Neste caso, e como qualquer outra emoção, a tristeza é, de forma geral, algo sentido temporariamente durante o dia ou num curto espaço de tempo. Contudo, quando a tristeza começa a ser mais recorrente, como se estivesse a definir o próprio estado psicológico do individuo, sem já perceber a razão de sentir esta emoção, é provável então que seja desenvolvida uma perturbação psicológica como a depressão.

O impacto da tristeza na saúde

Qualquer emoção tem um efeito psicossomático, isto é, uma repercussão no corpo. Quando nos sentimos tristes, é como se o corpo perdesse toda a sua energia, sentimo-nos desmotivados, sem vontade. Contrariamente ao que se poderia pensar, num estado de tristeza o cérebro é muito mais ativo do que num estado de tranquilidade. Isto porque a tristeza obriga a fecharmo-nos, isolarmo-nos do mundo exterior, para recordar, pensar, analisar, sofrer e permitir o processamento da dor sentida. Foi cientificamente demonstrado que a tristeza, tem um impacto negativo na saúde física, provocando alterações no sono; no apetite; no sistema imunitário; entre outras áreas. Neste sentido, é importante estar atento às nossas emoções.

A tristeza e depressão

Quando se fala de saúde mental ou psicológica, é importante perceber que não se trata apenas de emoções positivas. O nosso dia a dia é frequentemente caracterizado pela uma oscilação de emoções, positivas e negativas, que definem o equilíbrio emocional. É importante saber distinguir tristeza de depressão. A tristeza é uma emoção natural que surge, a maior parte das vezes, em situações de perda. Apesar de não gostarmos de sentir esta emoção, torna-se necessária no processo de superação da experiência dolorosa. De certa forma, a tristeza faz-nos entrar num estado de introspeção, desacelerando-nos fisicamente, obrigando-nos a parar para pensar e assimilar toda a situação negativa. Por outro lado, a depressão representa uma perturbação psicológica, caracterizada por uma tristeza de longa duração (meses, anos) que interfere com todo

deteriorando a sua qualidade de vida. Em suma, a depressão é uma perturbação

psicológica e não uma simples emoção.

Sintomas associados a estados depressivos

De forma geral, o estado depressivo pode dificultar ou até impossibilitar a sensação de

prazer perante as situações. Os sintomas mais comuns são: uma tristeza recorrente de

longa duração e de intensidade constante, isto é, que não diminui ou passa com o

tempo; irritabilidade; cansaço; alterações do sono e/ou do apetite; dificuldade de

concentração; perda de interesse e de entusiasmo; sintomas físicos como por

exemplo, dores de cabeça; pensamentos negativos associados à morte; sensações de

angústia, de culpa, de desespero, de vazio. De realçar que apesar desta categorização

dos sintomas, a depressão expressa-se em cada pessoa de forma diferente.

Sinais de um problema depressivo

Em consultório, as pessoas descrevem frequentemente uma falta de ânimo perante a

vida, de não conseguirem sentir prazer, de estarem perdidas e que nada mais faz

sentido. Estes são os principais sinais a ter em atenção. Sentir que de forma geral, não

se está bem. A depressão não é uma emoção. A perturbação depressiva representa um

estado de tristeza recorrente, apatia e desmotivação perante a vida.

Um artigo da psicóloga clínica Cécile Domingues, diretora clínica da Clínica da Mente.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.