Os ouvidos não precisam de ser limpos diariamente. A verdade é que, ao contrário do que se possa pensar, a cera não é sinal de má higiene ou sujidade do ouvido, mas sim de defesa do organismo, ao impedir a entrada de partículas no canal auditivo. No entanto, o excesso de cera nos ouvidos pode refletir-se, a médio prazo em consequências (graves) que podem comprometer a saúde auditiva.

 “Como devo limpar os meus ouvidos?”. Esta é, sem dúvida, uma questão muito frequente no que à nossa higiene diz respeito. Certamente, a maioria das pessoas já ouviu o ditado popular: “os olhos e os ouvidos limpam-se com os cotovelos”. Mas o que quer isto dizer?

Antes de mais, é importante saber que a cera é uma substância naturalmente produzida pelo corpo humano e que tem a função de limpar, proteger e lubrificar os nossos ouvidos. Se por um lado, a cera permite que partículas em pó ou outro tipo de partículas com origem no exterior, fiquem presas, evitando que entrem profundamente no ouvido; por outro lado, através da mastigação, movimentos da mandíbula e crescimento da pele no canal auditivo ocorre a mobilização da cera “mais antiga” em direção à abertura do canal auditivo, onde ela se solta ou é removida quando tomamos banho. Deste modo, compreendemos que a presença de cera não é sinal de má higiene ou sujidade do ouvido, mas sim de proteção.

No entanto, em algumas situações, este processo de autolimpeza pode não ocorrer de forma eficaz e levar à acumulação de cera, em excesso, no canal auditivo, trazendo consequências para a audição, como por exemplo dificultar o diagnóstico de doenças do ouvido, como a otite média aguda.

Muitos são os profissionais de saúde auditiva que desaconselham o uso de cotonetes ou outros instrumentos para limpar os ouvidos, uma vez que, na maioria das vezes, pode ocorrer apenas uma remoção parcial da cera, sendo a restante empurrada, ainda mais, para dentro do canal auditivo, agravando os sintomas.

A Minisom indica 6 conselhos para limpar e prevenir cera nos ouvidos:

  • Não colocar nada nos ouvidos. O revestimento da orelha é sensível e pode ser facilmente danificado;
  • Não usar cotonetes. Estes podem danificar o canal auditivo, uma vez que empurram a cera para dentro, dificultando a sua remoção;
  • Lavar a parte visível da orelha e atrás da orelha com um pouco de sabonete. Em seguida, limpe o sabonete com os dedos lavados e seque com uma toalha fina;
  • Não mergulhar os ouvidos na água do banho, pois as bactérias do corpo podem entrar no canal auditivo e causar infeção;
  • Usar protetores auriculares para proteger os ouvidos das poeiras e do ruído;
  • Não ignorar os problemas de ouvidos. Eles não vão melhorar sem o tratamento adequado.

Em suma, podemos concluir que os ouvidos não necessitam de ser limpos diariamente nem em profundidade. No entanto, caso surjam sintomas, estes devem ser avaliados por um médico que indicará a forma mais eficaz e segura de tratamento.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.