Um infetado pelo Covid-19 foi hoje internado no Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra (CHUC), disse o presidente daquela unidade, Fernando Regateiros, referindo que este “é o primeiro e único caso” de internamento ali, motivado pela doença.

O cidadão que está internado, em isolamento, desde hoje, nos Hospitais da Universidade de Coimbra (HUC), uma das unidades que integra o CHUC, chegou ali já referenciado, adiantou Fernando Regateiro, escusando-se a adiantar mais pormenores sobre o caso concreto. 

Recomendações da DGS

A DGS acompanha a situação da expansão do novo coronavírus e recomenda:

  • Em Portugal, caso apresente sintomas de doença respiratória e tenha viajado de uma área afetada pelo novo coronavírus, as autoridades aconselham a que contacte a Saúde 24 (808 24 24 24). Caso se dirija a uma unidade de saúde deve informar de imediato o segurança ou o administrativo.
  • Evitar o contacto próximo com pessoas que sofram de infeções respiratórias agudas; evitar o contacto próximo com quem tem febre ou tosse;
  • Lavar frequentemente as mãos, especialmente após contacto direto com pessoas doentes, com detergente, sabão ou soluções à base de álcool;
  • Lavar as mãos sempre que se assoar, espirrar ou tossir;
  • Evitar o contacto direito com animais vivos em mercados de áreas afetadas por surtos;
  • Adotar medidas de etiqueta respiratória: tapar o nariz e boca quando espirrar ou tossir (com lenço de papel ou com o braço, nunca com as mãos; deitar o lenço de papel no lixo);
  • Evitar o consumo de produtos de animais crus, sobretudo carne e ovos;
  • Seguir as recomendações das autoridades de saúde do país onde se encontra.

A Direção-Geral da Saúde (DGS) informou, no dia 04, que até então tinham sido reportados com resultados positivos para o novo coronavírus cinco casos, três dos quais no Porto, um em Lisboa e outro em Coimbra, que foi internado no CHUC, mas que foi infetado pelo Covid-19, disse hoje à agência Lusa Fernando Regateiro.

No entanto, o CHUC tem avaliado diversos casos de suspeitas de infeção com o Covid-19, acrescentou o responsável, recordando que este é um hospital de referência, no âmbito da epidemia de coronovírus, onde o laboratório já está a fazer análises desde o dia 03, mas cujas situações não aconselharam internamento.

O presidente do conselho de administração do CHUC falava hoje, durante uma conferência de imprensa, para dar informação sobre a resposta do Centro Hospitalar à contingência gerada pelo Covid-19.

Fernando Regateiro assegurou que o CHUC tem vindo, há cerca de um mês, a trabalhar para, de acordo com o plano de contingência, dar “uma resposta robusta, preparada”, à epidemia.

Mas, apelou, nada substitui a necessidade de todas as pessoas encararem a situação, que já atinge “um número significativo de casos”, com “serenidade e responsabilidade”, adotando todas as precauções, como tem sido sublinhado pelas autoridades.

Entre as medidas adotadas pelo CHUC, de referir, designadamente, para a transferência para os HUC dos doentes da unidade de cuidados intensivos do Hospital Geral (vulgarmente identificado como Hospital dos Covões), de modo a ficar exclusivamente dedicada à doença e onde dispõe de nove camas para doentes críticos, uma capacidade que pode ser expandida, numa primeira fase, até 31 camas.

Também nos HUC há cerca de três dezenas de camas (incluindo quartos de isolamento) para receber este tipo de doentes, enquanto o Hospital Pediátrico de Coimbra está igualmente preparado, embora, nesta fase, apenas com sete camas, três das quais nos cuidados intensivos.

As visitas a doentes internados no CHUC foram, entretanto, restringidas, não sendo de excluir a necessidade de virem a ser interditadas, admitiu Fernando Regateiro, que, entretanto, também apela à compreensão e ao sentido de responsabilidade de quem quer visitar as pessoas ali internadas, que as deve evitar neste período.

Sobre os fatos adquiridos para proteger os profissionais dos CHUC, que não foram fabricados especificamente para o efeito, porque o mercado não tem capacidade de resposta, o presidente do Centro Hospitalar disse que “funcionam”, pois na situação “não se põe a questão da esterilidade, mas de barreira, de impermeabilidade", e foram testados por especialistas.

Em Portugal, a Direção-Geral da Saúde (DGS) atualizou hoje o número de infetados, que registou o maior aumento num dia (18), ao passar de 41 para 59.

A região Norte continua a registar o maior número de casos confirmados (36), seguida da Grande Lisboa (17) e das regiões Centro e do Algarve (três cada).

O boletim divulgado hoje assinala também que há 83 casos a aguardar resultado laboratorial e 3.066 contactos em vigilância, um aumento face aos 667 divulgados na terça-feira. No total, desde o início da epidemia, a DGS registou 471 casos suspeitos.

O Conselho Nacional de Saúde Pública (CNSP) reúne-se hoje para discutir medidas de contenção do surto de Covid-19, incluindo a possibilidade de antecipação das férias escolares da Páscoa.

As medidas já adotadas em Portugal para conter a epidemia incluem, entre outras, a suspensão das ligações aéreas com a Itália, a suspensão ou condicionamento de visitas a hospitais, lares e prisões, e a realização de jogos de futebol sem público.

Acompanhe aqui, ao minuto, todas as informações sobre o novo coronavírus em Portugal e no mundo.

Os vírus e os coronavírus: quais as diferenças?

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.