Termogénese. Em termos fisiológicos, a expressão traduz a «produção de calor pelo organismo para manter a temperatura do corpo estável», descreve a nutricionista Iara Rodrigues. Este mecanismo é essencial ao metabolismo, o conjunto de processos físicos, químicos e biológicos que nos mantêm vivos. «Num dia de frio, o corpo precisa de produzir mais calor para elevar a temperatura», explica a especialista.

«Os pelos ficam eriçados, a transpiração diminui e surgem tremores, sinal de que estamos a queimar energia (calorias) para produzir calor. O contrário também acontece, quando estamos num ambiente quente. O suor é a ferramenta que o corpo tem para baixar a temperatura e que também implica o consumo de energia (calorias)», refere ainda.

É este mecanismo que é acionado quando praticamos exercício, mas também há alimentos, termogénicos, com esse efeito. E ele pode ocorrer de duas formas. «Pelo facto de o alimento requerer muita energia para a sua digestão ou por exigir que o organismo aqueça», estimulando o funcionamento do nosso metabolismo, diz a especialista.

Estes são alguns dos ingredientes que deve ingerir para queimar mais calorias:

- Canela

Duas colheres de sobremesa por dia são o suficiente. «Além de potenciar o gasto energético do organismo, ao melhorar a sensibilidade à insulina e o controlo glicémico, ajuda também a controlar a vontade de comer doces», refere Iara Rodrigues. «Adicionado ao iogurte natural magro permite cortar a sua acidez. Também é um ótimo substituto do açúcar no café ou chá», sugere.

«Este alimento não deve, contudo, ser consumido por quem pertence ao grupo de risco, grávidas, crianças, pessoas com hipertiroidismo ou que sofram de cardiopatias, hipertensos, doentes com úlceras, por quem sofre de enxaquecas ou caso se seja alérgico ou se tenha sensibilidade a especiarias», adverte a especialista.

- Chá verde

O recomendado são duas chávenas por dia. «Muito concentrado em cafeína e em catequinas, ativa o metabolismo, o que facilita a queima de calorias», salienta Iara Rodrigues. Pessoas com insónias ou ansiedade devem, todavia, moderar a sua ingestão. Nestes casos, é preferível consumi-lo só ao pequeno-almoço e depois do almoço.

Por ser drenante, deve ser complementado pela ingestão de água pura. «Não deve ser consumido por pessoas com tendência para a formação de cálculos renais, por quem toma diuréticos ou drenantes, insuficientes renais, grávidas, mulheres a amamentar, pessoas em convalescença de uma operação ou pessoas que sofrem de enxaquecas», alerta a nutricionista.

- Gengibre

Se não o faz, passe a ingerir duas a três rodelas de um centímetro por dia. «Esta raiz, com ação antibacteriana e anti-inflamatória, é uma aliada do sistema imunitário. Atua contra constipações, ajuda na digestão e provoca aquecimento celular», esclarece a especialista.

«Vários estudos indicam que pode aumentar até 10 por cento o gasto energético do organismo, quando consumido com regularidade», acrescenta ainda Iara Rodrigues. Experimente adicioná-lo a sumos detox ou, depois de ralado, a saladas, sopas ou legumes. «Não deve ser consumido por quem pertencer aos grupos de risco», refere.

Veja na página seguinte: O alimento que pode juntar ao arroz que tem um forte poder detox

- Curcuma

Uma colher de café por dia é o ideal. «É uma fonte natural de curcumina que tem um enorme poder anti-inflamatório e antioxidante. Rica em vitamina C, ferro, niacina, potássio e fósforo, é um bom aliado para regular a função gastrointestinal», explica Iara Rodrigues. Experimente usá-la na preparação de refeições, infusões e sumos detox.

Adicione também curcuma ao arroz, durante a sua cocção. Além de cor, concede um ótimo aroma. Enquanto suplemento, 500 miligramas, duas a quatro vezes por dia, demonstram efeito anti-inflamatório e de alívio digestivo. «Não exagere. Em casos de consumo excessivo provoca mal-estar digestivo. A curcuma não deve ser consumida por quem pertencer ao grupo de risco anterior», salienta a nutricionista.

- Cardamomo

Pode consumir duas a três sementes por dia. «O óleo de cardamomo é anti-espasmódico, contraria os efeitos adversos da quimioterapia, reduz as náuseas, é anti-microbiano, antiséptico, afrodisíaco, digestivo e diurético. Tem um sabor mais suave do que o do gengibre, mas é menos prático porque para o extrair é necessário abrir a semente cuja casca é muito dura». Experimente adicionar duas ou três sementes aos sumos detox», diz Iara Rodrigues.

Também o pode utilizar como tempero, sobretudo em pratos de caril. «A ingestão de grandes quantidades pode provocar instabilidade e aquecimento excessivo do organismo e do sistema digestivo, com consequentes cólicas e irritação. Entre outros grupos, não deve ser consumido por grávidas ou mulheres a amamentar, dado que pode prejudicar a saúde do bebé», refere ainda.

- Matcha

Duas colheres  de sobremesa por dia é o ideal. Este alimento «provém da mesma planta do chá verde, preto ou branco, mas  é elaborada a partir das folhas mais novas e tenras que são reduzidas a pó ou moídas. Aumenta em 25 por cento a queima de calorias», explica a especialista. Experimente diluí-la num litro e meio de água, para ir bebendo ao longo do dia. «No máximo, duas colheres de sobremesa por dia», avisa, contudo, Iara Rodrigues.

Tem maior concentração de cafeína do que o chá verde e, tal como este, o seu consumo deve ser moderado por «pessoas com insónias ou ansiedade, que apenas o devem consumir ao pequeno-almoço e depois do almoço. Deve ser compensado com o reforço da ingestão de água pura durante o dia», acrescenta.

«Não deve ser consumida por pessoas com tendência para a formação de cálculos renais, por quem estiver a tomar diuréticos ou drenantes, insuficientes renais, grávidas, mulheres a amamentar, pessoas em convalescença de uma operação ou pessoas que sofrem de enxaqueca», adverte ainda a nutricionista.

- Sementes de mostarda

Uma colher de sobremesa é a quantidade recomendada. «Contêm fitonutrientes que contrariam o crescimento de células cancerígenas. São fonte de selénio, magnésio, ómega 3, ferro, cálcio, zinco, manganês, proteínas, niacina e fibras alimentares. Graças à presença turmérico, ajudam a travar a acumulação de gordura», sublinha Iara Rodrigues.

Estas sementes, aromáticas e saborosas, combinam com bife de frango grelhado ou faça um molho de iogurte com sementes de mostarda moídas, um fio de azeite e iogurte natural. «Não deve ser consumida por quem pertencer ao grupo de risco», avisa a autora de «Emagreça Sem Fome», livro publicado pela editora Clube do Autor.

Veja na página seguinte: A especiaria que funciona como um vasodilatador

- Guaraná

Uma simples pitada «tem um efeito estimulante», esclarece Iara Rodrigues. «Pode ser tomado em pequenas doses para combater a fadiga», aconselha. Pode acrescentar um bocadinho de guaraná em pó ao chá. Encontra-se também disponível em versão xarope, extratos, comprimidos, cápsulas, suplementos.

Antes de consumir, leia atentamente o folheto informativo. «O pó é a forma mais concentrada. O seu consumo deve ser feito com cautela, pois pode causar palpitações. Não deve ser consumida por quem pertencer ao grupo de risco, especialmente se se tiver antecedentes de problemas de coração», adverte a nutricionista.

- Pimenta-de-caiena

Esta especiaria contém capsaicina, a substância responsável pelo seu sabor picante. «É um vasodilatador», esclarece a especialista. Combina bem com sumos detox ou batidos. Há quem use em sobremesas, para contrastar com o sabor adocicado.  Um estudo, realizado no Japão, demonstrou que o seu efeito é imediato após o consumo.

«Não deve ser ingerida por quem sofre de gastrite, úlceras, azia ou refluxo gástrico. Pessoas em fase de convalescença também não devem consumi-la, assim como doentes oncológicos. Quem toma medicação para a hipertensão também a deve evitar», alerta ainda Iara Rodrigues.

Estes alimentos não são para si

Os alimentos termogénicos podem conduzir, em alguns casos, ao «aumento da pressão arterial, hipoglicemia, insónia, nervosismo ou taquicardia», refere a nutricionista Iara Rodrigues. Por essa razão, não devem ser ingeridos pelos grupos que integram a seguinte lista:

- Grávidas

- Crianças

- Pessoas com hipertiroidismo

- Quem sofre de cardiopatias

- Hipertensos

- Doentes com úlceras

- Pessoas alérgicas

- Quem sofre de enxaquecas

Veja na página seguinte: Outros alimentos que ajudam a emagrecer

Outros alimentos que ajudam a emagrecer

Há outros alimentos que estimulam o metabolismo por «requerem muita energia (calorias) para serem digeridos», explica Iara Rodrigues. É o caso das proteínas. «Para digerir e absorver 100 kcal de proteínas (presentes em alimentos como a carne, o peixe e os ovos), o corpo gasta 30 calorias», refere a nutricionista.

O vinagre de maçã também entra nesta lista. «O seu principal componente, o ácido acético, exige muita energia (calorias) para ser digerido, transportado e utilizado pelo organismo», diz. Para utilizá-lo como acelerador do metabolismo, dilua «uma colher de sobremesa de 200 mililitros de água e tome antes do almoço e do jantar. Não ultrapasse três colheres por dia, pois o excesso pode agredir a mucosa do estômago», avisa Iara Rodrigues.

O óleo de coco virgem é outra opção. «Há pesquisas que sugerem que ajuda a emagrecer devido à sua capacidade em queimar calorias. Modere, contudo, as quantidades, pois pode ter o efeito contrário. Uma colher de sopa de óleo de coco fornece, aproximadamente, 110 calorias», refere a especialista.

Texto: Catarina Caldeira Baguinho com Iara Rodrigues (nutricionista)

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.