A pizza devido ao teor de hidratos de carbono e gordura muito elevados acaba por se tornar num alimento com uma densidade calórica bastante elevada, podendo ultrapassar as 1000kcal por pizza.

No entanto existem alternativas, para que continue a desfrutar desta receita sem comprometer todo o esforço feito nos dias anteriores. Para além de poder fazer a sua própria receita em casa, mesmo em restaurantes existem opções mais saudáveis do que outras. 

Lanches com menos de 150 calorias (recomendados por uma nutricionista)
Lanches com menos de 150 calorias (recomendados por uma nutricionista)
Ver artigo

Geralmente, as opções mais saudáveis e menos calóricas incluem alimentos como: queijos brancos, rúcula, tomate, cogumelos, legumes, fruta, frango, atum, ovo e bordas sem recheio e base fina. Este tipo de alimentos apresenta mais fibra o que possibilita a sensação de saciedade mais rapidamente, o que pode fazer com que se ingiram menos fatias de pizza durante a refeição. Por outro lado, as carnes magras e o peixe também são opções interessantes e alternativas ao bacon ou fiambre, por apresentarem um teor de gordura bastante mais reduzido.

Por outro lado, aquelas que devem ser consumidas com uma maior moderação, incluem alimentos como: bacon, quatro queijos, natas, queijo cheddar, uma vez que para além de apresentarem um valor calórico muito elevado, apresentam também um teor de gordura saturada muito elevada, que não é nutricionalmente interessante.

No entanto, a forma realmente mais saudável de comer pizza, é fazê-la diretamente em casa.

A base da pizza, geralmente rica em farinhas refinadas, é geralmente o que torna esta receita com um alto teor de hidratos de carbono.

É possível fazer uma base mais saudável e também com um baixo teor de hidratos de carbono e as opções vão desde utilizando claras de ovo, quinoa e aveia ou couve-flor como ingrediente principal na base.

A influência do micro-ondas nos alimentos
A influência do micro-ondas nos alimentos
Ver artigo

Por outro lado, optar pela tradicional massa de trigo, não tem que ser uma má opção. Utilizando farinhas integrais, que possuem um maior teor de fibra, vai haver uma maior saciedade em comparação com as farinhas de trigo refinadas.

Feita a base, o molho de tomate a utilizar pode ser caseiro ou de compra, desde que não tenha adição de outros ingredientes para além do tomate e de sal. Os ingredientes que a colocar como topping vão ditar quão calórica acaba por fica a pizza, pelo que é preferível optar por aqueles que produzem uma sensação de saciedade no final da refeição e que têm um teor de gorduras saturadas mais baixo.

É importante não esquecer, que não comendo pizza numa base de frequência muito regular, pode optar pela que mais gosta sem ter que pensar em calorias, uma vez que uma alimentação saudável e equilibrada também deve dar espaço a alimentos e receitas que apesar de não serem tão ricos do ponto de vista nutricional, alimentam a alma.

Um artigo da nutricionista Catarina Sofia Correia, da Clínica Tejo Saúde Bobadela e Fitness Hut - Grupo VivaGym.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.