Com este ritual ligado às raízes da terra, vai imergir num mundo de beleza, tradições e costumes de outros tempos. O objetivo é esquecer o stress diário e relaxar. O ritual Khanya engloba um peeling e uma massagem, que nos fazem viajar até África.

África é um continente fascinante de natureza infinita, com uma riqueza impressionante de flora e fauna, cores incomparáveis e uma multiplicidade de culturas, tradições e costumes. O modo de vida dos aborígenes africanos como caçadores, sempre em harmonia com a natureza, é uma das formas de vida mais antigas da humanidade, permitindo- lhes sobreviver, inclusive, em lugares como o deserto do Kalahari.

Por isso, não é de estranhar que os habitantes primitivos de África, que vivem muito longe de qualquer forma de civilização, dominem, de forma superior e muito especial, as forças curativas da natureza, transmitindo-as de geração em geração.

Essas tradições e métodos curativos africanos gozam cada vez mais de maior interesse e reconhecimento a nível mundial. Seguindo este conceito, existem alguns rituais spa que conjugam o caráter primitivo de África com a sua indiscutível natureza, as suas tradições, os seus ritos e costumes de tempos remotos. Com o ritual Khanya faremos uma viagem ao coração da mãe África.

Novo começo
Muito antes da nossa era, os habitantes primitivos de África orientavam-se pelas fases da lua para definir e delimitar os dias, as semanas e os meses. Assim, quando a meia-lua crescia ao máximo (quarto crescente), isto não só significava o início de um novo mês mas também de um novo começo em geral.

O nome Khanya baseia-se na união primitiva com a lua, algo similar a atiçar a luz (“to let the light shine”). Quando a lua alcança o seu ponto máximo, começa a crescer de novo até se converter em lua cheia (luz plena). A luz é sinónimo de força e energia, assim, igual à luz que brilha, esta massagem transforma a energia do organismo, permitindo que esta flua em harmonia.

Acessórios
Neste ritual são utilizados os seguintes acessórios:
• 3 Pedras medianas negras
• 1 Disco quartzo rosa
• 2 Maracas
• Sal fino
• Óleo de massagem de marula
• Chá de erva-cidreira

Saiba mais na próxima página

O que é o óleo de Marula?
A árvore de marula cresce na África Central e África do Sul. Tanto para os humanos como para os animais esta árvore possui uma atração de caráter místico, porque em torno dela existe uma grande diversidade de fábulas e lendas. O caroço da fruta da marula contém sementes comestíveis consideradas um manjar a nível regional, e é dessas sementes prensadas que se obtém o óleo de marula. Este valioso óleo é especialmente rico em ácidos gordos essenciais e possui um alto teor de vitamina E natural.

Efeitos do Óleo de Marula
• Repara a função da barreira da pele
• Luta contra os radicais livres
• Mantém a pele sã
• Retém a hidratação
• Suaviza a pele

Ambiente
O ideal é usufruir deste ritual numa sala/gabinete com temperatura agradável e ao som de um CD com música de origem africana onde se oiçam barulhos de natureza que transmitam calma e serenidade.

Ritual de boas-vindas
Com 2 toalhas humedecidas no chá de cidreira bem quentinho, os nossos pés são objeto de uma relaxante massagem, com recurso ainda a algumas pressões e estiramentos. São também colocadas as pedras medianas em torno dos pés, para que a energia flua. 

Massagem dos pés e das pernas
Aplicam-se pontos de pressão em toda a linha central dos pés. Seguem-se suaves movimentos de alisamento nas pernas, desde o calcanhar até ao glúteo passando pela parte posterior da perna e planta do pé. Por fim, faz-se uma suave massagem nos pontos de pressão sobre a planta do pé.

Cerimónia de limpeza corporal
Aplica-se uma camada generosa de óleo de marula previamente aquecido, começa-se pela perna direita, depois a esquerda e, por último, as costas… O óleo deve ser distribuído em sentido ascendente. Pulveriza-se com sal marinho (previamente aquecido) desenhando símbolos sobre diversas partes do corpo. Este é colocado com o desenho de serpenteado de serpentes (símbolo da renovação). O sal limpa e purifica a pele.

Pernas
Linhas sinuosas a imitar uma serpente, sendo que a cabeça da mesma se inicia no pé com um pequeno círculo. Em seguida realiza-se o peeling começando pela planta do pé até ao glúteo.
Costas
Dois círculos de sal símbolo de perfeição. Procede-se ao peeling.
Braços
Começa-se com a cabeça da serpente na mão e linhas sinuosas imitando a serpente no braço (símbolo da renovação). Realiza-se o peeling. Acabamos todo este ritual somos convidados a tomar um duche.

Saiba mais na próxima página

Massagem
Esta massagem tem como finalidade ativar as energias vitais e permitir que essas energias entrem em harmonia. A massagem é iniciada na parte de trás do corpo, de barriga para baixo na marquesa de massagem (decúbito ventral).

Pernas
Realizam-se movimentos ascendentes da perna direita desde os dedos dos pés até ao glúteo, descendo pela parte exterior da perna. Em continuação, realizam-se movimentos firmes alternados com as maracas, porém em sentido descendente, desde o glúteo até ao calcanhar e ponta dos dedos dos pés.

Costas
Sobre a toalha realizam-se movimentos fluidos ascendendo sobre a zona inferior e interior das costas (perto da coluna) até à nuca e regressa-se à posição inicial pelo lado externo, passando pelo ombro. É trabalhada primeiro a metade direita das costas e depois a esquerda. Realizam-se depois movimentos firmes e alternados com as maracas, também por cima da toalha, em sentido descendente, desde a nuca até à parte inferior das costas. De seguida viramo-nos, e a massagem na parte da frente do corpo (decúbito dorsal) tem inicio.

Barriga
Distribui-se o óleo de marula (quente) circularmente e no sentido dos ponteiros de relógio. Depois do terceiro círculo, são efetuados movimentos de deslizamento pela cintura e desde aí continua até ao umbigo, descrevendo ondas. A barriga é coberta pela toalha e, em cima desta, na direção do umbigo coloca-se o quartzo rosa.

Braços
Realizam-se movimentos fluidos pela parte interior do braço subindo desde a ponta dos dedos até à parte superior do braço e regressa-se à posição inicial pela lateral do braço. Com as maracas realizam-se movimentos firmes e alternados em sentido descendente. Desde o ombro, ao cotovelo e às mãos.

Ritual de despedida
O calcito (pedra) é colocado na nossa cabeceira, à altura das orelhas. Rodam-se ritmicamente ambas as maracas sobre a toalha começando pelo ombro direito, toda a parte lateral do corpo até aos pés. Por fim, realizam-se movimentos suaves rodando as maracas para que deixemos o estado de relaxamento profundo em que nos encontramos, de uma forma delicada. No final bebemos um chá e sentimos um equilíbrio mental, energético e físico, assim como uma sensação de suavidade extrema, ao nível da pele.

Edição: Patrícia Velez Filipe
Profissional: Fernanda Bragança, esteticista, cosmetologista, formadora e empresária
Modelo: Irma Lombardi
Fotografia: Juanita Lombardi
Agradecimentos: Mulher Centro de Estética, Guimarães; Babor

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.