A relação entre irmãos é singular e tem um impacto direto no desenvolvimento de cada um. Os irmãos atuam simultaneamente como modelos, oponentes e companheiros uns dos outros, já que podem desafiar-se, testarem limites, modularem os comportamentos por observação direta e/ou indireta, e aprenderem a regular as emoções, estabelecendo as suas próprias identidades. As suas interações influenciam o seu desenvolvimento cognitivo, emocional e social. Por outro lado, os laços de amizade entre irmãos podem servir como sistema de apoio para as experiências mais desafiantes na vida de ambos.

No entanto, nem todas as relações fraternas são de harmonia. Ouvir os seus filhos gritarem uns com os outros pode ser frustrante, sendo que manter a paz pode ser uma missão hercúlea. Num momento, os seus filhos estão a brincar pacificamente e, no momento seguinte, já estão agarrados à garganta um do outro. Saber quando e como intervir pode fazer a diferença na forma como seus filhos se relacionam.

Mas primeiro, o que causa a rivalidade entre irmãos?

A rivalidade geralmente é despoletada quando os irmãos competem pela atenção dos pais. Sinais de rivalidade podem incluir bater, discutir e ter comportamentos imaturos. Níveis moderados de rivalidade entre irmãos são um sinal saudável de que cada criança é capaz de expressar as suas necessidades ou desejos. Em contrapartida, níveis elevados (i.e., que causam muito transtorno nas dinâmicas familiares) tornam a convivência bastante difícil e de conflito constante.

Embora a rivalidade entre irmãos seja uma parte natural do crescimento, muitos fatores podem afetar a forma como seus filhos se dão uns com os outros – incluindo a idade de cada um, o sexo, a personalidade, o tamanho da sua família e a posição de cada criança (filho mais velho, filho do meio, filho mais novo).

À medida que os seus filhos crescem, a maneira como interagem irá provavelmente mudar. Enquanto as crianças mais novas tendem a brigar fisicamente, as crianças mais velhas são mais propensas a terem discussões verbais. No entanto, a rivalidade entre irmãos pode continuar na idade adulta.

Que medidas os pais podem tomar para melhorar os relacionamentos entre irmãos?

  1. Defina as regras básicas e incentive o bom comportamento. Certifique-se de que seus filhos entendem o que os pais consideram um comportamento aceitável e inaceitável quando se trata de interagir uns com os outros, bem como as consequências do mau comportamento. Quando vir que os seus filhos estão a trabalhar em equipa, elogie-os.
  2. Respeite as necessidades de cada criança. Não trate os seus filhos da mesma forma. Cada um tem idiossincrasias e necessidades exclusivas. Por exemplo, em vez de comprar os mesmos presentes para evitar conflitos, considere comprar presentes diferentes que reflitam os seus interesses individuais e, em caso de dúvida, peça a opinião deles.
  3. Evite comparações. Comparar as competências e conquistas dos seus filhos pode deixá-los magoados e inseguros. Evite discutir as diferenças entre as crianças na frente delas. Ao elogiar um de seus filhos, descreva sua ação ou realização, em vez de compará-la com o irmão.
  4. Não se envolva em guerras. Incentive os seus filhos a resolverem as suas próprias diferenças. Embora possa precisar de ajudar as crianças mais novas a resolver disputas, evite tomar partido.
  5. Antecipe problemas. Se os seus filhos não conseguem resolver um desentendimento sozinhos, ajude-os a encontrar uma solução. Por exemplo, se você tem filhos pequenos que têm problemas para compartilhar, incentive-os a brincar com seus próprios brinquedos ou planeie atividades que não exijam muita cooperação – como ouvir música ou brincar às escondidas. Se os seus filhos disputam por jogos específicos, ajude-os a criar uma programação semanal e explique as consequências de não seguir o cronograma.
  6. Ouça os seus filhos e mostre o seu amor por cada um. Ser irmão pode ser frustrante. Permita que seus filhos desabafem os seus sentimentos negativos um pelo outro. Considere realizar reuniões familiares regulares para dar aos seus filhos a oportunidade de conversar e resolver problemas com os irmãos. Jantares em família também oferecem oportunidades para conversar e ouvir. Além disso, passe algum tempo sozinho(a) com cada um dos seus filhos. Faça atividades especiais com cada criança que reflitam os interesses dela.

E, se apesar, destas dicas, não conseguir criar harmonia na sua casa, considere procurar ajuda profissional, para o estabelecimento de um programa personalizado para as suas necessidades familiares.

Um artigo da psicóloga clínica Laura Alho, da MIND | Psicologia Clínica e Forense.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.