O Natal, sendo apenas um dia, desperta em nós um sentimento de indulgência alargado a todo o mês de dezembro e início de janeiro, e normalmente só depois do dia de Reis é que enfrentamos todo o estrago alimentar da quadra.

O espírito natalício, nas suas origens, obrigava até a um jejum purificador antes da grande data, contudo hoje poucos serão os que ainda a ele se submetem. O prejuízo maior vai para o seu organismo, que fica “congestionado” com tantas calorias, durante um período tão longo, sendo difícil que não surjam as queixas “estou inchada/o, pesada/o, tenho azia, flatulência, dor de cabeça e nas articulações (…), sinto-me tão mal!”. Pois é, um ciclo que se repete sem fim.

Repare que os doces típicos de Natal são muito ricos em gordura e açúcar e sendo itens extra à dieta diária (composta pelas cinco a seis refeições usuais), poderão somar cerca de 2500Kcal a mais, relativamente ao valor energético total diário usual (cerca de 1600Kcal para uma mulher de 55Kg e 1.60m).

Saiba que, nestas condições, facilmente adiciona um quilo ao seu peso em apenas três dias. E depois, se quiser perder este quilo, vai ter de cortar cerca de 500Kcal à sua dieta, todos os dias, durante duas semanas! Ou, se preferir queimar a energia extra através do exercício físico, conte com uma hora de corrida, todos os dias, também durante duas semanas! Enfim, o prazer de comer nesta quadra paga-se com muito esforço no novo ano.

Alguns valores, por 100g, para apontar e ajudá-la (o) a decidir:

  • Chocolate de leite: 546Kcal; 33,9g de gordura; 53,1g de açúcar
  • Bolo de chocolate: 456Kcal; 26,4g de gordura; 26,8g de açúcar
  • Bolo-rei: 398Kcal; 14,9g de gordura; 16,9g de açúcar
  • Sonhos: 389Kcal; 26,2g de gordura; 10,6g de açúcar
  • Rabanada: 293Kcal; 16,6g de gordura; 23,6g de açúcar
  • Pudim: 242Kcal; 4,7g de gordura; 44,8g de açúcar
  • Arroz doce: 231Kcal; 3,7g de gordura; 29,9g de açúcar
  • Leite-creme: 162Kcal; 6,8g de gordura; 18,5g de açúcar

Muito bem, agora que já enfrentou a verdade dos números, pensemos em estratégias para passar esta temporada de bem com a sua digestão, articulações, humor e balança.

Coloque na sua lista de presentes todos estes mimos para si:

- Antes de mais, não deixe o ginásio, exercite-se todos os dias durante meia hora.
- Diminua o tamanho do seu prato, para ter a sensação que já está a comer bastante, quando na verdade talvez tenha reduzido em cerca de metade a quantidade de comida que teria num prato maior.
- Não abandone as várias e pequenas refeições, ao longo do dia, que contribuem para manter os níveis de açúcar no sangue regulares e, desta forma, evita que surjam “ataques de fome”.
- No intervalo entre as refeições, a escolha de alimentos fonte de fibra, tais como frutas frescas, farelo de trigo, pistácios, barras de cereais integrais e sementes. Estes alimentos exigem um tempo de mastigação mais demorado, o que potencia o aumento da sensação de saciedade.
- Sopas, legumes cozidos e saladas devem fazer parte da composição do almoço e do jantar, porque lhe fornecem água e fibra, que auxiliam no controlo do apetite.
- Adoce o seu café ou chá com stévia.
- Utilize a fitoterapia: algumas plantas atuam beneficamente na eliminação das toxinas: bétula, alcachofra, funcho e chá verde, por exemplo. Uma infusão de funcho após as refeições, 0.5L de chá verde entre as refeições, ou uma mistura destas plantas em suplemento alimentar para diluir em água, durante alguns dias, com certeza irão fazer toda a diferença.

Por Pedro Lôbo do Vale, Médico Especialista em Medicina Geral e Familiar e consultor da Associação Portuguesa de Alimentação Racional e Suplementos Alimentares