Auto-controlo significa poder expressar e lidar com emoções fortes de forma adequada – para uma criança de 1-2 anos, isto pode significar dizer “Estou zangado contigo” em vez de morder.

O auto-controlo também envolve capacidades de reflexão, quando decidimos sobre que impulsos vamos agir.

O desenvolvimento do auto-controlo inicia-se com o nascimento e continua a desenvolver-se ao longo da vida.

É uma capacidade que é fundamental para o sucesso escolar das crianças e para um desenvolvimento saudável em geral. Permite às crianças cooperar com os outros, lidar com as frustrações e resolver conflitos.

As crianças pequenas aprendem estas capacidades através da interacção com outros e da orientação dada pelos pais e educadores.

Os bebés nascem sem qualquer auto-controlo. Têm uma capacidade praticamente nula de controlo sobre as suas emoções ou comportamentos.

No entanto, o processo de desenvolvimento do auto-controlo inicia-se nos primeiros meses de vida e continua ao longo dos três primeiros anos e mesmo depois disso:

- Um recém-nascido está a ser mudado e não está minimamente satisfeito – chora e grita. O pai diz-lhe, “Está quase, rapazinho. Eu sei que não gostas disto.

Espera mais um bocadinho, só falta vestir as calças.” Depois, o pai pega-lhe ao colo e segura-o até ele deixar de chorar.

Este bebé percebe que pode contar com aqueles que gostam dele para o ajudar a retomar o controlo quando se sente constrangido.

- Um bebé de nove meses está próximo de uma mesa baixa e pega no controlo remoto da televisão. Está feliz a carregar nos botões quando a mãe gentilmente lho retira da mão e o coloca numa prateleira mais alta, enquanto explica, “o controlo remoto não é um brinquedo, querido.

Não podes brincar com isto. Mas podes brincar com este.” Entrega-lhe uma caixa de actividades, cheia de botões que pode premir e portas que pode abrir.

Este bebé está a aprender qual é o comportamento adequado, a lidar com a desilusão e como aceitar uma substituição quando a sua primeira escolha não é possível.

- Um bebé de 2 anos quer um brinquedo com o qual o seu amiguinho está a brincar. Agarra-o; quando a outra criança começa a chorar, bate no amiguinho e começa também a chorar.

A mãe acalma-o e depois ajuda-o a devolver o brinquedo ao amiguinho. Explica-lhe que não é correcto bater e “dá-lhe” as palavras que ele necessita para pedir para brincar com o brinquedo.

Esta criança está a aprender a gerir e a expressar os seus sentimentos e impulsos; a acalmar-se e a tomar opções de comportamento aceitáveis.

Veja na próxima página como agir com um bebé do nascimento aos 12 meses

Do nascimento aos 12 meses

Os bebés têm um auto-controlo quase nulo. Actuam naturalmente em função dos seus pensamentos e sentimentos sem ter a capacidade de não o fazer.

Com uma orientação sensível por parte dos pais e educadores, os bebés podem começar a aprender a gerir os seus sentimentos e acções.

- Ajude o seu filho a acalmar-se sozinho. Quanto mais calmo ele estiver, maior controlo terá. Os bebés têm diferentes formas de se acalmar.

Alguns necessitam de muito contacto físico, como ser embalados ou abraçados; outros preferem ser deixados em paz por alguns minutos.

Pode ensinar o seu filho a acalmar-se mantendo-se também calma, quando ele perde o controlo. Desta forma, a criança sente-se segura.

- Ensine comportamentos aceitáveis. Fale e demonstre ao seu filho o que pode fazer, não só o que não está autorizado a fazer. Se ele gosta de atirar com uma bola em casa, dê-lhe um cesto vazio para que possa atirar a bola lá para dentro ou leve-o até à rua e mostre-lhe onde e como ele pode atirar a bola.

Isto ajuda a criança a distinguir o que está certo e o que está errado e a canalizar a sua energia e interesses de forma aceitável à medida que vai crescendo.

Veja na próxima página como agir com um bebé dos 12 aos 24 meses

Dos 12 aos 24 meses

As crianças de 1-2 anos têm uma vontade muito própria e sentimentos muito fortes que exprimem com veemência. “Não!” torna-se a sua palavra favorita e uma forma de afirmar a sua independência.

Ao mesmo tempo, as crianças desta idade ficam facilmente frustradas com muitas das coisas que querem, mas não conseguem fazer.

As rotinas são particularmente úteis uma vez que fazem com que as crianças se sintam seguras em momentos em que se podem sentir descontroladas.

- Dê ao seu filho a possibilidade de escolher. Dar às crianças, mesmo às mais pequenas, oportunidade de escolher demonstra-lhes que confia nelas e nas suas decisões.

Ajuda também a criança a sentir que controla a situação. Permita que o seu filho tome decisões sobre aquilo a que quer brincar, o que quer ler ou aquilo que quer lanchar (apresente duas opções saudáveis).

- Identifique e reconheça os sentimentos do seu filho. Demonstrar à criança que os seus sentimentos são compreendidos ajuda-a a acalmar e a retomar o controlo. Isto não significa que ceda às exigências da criança.

“Sei que estás zangado porque tens de ir para a cama, mas não me podes bater. Podes bater nesta almofada; ou então podemos ler um livro.” Identificar e reconhecer os sentimentos ajuda a criança a aprender a gerir as suas emoções, uma ferramenta importante e necessária para o posterior sucesso escolar.

Veja na próxima página como agir com uma criança dos 24 aos 36 meses

Dos 24 aos 36 meses

As crianças mais velhas ainda não conseguem controlar a forma como agem em função dos seus desejos. Mais uma vez, reconhecer os sentimentos e sugerir outras formas para os expressar continua a ser a melhor resposta, nesta idade.

À medida que crescem, incentive a criança a pensar sobre o que pode fazer – lançar a bola para um cesto em vez de a lançar contra a parede. A capacidade de substituir uma acção inaceitável por outra aceitável será essencial para o sucesso escolar.

- Dê ao seu filho a possibilidade de escolher. Apresente-lhe duas opções aceitáveis e permita que a criança escolha: “Queres lavar os dentes agora ou vestir primeiro o pijama?”

Em vez de lhe dizer para calçar as galochas, ajude-o a pensar na situação: "Está a chover. Então, o que é que precisas para poderes passear à chuva com os teus colegas?"

Se a decisão for unicamente sua, então não ofereça opções. Diga, “Está na hora de ir para a cama,” e não “Estás pronto para ir para a cama?”

- Ajude o seu filho a aprender a esperar. Esperar ajuda as crianças a desenvolver o auto-controlo. E ensina-lhes que as outras pessoas também têm necessidades.

Não prolongue o tempo de espera e dê-lhe alguma coisa para se entreter. De igual forma, brincar com os amigos traz imensas oportunidades de ajudar o seu filho a aprender a esperar, a partilhar e a trocar.

Com a sua orientação e muita prática, o seu filho estará preparado para resolver os conflitos que possam surgir mais tarde na escola.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.