capacidade de socialização e a sua relação consigo próprias. 

Perante isto, é essencial que possamos agir no sentido de criar um ambiente favorável ao desenvolvimento das crianças e promotor de mais tranquilidade. Neste sentido, podemos adotar algumas estratégias:

  • Permita que as crianças expressem o que sentem - todas as emoções que uma criança experiencia precisam de encontrar um colo para se expressar. Seja esse colo para a criança e permita que ela partilhe tudo aquilo que sente, sem julgamentos ou questões excessivas. 
  • Converse com as crianças acerca da ansiedade - muitas vezes, fugimos das conversas difíceis, no entanto, é sempre preferível haver um espaço de diálogo acerca de tudo aquilo que está a pairar dentro da criança. Garantidamente, sempre que colocar por palavras a ansiedade que, por vezes, a criança sente, automaticamente as proporções dessa ansiedade diminuem.
  • Crie mais momentos ao ar livre - o contato com a natureza é sempre relaxante, promotor de tranquilidade e de um desenvolvimento saudável, por isso, crie muitos momentos de partilha, brincadeira e interação ao ar livre.
  • Crie momentos de brincadeira livre - brincar de forma livremente e forma pouco estruturada, permite que as crianças elaborem aquilo que sentem e expressam através do brincar as suas preocupações. Crie diversos momentos de brincadeira livre e lembre-se sempre que a criança está a brincar, está a fazer muito mais do que apenas brincar.  
  • Diminua o tempo de exposição aos ecrãs - as tecnologias - apesar de terem lados positivos - são altamente estimulantes para as crianças, por isso, nunca devem ser utilizadas excessivamente, sob pena de diminuírem os níveis de concentração e aumentarem os níveis de ansiedade.
  • Evite comparar a criança com outras crianças - sempre que fazemos comparações, a criança sente-se inferior e, ao invés de ver a criança com a qual foi comparada como um modelo a seguir, acaba por se sentir cada vez menos capaz e menos segura de si.

 Só olhando com a criança para a ansiedade, permitindo-a expressar tudo aquilo que está a experienciar e criando diversos momentos de tranquilidade e bem-estar para a criança, podemos - gradualmente - diminuir os seus níveis de ansiedade.

Um artigo das psicólogas clínicas Cátia Lopo e Sara Almeida, da Escola do Sentir.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.