A Supper Stars, empresa especializada em levar chefes de nomeada a cozinhar na casa de particulares, propõe para o Dia dos Namorados, jantares “Anti Valentine”. São quatro os menus propostos, por outros tantos chefes. Refeições a quatro passos, com amuse bouche, entrada, principal e sobremesa.

Na prática só terá de subscrever o serviço na página da Supper Stars, nos termos que a empresa apresenta. Os chefes chegam a casa do cliente “duas horas antes da hora acordada para o início do serviço, com todos os ingredientes e utensílios necessários. Os chefes preparam e servem a refeição, e no final arrumam a cozinha deixando-a como a encontraram”, anuncia a Supper Stars na sua página.

As ementas propostas orçam entre os 35,00 e os 70,00 euros por pessoa. Para estes jantares “Anti valentine” podemos contar com quatro chefes de serviço, Susana Cigarro, Daniel Cardoso, Paula Marques e Pedro Passos.

Em sentido oposto a Supper Stars propõe um conjunto de jantares românticos, com opções para diferentes gostos e apetites.

Em jeito de aperitivo ficam, aqui, as ementas propostas, assim como um perfil de cada um dos chefes para este “Anti Valentine”.

Chefe Susana Cigarro:

Para este jantar “Anti valentine” propõe como Amuse Bouche, Perninhas de rã com maionese, na Entrada, Gambas de "cabeça perdida" com crosta crocante e puré de couve flor , no Prato Principal, Pezinhos de porco com coentros. Para rematar, na Sobremesa, Bolo rançoso.

Susana Cigarro é natural de Montemor-o-Novo, define-se como uma verdadeira “alentejana de coração” com uma adoração pelos “pratos ricos da região, mas com a preocupação por tudo o que possa ser mais saudável”.  Formada em Londres, na escola Le Cordon Bleu, fez parte da equipa do L’And Vineyards, na sua terra natal, primeiro como assistente do chefe Miguel Laffan, depois como diretora de Food & Beverage – e isto em 2015, ano em que o restaurante ganhou a sua primeira estrela Michelin.

cozinhar comida chefs
AFP PHOTO / RONALDO SCHEMIDT

Chefe Daniel Cardoso

Amuse Bouche: Peixinhos da horta negros; Entrada, Pevidotto nero com tamboril; Prato Principal, Lombo de veado, puré de batata doce roxa, chips de mandioca e legumes feios; Sobremesa, Sticky toffee pudding.

Daniel é responsável por coisas tão simples e extraordinárias como organizar um crowdfunding para abrir um restaurante – Le Moustache Smokery – e aí fumar todos os pratos, desde o bacalhau, à cavala ou ao carapau, com madeiras de vários sabores, adaptando ao nosso país esta técnica norte-americana.

Para trás, ficaram a participação no “MasterChef Portugal”, a carreira de técnico de vendas ou a vida atrás dos balcões do Deutsche Bank. Hoje, o Daniel dedica-se ao seu novo grande amor, o restaurante Armazém da Alfândega, em Aveiro.

Chefe Paula Marques

Amuse Bouche, Bombom de foie e vinho do Porto ; Entrada, Duo de tártaros: ostras & gin e atum & gengibre , Primeiro Prato, Linguado braseado sobre risotto de beterraba e lima; Segundo Prato, Tornedó em pimenta preta, roquefort e aveludado de maçã verde; Sobremesa, Mousse de mascarpone e morangos flamejados em amaretto.

Para Paula Marques Tudo começou na cozinha da sua casa, com um avô alentejano e uma avó goesa. Foi assim que a Paula viveu grande parte da sua infância, entre o cheiro dos coentros e o perfume do cardamomo. Aqui, a sua avó Lili, a grande inspiração da sua cozinha, mostrou-lhe a liberdade que resulta da fusão de sabores e temperos.

Paula decidiu estudar literatura moderna e, durante alguns anos, trabalhou numa biblioteca. Aqui passou muitas e muitas horas a pesquisar livros de cozinha.

Entre a pesquisa e as memórias de infância rendeu-se à cozinha. Arrumou os livros, encheu-se de coragem e foi a um hotel perto de sua casa pedir para fazer um estágio na cozinha. E a partir daqui é história.

Foi o braço direito do Chefe Cordeiro no seu restaurante do Terreiro do Paço. No Porto de Santa Maria foi número dois, e foi Chefe Executiva do Barbatana by Porto de Santa Maria. De seguida veio a posição de chefe no Museu da Cerveja, tendo abraçado mais recentemente o seu novo projeto “I Love Petisco”.

No Carnaval, chefes cozinham a seis mãos em Vilamoura

Pedro Passos

Amuse Bouche: Tosta de pipocas com guacamole; Entrada, Creme de castanhas com cogumelos e camarão; Primeiro Prato, Risotto de abóbora e vieiras; Segundo Prato, Osso bucco, puré batata doce e chips de cheróvia, Sobremesa; Bolo húmido, maçã caramelizada, marshmallow e caramelo salgado.

Um jantar com amigos no Arzak, em San Sebastian, Espanha, foi a gota de água que empurrou Pedro Passos para uma nova missão de vida. Depois de uma refeição única teve a oportunidade de visitar a cozinha. Aí, ao ver todos aqueles cozinheiros de topo a trabalhar, totalmente concentrados e focados em produzir refeições espetaculares, quis ser um deles.

E assim foi. Formado no Instituto Superior Técnico como engenheiro de materiais, tendo trabalhado em IT durante mais de dezanos, o chefe Pedro Passos deixou tudo em nome da gastronomia.

Primeiro fez um curso na Escola de Hotelaria e Turismo de Lisboa, depois passou em alguns dos mais famosos restaurantes estrelados, como o Eleven ou a Feitoria, em Lisboa, The Fat Duck, em Inglaterra ou o Oaxen Krog, na Suécia.