O que ficámos a saber hoje em Portugal?

- Mais 37 mortes do que ontem

relatório desta sexta-feira da Direção-geral da Saúde (DGS) aponta para 246 mortos na sequência da COVID-19, mais 37 que ontem, o maior aumento desde o início da pandemia em Portugal (17,7%). A letalidade global da doença em Portugal é agora de 2,5%. Há ainda registo de 9.886 casos de infeção pelo vírus SARS-CoV-2 em todo país, mais 853 que ontem, uma subida de 9,4%. O número de recuperados mantém-se igual a quinta-feira: 68 pessoas já estão livres da doença.

- DGS alarga recomendação de uso de máscara cirúrgica a profissões de risco

DGS alargou a recomendação de uso de máscara cirúrgica na proteção contra a COVID-19 a profissionais “fora das instituições de saúde” que lidem com doentes ou suspeitos e aos que prestam “serviços essenciais” à população. Numa norma publicada hoje, a DGS diz que a máscara cirúrgica é "aconselhada fora das instituições de saúde” para quem possa “contactar diretamente com doentes suspeitos ou confirmados", bem como “com material utilizado pelos doentes”, abrangendo bombeiros, serviços de “limpeza e lavandaria”, profissionais ou voluntários de lares ou “pessoas institucionalizadas”, apoio “aos sem-abrigo” e funcionários de morgues ou cemitérios.

- DGS só ditará uso generalizado de máscaras se for recomendação internacional

A diretora-geral da Saúde, Graça Freitas, afirmou hoje que nenhuma medida isolada no combate "é milagrosa" e que o uso generalizado de máscaras será decidido em alinhamento com recomendações internacionais.

- PSP e GNR intensificaram fiscalizações

A GNR e PSP vão intensificar a partir de hoje ações de patrulhamento nas estradas, de sensibilização e fiscalização para garantir que a população vai cumprir com as medidas previstas no estado de emergência.

- 108 detenções no Estado de Emergência

Cento e oito detenções foram feitas nos primeiros 15 dias do estado de emergência devido à COVID-19 e mais de mil entradas foram recusadas no país através das fronteiras com Espanha, revelou hoje o ministro da Administração Interna. Eduardo Cabrita destacou 29 detenções por violação do dever de confinamento obrigatório, 10 por violação da cerca sanitária de Ovar e 16 por várias tentativas em manter abertos estabelecimentos comerciais que deviam estar encerrados

E no resto do mundo?

- 766 mortos em 24 horas em Itália

O número de infeções em Itália subiu para 119.827, mais 4.585 em 24 horas, um número inferior ao ontem (- 83 casos). Só no último dia contabilizaram-se mais 766 mortes, aumentando para 14.681 o total de óbitos no país. Pelo menos 19.758 pessoas já recuperaram completamente da doença, mais 1.480 que ontem. Do total de doentes, 50.456 estão a recuperar da doença em casa, havendo 28.540 hospitalizados. Desses, pelo menos 4.068 permanecem em unidades de cuidados intensivos.

- Espanha com mais de 900 mortos pelo segundo dia consecutivo

Nas últimas 24 horas, Espanha registou mais 932 mortes por COVID-19superando pelo segundo dia consecutivo a fasquia das 900 vítimas mortais. O balanço de vítimas do novo coronavírus em território espanhol é de agora 10.935 óbitos e 117.710 infetados. Na totalidade, Espanha conta com mais de 6.000 pessoas internadas em unidades de cuidados intensivos.

- Mais 569 mortes no Reino Unido

O Reino Unido registou mais 684 mortes entre pessoas infetadas, fazendo subir o total para 3.605 no Reino Unido, anunciou hoje o Ministério da Saúde.O número de mortes aumentou 23% face ao balanço anterior, enquanto que o número de casos positivos subiu para 38.168, mais 13% do que na quinta-feira.

- Pior do coronavírus "está por vir" em países em guerra, admite Guterres

O secretário-geral da ONU, António Guterres, reforçou hoje os apelos para um cessar-fogo global e um "combate partilhado" contra a pandemia da COVID-19, porque esta deve ser a única luta no mundo, realçando prudentemente os sinais positivos já dados nesse sentido. "O pior ainda está por vir", admitiu.

E, já agora, boas notícias:

- Medidas adotadas em Portugal foram das mais rápidas da Europa

As medidas para contenção do surto do novo coronavírus adotadas em Portugal foram das rápidas na União Europeia (UE), ainda antes do registo da primeira morte, enquanto as restrições aplicadas em Itália, Espanha e França foram das mais tardias.

- Pacientes que superaram coronavírus doam plasma para salvar vidas

A norte-americana Diana Berrent terminou a quarentena e está ansiosa para se juntar à batalha contra a pandemia e doar os seus valiosos anticorpos que, segundo investigadores científicos, podem vir a ajudar outros doentes com COVID-19.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.