São 7 os principais fatores que contribuem para o envelhecimento global: o sol, o açúcar, o tabaco, a ausência de um regime de cuidados de pele, o stresse, o tempo e a má qualidade do sono.

De todos estes, o último é talvez aquele ao qual prestamos menos atenção. O sono é fundamental para o equilíbrio fisiológico, cognitivo e comportamental de cada um de nós e apresenta um impacto inimaginável na nossa saúde.

Atualmente, vários estudos se debruçam sobre o impacto do sono, por exemplo, na função e envelhecimento da pele. Um estudo conduzido em 2013, pela University Hospitals Case Medical Center (Sleep deprivation linked to aging skin, study suggests. Science Daily), verificou que o aumento dos sinais de envelhecimento da pele (linhas finas, alterações da pigmentação, perda da elasticidade) e a recuperação mais lenta da barreira cutânea após a radiação ultravioleta (UV) estão associados à má qualidade do sono.

Sono de má qualidade potência pálpebras caídas, olhos mais vermelhos e inchados, olheiras mais escuras. Mas não ficamos pela pele - a má qualidade do sono tem ainda impacto na saúde sexual - pessoas privadas do sono têm um aspeto mais baço, mais cansado, revelando-se menos atraentes aos olhos do próximo.

E quem tem culpa de tudo isto? Uma hormona chamada Melatonina, produzida pela nossa hipófise e intrinsecamente associada à regulação do sono, mas não só. Recentemente descobriu-se que a Melatonina tem efeitos antinflamatórios, antioxidantes, capacidade de regenerar os tecidos (sistema nervoso, fígado, osso, rim, bexiga, pele e músculo), de suprimir o crescimento neoplásico (combater o cancro) e de preservar a função mitocondrial (que são os motores das células).

Sabemos que os recetores da Melatonina não se encontram apenas no cérebro - podemos encontrá-los na pele humana e até mesmo nos folículos capilares (raíz do cabelo); estes recetores estão igualmente envolvidos na produção da Melatonina. Foi demonstrado, por exemplo, que a melatonina aplicada tópicamente na pele reduz as espécies reativas de oxigênio e reverte os sinais de envelhecimento da pele.

Mas a melatonina consegue fazer ainda outra coisa: tornar-nos mais elegantes e atléticos. A secreção inadequada de melatonina acelera não só o processo de envelhecimento, o risco de cancro, como leva ainda a acumulação de gordura.

Podemos melhorar a produção de melatonina apanhando algum sol, com protetor solar, todos os dias (mesmo no inverno). É esta a hormona da felicidade, que abre o apetite no final dos dias de praia e nos faz ficar ensonados nesses dias longos de luz.

Caso para dizer: antes de recorrer à Cirurgia Plástica invasiva, invista nos 7 fatores que enumerei no início. E quando lhe faltar vontade para se deitar a horas lembre-se: é um pacote anti-rugas e de perda de peso que está ali em casa, ao seu alcance, todos os dias.

Texto: Dra. Sofia Santareno, Cirurgiã Plástica do Board Europeu e Diretora Clínica da The Dr. Pure Clinic

Dra. Sofia Santareno, Cirurgiã Plástica do Board Europeu e Diretora Clínica da The Dr. Pure Clinic
Dra. Sofia Santareno, Cirurgiã Plástica do Board Europeu e Diretora Clínica da The Dr. Pure Clinic

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.