Dantes chamava-se limpeza de pele. Hoje tem um nome mais pomposo: Microdermoabrasão e deixa a pele lisa e brilhante como nenhum outro tratamento.

A dermatologista Alexandra Osório é uma entusiasta deste tratamento para a pele. Na clínica Dermage, recentemente inaugurada, a esteticista Tânia Maia começa por limpar a pele para dar início ao tratamento.

A microdermoabrasão começa com a esfoliação suave dos cristais para retirar todas as células mortas. De seguida, a técnica aplica a máscara recomendada pela médica consoante a necessidade de cada pele e que pode tratar manchas, acne, ou rugas. O tratamento termina com uma massagem e creme hidradatante.

Segundo os dermatologistas, a microdermoabrasão é um dos procedimentos cosméticos mais populares e não invasivos realizados atualmente. Com o tempo, fatores como envelhecimento, fatores genéticos, danos causados pela exposição ao sol, acne, cicatrizes, e poros dilatados podem contribuir para a formação de rugas faciais e uma textura cutânea desarmoniosa na face. Habitualmente usada para tratar o rosto e pescoço, a microdermoabrasão pode reduzir com sucesso o aparecimento de rugas superficiais e cicatrizes, poros dilatados, acne e manchas de idade, devolvendo uma aparência mais suave e jovem.

O aparelho solta cristais finos e pressurizados, que, de modo semelhante a um jato, esfoliam o estrato córneo, ou a camada externa da pele. A camada córnea da pele é uma espécie de "tinta" que nos protege contra várias agressões: excesso de luz, humidade, calor, lesões físicas, etc.

A camada córnea é constituída basicamente de células mortas, coladas à camada mediana através do colágeno e elastina. É nela que ficam retidas os detritos da poluição. Por isso recomenda-se fazer uma esfoliação uma vez ao mês, tanto para tirar estes detritos como para retirar o excesso de células mortas.

Após o procedimento da microdermoabrasão, a pele pode ficar avermelhada durante as primeiras horas, mas estará apta a retomar a rotina normal logo após o tratamento.

À medida que novas células vão surgindo, a pele terá uma melhor textura e aparência geral. É importante perceber que, para manter os resultados de um procedimento de microdermoabrasão, provavelmente será necessário repetir aproximadamente cinco a dez tratamentos, dependendo do estado da pele.

Estudos clínicos sugerem que a repetição da microdermobrasão com regularidade pode influenciar a maneira como as camadas inferiores da pele crescem, assim como removem manchas mais profundas ao longo do tempo. Há evidências indicando que a perda rápida da humidade da pele pode obrigar as camadas inferiores a trabalhar mais rapidamente para levar células saudáveis até a superfície.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.