Diferentes pessoas têm diferentes tipos de personalidade, sendo cada uma delas avaliada em dimensões específicas. Uma das dimensões é a extroversão que, na realidade, representa um contínuo entre a introversão, ambiversão e extroversão. Uma das melhores maneiras para entender as diferenças entre introvertidos, ambivertidos e extrovertidos é a forma como “recarregam” energia no dia-a-dia. 

Um introvertido é uma pessoa que prefere ficar sozinha em vez de estar em situações sociais. São pessoas que gostam de eventos mais íntimos, pois os maiores exigem mais energia e requerem um maior esforço. São pessoas que tendem a ter um pequeno grupo de amigos e que se divertem com esse grupo. Geralmente, são autoconscientes, contemplativos e atenciosos, ou seja, parecem ter um maior grau de sensibilidade, porque passam mais tempo sozinhos com os seus pensamentos e têm passatempos solitários.

Um extrovertido, por outro lado, é uma pessoa que gosta de ambientes estimulantes. Seja no trabalho ou em atividades sociais. São pessoas que se sentem-se energizados pela companhia de outros. Participar de reuniões sociais e ser o centro das atenções traz alegria e validação aos extrovertidos.

Já um ambivertido é alguém que exibe qualidades de introversão e extroversão. Os ambivertidos podem desfrutar de uma mistura de preferências de extroversão-introversão, o que pode significar que eles experimentam a validação tanto no tempo que passam sozinhos quanto em situações sociais. Ambos são necessários para estas pessoas, dependendo do seu humor no momento.

Neste artigo, irei focar-me nos introvertidos e uma primeira ideia a ter em mente é que, como referido anteriormente, a dimensão da extroversão é um contínuo. Isso significa que são raras as pessoas que se situam nos extremos, havendo vários tipos de introvertidos e de extrovertidos. No que concerne aos introvertidos, a investigação tem apontado quatro tipos:

  1. Introvertidos sociais. É o tipo "clássico" de introvertido. Os introvertidos sociais gostam de pequenos grupos e ambientes tranquilos em vez de multidões.
  2. Introvertidos pensantes/pensadores. As pessoas neste grupo costumam ser sonhadoras, passando muito tempo com os seus pensamentos. Tendem a ter uma grande imaginação e a serem criativas.
  3. Introvertidos-ansiosos. Muitas pessoas pensam nos introvertidos como sendo pessoas tímidas, mas enquanto a introversão é uma dimensão de personalidade, a timidez/vergonha é uma emoção. Nesta categoria particular de introvertidos, a timidez está presente. Os introvertidos-ansiosos procuram um tempo sozinhos não apenas porque gostam, mas também porque, muitas vezes, se sentem estranhos ou tímidos com outras pessoas.
  4. Introvertidos contidos/inibidos. Estes introvertidos pensam antes de agir, sendo ponderados e demorando muito tempo a tomar uma decisão e a agir em concordância.

Quais os principais mitos sobre os introvertidos?

  • Todos os introvertidos são tímidos. Alguns introvertidos podem ser tímidos, como vimos na tipificação apresentada acima, mas não se pode generalizar. Há introvertidos que não têm a menor dificuldade em socializar, mas que preferem ambientes mais restritos.
  • Os introvertidos são hostis. Ser introvertido não afeta o quão amigável você pode ser. Algumas pessoas podem pensar que os introvertidos são hostis porque não tendem a ter grandes grupos de amigos e podem refletir sobre as situações em silêncio, em vez de participar de conversas em reuniões. Isso pode assustar outras pessoas, levando-as a crer que estão a ser avaliadas e julgadas em silêncio.
  • Os introvertidos não podem ser líderes. Embora se possa pensar numa personalidade extrovertida quando imaginamos um líder, os introvertidos têm um enorme potencial para serem chefes e líderes. Algumas das suas qualidades tornam os introvertidos líderes eficazes: são bons ouvintes, não são impulsivos nas tomadas de decisão, analisam cuidadosamente todas as ações e são excelentes comunicadores (lembre-se que a introversão não tem a ver com a incapacidade de falar em público).
  • É muito difícil entrar no círculo social dos introvertidos. É verdade que os introvertidos preferem ter amizades profundas com poucas pessoas, mas isso não significa que não socializem e que não seja possível entrar no círculo social deles. Significa apenas que terão que reconhecer em si qualidades suficientes para passar para o núcleo mais íntimo ou para permanecer no círculo onde já se encontra – conhecidos e profissionais.

Alguns estudos mostram que os introvertidos são mais vulneráveis do que os extrovertidos à depressão, sendo mais propensos a terem baixa autoestima e pouco suporte social. Se é introvertido e está a lidar com algum problema de saúde mental ou necessita de ferramentas específicas, não hesite em procurar ajuda.

Um artigo da psicóloga clínica Laura Alho, da MIND | Instituto de Psicologia Clínica e Forense.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.