Em Vila Real, as instituições estão também a aplicar planos de contenção da infeção pelo novo coronavírus e, depois do Centro Hospitalar de Trás-os-Montes e Alto Douro (CHTMAD) ter anunciado a suspensão temporária das visitas aos doentes, foi a UTAD a informar que, a partir de hoje, não são autorizadas deslocações em serviço para países com casos confirmados do Covid-19.

Através de um despacho interno, o reitor da academia, António Fontainhas Fernandes, acrescentou ainda que a “organização de eventos académicos no campus, principalmente os que impliquem a participação presencial de pessoas externas, deverá ser reduzida ao mínimo, ficando condicionada a sua realização a parecer favorável da equipa de coordenação do plano de contingência Covid-19 da UTAD”.

A academia decidiu também suspender “os eventos e atividades desportivas da responsabilidade da UTAD” e recomenda que os “professores, investigadores, trabalhadores técnicos, administrativos e de gestão, bem como estudantes oriundos de áreas afetadas, devem voluntariamente submeter-se a um período de contenção social, de 14 dias, após a sua chegada ao país”.

Segundo o despacho do reitor, até que se encontrem disponíveis soluções de desinfeção para colocação junto dos terminais de leitura biométrica para controlo de assiduidade, está suspensa a utilização destes equipamentos.

Este documento será, de acordo com o responsável, objeto de revisão em função da evolução da avaliação que, em cada momento, for feita sobre a adequação das medidas adotadas à finalidade de prevenção e controlo da doença.

O plano de contingência da UTAD para a infeção pelo novo coronavírus visa “antecipar e gerir as possíveis repercussões da disseminação da infeção” na academia e identifica “áreas de isolamento” devidamente equipadas, para o caso de surgirem casos suspeitos.

A equipa coordenadora do plano é constituída pela Comissão de Biossegurança da UTAD e pela Escola Superior de Saúde.

Durante o fim de semana, o CHTMAD informou que as visitas a doentes nas unidades hospitalares de Chaves, Lamego, Vila Pouca de Aguiar e Vila Real “estão temporariamente suspensas” por indicação do Ministério da Saúde, no âmbito do plano de contenção da infeção pelo Covid-19.

“Apelamos à compreensão de todos perante esta medida preventiva que visa garantir a segurança dos nossos utentes, visitas e profissionais. Procuraremos minimizar o impacto desta medida preventiva numa ótica de salvaguarda do bem-estar dos nossos utentes e dos seus familiares”, salientou o conselho de administração.

A epidemia de Covid-19 foi detetada em dezembro, na China, e já provocou mais de 3.800 mortos.

Portugal regista 30 casos confirmados de infeção, segundo o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde (DGS), divulgado no domingo.

Todos os infetados, 18 homens e 12 mulheres, estão hospitalizados.

A DGS comunicou também que 447 pessoas estão sob vigilância por contactos com infetados.

Acompanhe aqui, ao minuto, todas as informações sobre o coronavírus (COVID-19) em Portugal e no mundo.

Como lavar bem as mãos?

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.