Os portugueses que vão ser retirados confirmaram à Lusa que já estão reunidos no consulado francês em Wuhan, a partir de onde serão transportados, junto com outros 350 cidadãos europeus, a maioria franceses, para o avião, um Airbus A-380.

O avião da Hi Fly, uma companhia portuguesa, saiu de Beja na quinta-feira rumo a Paris, passado por Hanói, tendo chegado hoje a Wuhan, no centro da China, após uma segunda paragem em Hanói, irá partir um dia depois do previsto inicialmente.

"Por que motivo se agrava ao sétimo dia?" Coronavírus ainda é um mistério e há vários tratamentos em estudo
"Por que motivo se agrava ao sétimo dia?" Coronavírus ainda é um mistério e há vários tratamentos em estudo
Ver artigo

O Vietname suspendeu todas as ligações aéreas com a China, o que atrasou a saída do avião fretado pela União Europeia para ir buscar mais de uma centena de europeus a Wuhan, incluindo 17 portugueses. Anteriormente, a aeronave, um A380, esteve várias horas parada em Paris, França, também à espera de autorização para descolar em direção à China.

A China elevou hoje para 259 mortos e quase 12 mil infetados o balanço do surto de pneumonia provocado por um novo coronavírus (2019-nCoV) detetado em dezembro passado, em Wuhan, capital da província de Hubei (centro).

Além do território continental da China e das regiões semiautónomas chinesas de Macau e Hong Kong, há mais de 50 casos de infeção confirmados em 20 outros países - Tailândia, Japão, Coreia do Sul, Taiwan, Singapura, Vietname, Nepal, Malásia, Estados Unidos, Canadá, França, Alemanha, Itália, Reino Unido, Austrália, Finlândia, Emirados Árabes Unidos, Camboja, Filipinas e Índia.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) declarou na quinta-feira uma situação de emergência de saúde pública de âmbito internacional (PHEIC, na sigla inglesa) por causa do surto do novo coronavírus na China.

Vários países já começaram o repatriamento dos seus cidadãos de Wuhan, uma cidade com onze milhões de habitantes, que foi colocada sob quarentena, na semana passada, com saídas e entradas interditadas pelas autoridades durante período indefinido.

A quarentena foi, entretanto, alargada a mais quinze cidades, próximas de Wuhan, afetando, no conjunto, mais de 50 milhões de pessoas.

Nos últimos dias, diversas companhias suspenderam as ligações aéreas com a China. Rússia, Coreia do Norte e Vietname encerraram as fronteiras com o país, enquanto alguns países pararam de emitir vistos para cidadãos chineses.

Dois hospitais vão receber portugueses regressados de Wuhan

A diretora-geral da Saúde, Graça Freitas, convocou ontem ao fim da tarde uma conferência de imprensa para fazer um balanço do surto do novo coronavírus. Graça Freitas admitiu que o grupo de portugueses que vai regressar da China é "especial", por estar no "epicentro de uma nova doença".

A diretora-geral da Saúde indica que o Ministério disponibiliza instalações tranquilas e dignas para que possam estar em "isolamento profilático", desde que aceitem estas condições. O Hospital Pulido Valente, em Lisboa, e o Hospital Militar, no Porto, serão as unidades com instalações para estes portugueses que regressam da zona de Wuahn.

Veja em baixo o mapa interativo com todos os casos de coronavírus confirmados

Vírus continua a alastrar

A China elevou para 259 mortos e mais de 10 mil infetados o balanço do surto de pneumonia provocado por um novo coronavírus (2019-nCoV) detetado no final do ano em Wuhan, capital da província de Hubei (centro).

Várias companhias suspendem voos para a China: conheça todas as alterações
Várias companhias suspendem voos para a China: conheça todas as alterações
Ver artigo

Além do território continental da China e das regiões chinesas de Macau e Hong Kong, há mais de 50 casos de infeção confirmados em 20 outros países – Tailândia, Japão, Coreia do Sul, Taiwan, Singapura, Vietname, Nepal, Malásia, Estados Unidos, Canadá, França, Alemanha, Itália, Reino Unido, Austrália, Finlândia, Emirados Árabes Unidos, Camboja, Filipinas e Índia.

A OMS declarou na quinta-feira uma situação de emergência de saúde pública de âmbito internacional (PHEIC, na sigla inglesa) por causa do surto do novo coronavírus na China.

Uma emergência de saúde pública internacional supõe a adoção de medidas de prevenção e coordenação à escala mundial. Esta é a sexta vez que a OMS declara uma emergência de saúde pública de âmbito internacional. Para a declarar, a OMS considerou três critérios: uma situação extraordinária, o risco de rápida expansão para outros países e a exigência de uma resposta internacional coordenada.

Veja a cronologia da expansão do vírus em imagens

Veja o vídeo: Coronavírus: o que é uma sala de pressão negativa?

Notícia atualizada às 13h20 com informações sobre os portugueses.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.