Mas isso não é uma verdade absoluta. Não para muitos, principalmente para aqueles que teimam em não ver o sol a brilhar.

O sol tem brilhado intensamente nos últimos dias; no entanto, para muitas pessoas, o que “brilha” é a escuridão presente no pensamento. Pensamento caracterizado por distorções cognitivas.

E o que são distorções cognitivas? As distorções cognitivas são formas de pensamentos que a nossa mente arranja (devido a várias experiências precoces, traumas, influências) e em que acreditamos a 100%; no entanto, não estão adaptados à realidade e não são, de todo, verdade.

Estes pensamentos reforçam emoções negativos e levam-nos, muitas vezes, a agir de forma incorreta. Portanto, são pensamentos errados, mas que nós que lidamos com eles, não conseguimos perceber de um dia para o outro.

E naqueles casos em que não consegue ver o sol a brilhar, isso é reflexo de distorções cognitivas (caso persista no tempo e/ou caso não tenha passado por nenhum situação negativa recente – por exemplo, se estiver num processo de luto é perfeitamente normal que não consiga sentir-se bem e feliz; e não são distorções cognitivas, mas sim emoções e pensamentos adaptados à situação pela qual está a passar).

O que fazer?

Primeiro que tudo perceber que quando o sol nasce, nasce de facto para todos. E todas as pessoas têm o direito de o deslumbrar e “saborear”.

A sua mente não está a deixar que isso aconteça? Então é fácil: procure a ajuda de um psicólogo. Juntos, irão encontrar a janela que, ao abrir, mostrar-lhe-á o sol  brilhante.

Tudo na vida pode mudar… Temos apenas de estar dispostos a isso.

Por Mafalda Leitão, Psicóloga nas Clínicas Em Forma

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.