Uma investigação conduzida nos Estados Unidos revela que os alimentos sem glúten destinados, sobretudo, aos doentes celíacos contêm uma maior quantidade de metais tóxicos, como o mercúrio e o arsénio, do que os alimentos com aquela substância natural.

Liderado por Maria Argos, professora assistente de Epidemiologia na Universidade de Illinois, em Chicago, o estudo analisou dados de milhares de norte-americanos, com idades entre os 6 e os 80 anos, recolhidos na Sondagem de Análise da Saúde e Nutrição dos Estados Unidos. Do total de participantes, foram identificados 73 indivíduos que diziam seguir uma dieta exclusivamente sem glúten.

De acordo com o estudo, os participantes que seguiam este tipo de dieta apresentavam mais de dois terços (cerca de 70%) dos níveis de arsénio na urina e mercúrio no sangue em comparação com os outros participantes.

Veja ainda: 10 alimentos venenosos que podem matar

Saiba maisAs intoxicações alimentares que podem matar

Segundo a autora principal do estudo, "estes resultados indicam que o consumo de uma dieta sem glúten pode acatar consequências indesejadas" para o organismo humano. Os investigadores adiantam, no entanto, que são necessários mais estudos para concluir que este tipo de dieta apresenta riscos para a saúde.

Os produtos sem glúten contêm frequentemente farinha de arroz que funciona como um substituto do trigo, centeio e cevada. O arroz costuma acumular arsénio e mercúrio oriundos dos fertilizantes, da água e dos solos. Segundo os autores deste estudo, este tipo de metais estão presentes naturalmente no meio-ambiente, mas fazem aumentar o risco de cancro, doença coronária e problemas neurodegenerativos no ser humano.

O que é o glúten?

O glúten é um conjunto de proteínas que se encontra no endosperma de cereais como o trigo, a cevada, o centeio e a aveia. A doença celíaca é uma doença que afeta, na Europa, cerca de 1% da população. Em Portugal, estima-se que 1 a 3% da população portuguesa seja celíaca, mas apenas 10 000 pessoas estarão diagnosticadas.

Segundo a Associação Portuguesa de Celíacos, a doença celíaca é uma patologia auto-imune que ocorre em indivíduos com predisposição genética, sendo causada pela permanente hipersensibilidade ao glúten. A ingestão desta substância provoca um estado de inflamação crónica na mucosa intestinal, o que desencadeia uma série de reações imunológicas contra o próprio intestino que modificam a sua mucosa e provocam consequências, como a diminuição da absorção de nutrientes e o aumento do risco de doenças, como a osteoporose.

O tratamento da doença celíaca passa exclusivamente por uma dieta isenta de glúten.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.