Embora deliciosas, as batatas fritas podem contribuir para o aparecimento de problemas de saúde como obesidade, doenças cardiovasculares e cancro. Para desfrutar sem peso na consciência nem riscos para a saúde, há que moderar o consumo e ter cuidado na preparação.

De manhã é ouro, à tarde é prata e à noite mata? Os mitos sobre as laranjas
De manhã é ouro, à tarde é prata e à noite mata? Os mitos sobre as laranjas
Ver artigo

Varie as guarnições e não consuma batatas fritas todos os dias. Mesmo com uma preparação cuidada, este tipo de confeção implica sempre um teor de gordura elevado: 11% por 100 g, no caso das batatas fritas caseiras em palitos, e 38% por 100 g, no caso das batatas de pacote, às rodelas. É mais do dobro do teor de gordura do que as batatas em puré e assadas no forno (com cerca de 5% cada). Já as batatas cozidas possuem 0% de gordura.

Como os números indicam, o teor de gordura das batatas fritas pode variar muito. Este é potenciado pelo tempo de fritura, pela temperatura e até pelo corte das batatas. Quanto mais longa a fritura, mais baixa a temperatura e mais finas as batatas forem, mais gordura é absorvida. 

Deve escolher uma gordura com baixo teor em ácidos gordos saturados e polinsaturados eexistente sobretudo nas gorduras de origem animal que resista a temperaturas elevadas. As melhores opções são os óleos alimentares, de amendoim, de girassol e o azeite, dada a sua resistência ao calor e baixo teor de ácidos gordos saturados. Se deseja reduzir a quantidade de óleo, vale a pena informar-se sobre as fritadeiras a ar. Consulte também o teste a fritadeiras elétricas da DECO PROTESTE. 

Outra preocupação que deve ter presente é o risco de produção de acrilamida, uma substância classificada como “provavelmente cancerígena”. A acrilamida pode formar-se em alimentos ricos em frutose e glucose (chamados “açúcares redutores”), que contenham asparagina (um aminoácido) e sejam submetidos a temperaturas de 180°C ou mais, num meio com pouca água (como a fritura). Pode surgir nas batatas fritas, sejam elas caseiras, de restaurante, de pacote ou outras. Não existe nos alimentos crus, mas o seu aparecimento pode ser determinado por aspetos como a variedade e a temperatura de conservação das batatas.

Utensílios de cozinha de plástico ou madeira? As recomendações da DECO
Utensílios de cozinha de plástico ou madeira? As recomendações da DECO
Ver artigo

Para cozinhar de forma mais saudável e proteger-se da acrilamida, escolha variedades de batata nova (têm menos açúcar) e adequadas para fritar. Conserve-as acima de 6°C, num local sem luz. Corte as batatas em palitos grossos e, antes de fritar, mergulhe-as em água quente, para retirar os açúcares. De seguida, seque-as bem e frite poucas batatas de cada vez, a temperaturas entre 170°C e 175°C, e não as deixe demasiado tempo na fritadeira – assim que estiverem douradas, estão prontas! Envolva-as em papel absorvente, para retirar o excesso de óleo. 

Remova resíduos e restos de batata carbonizados do óleo usado. Quando este já estiver frio, guarde num local fresco e escuro. Renove o óleo a cada 10 ou 12 utilizações (ou ao fim de 3 meses, se for pouco usado). Se costuma fritar produtos congelados, renove o óleo com maior frequência. Nunca misture óleo usado com óleo novo. Se o óleo deitar muito fumo, exibir uma tonalidade escura ou produzir espuma está degradado e não deve ser reutilizado.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.