Centenas de mulheres querem comprovar se
realmente é possível perder 1 centímetro por sessão
com este milagre contra a gordura.

Está na
altura de desvendar o fenómeno da cavitação!

A cavitação é um fenómeno físico de vaporização de um
líquido pela redução da pressão, durante o seu movimento. «Quando
ondas ultra-sónicas de baixa frequência atingem um tecido, nomeadamente
o adiposo, criam pressões positivas e negativas gerando
milhões de micro-bolhas de ar no líquido intersticial», explica David
Brandão, médico especializado em Medicina Estética.

É utilizada
em Medicina há décadas para tratar, por exemplo, os cálculos renais,
mas foi desde a sua entrada triunfal no mundo da beleza que
se popularizou. O seu mecanismo de acção ainda é um segredo para
muitos e há tantos aparelhos que asseguram oferecer a autêntica
cavitação que a confusão é grande.

Técnica ou marketing?

Todos os aparelhos que existem no mercado asseguram
dispor das técnicas mais efectivas de cavitação. No entanto,
segundo David Brandão, «um fenómeno físico é demasiadamente
científico e matemático para existir mais do que um
tipo, portanto, cavitação só existe uma».

O que existe, sim, é
«outro sistema de ruptura do adipócito, também utilizando
ondas ultra-sónicas, chamado HIFU (High Intensity Fucused
Ultrasound). É uma tecnologia diferente que promove a
explosão directa do adipócito por altas intensidades de ultra-som focalizado realizadas por disparos», acrescenta.

«Trata-se
de um tratamento mais perigoso de realizar, mais limitado no
que diz respeito às zonas a tratar e muito mais difícil de obter
resultados imediatos, pois o desconhecimento da profundidade
do tecido adiposo faz com que, por segurança, se utilizem
intensidades não adaptadas à necessidade», explica o especialista.

Assim, quando se fala de equipamentos de ultra-som cavitacional,
o que os diferencia é a(s) frequência(s) que utilizam,
sendo que «algumas tecnologias não permitem utilizar intensidades
e frequências específicas de ultra-som necessárias
para o decorrer de todo o processo», realça o especialista.

Os benefícios

Cada sessão dura, aproximadamente, 35
minutos, e é dedicada unicamente a uma zona
(abdómen, glúteos, zona externa ou interna
da perna). O tratamento é indolor e não necessita
nem de hospitalização nem anestesia,
produzindo até um efeito relaxante.

«Os resultados são visíveis na primeira
sessão, sendo em média a perda de 3 centímetros», assegura David Brandão. Como
se recomendam 6 a 12 sessões, dependendo
da zona e da quantidade de gordura que se vai
eliminar, o processo é relativamente rápido.

A cavitação oferece segurança máxima ao paciente devido
ao diagnóstico e ao controlo prévio realizado
pelo próprio aparelho. Os resultados são duradouros.

O sistema de ultracavitação
elimina a célula adiposa, evitando a
sua reprodução. Contudo, se os hábitos alimentares
não melhorarem e não praticar exercício,
pode-se voltar a engordar.


Veja na página seguinte: O que sucede depois do tratamento

Depois do tratamento

Após a cavitação devem-se realizar tratamentos de drenagem
linfática manual, pressoterápica ou vacuoterápica para que a
gordura presente no interstício seja mais fácil e rapidamente absorvida.

«Não só por uma questão de obter melhores resultados, mas também para não se correr riscos pós-tratamento», revela David Brandão.

Para este médico, devem também ser aplicados ingredientes lipolíticos, drenantes e desinfiltrantes por técnicas transdérmicas (electroporação, ionização) para facilitar a absorção de toda a cadeia de triglicerídeos, bem como facilitar a drenagem local. A ingestão de determinado tipo de nutracêuticos, nomeadamente drenantes, depuradores hepáticos, ácidos gordos essenciais (Ómega 3 ), entre outros pode também potencializar os resultados obtidos.

Para além disso, «a Radiofrequência poderá ter indicação numa perspectiva de complementação do tratamento, pois previne o aparecimento de flacidez após a perda de volume da gordura», conclui.

O
tratamento passo a passo

1. O especialista começa a trabalhar uma zona exercendo uma pequena pressão com o cabeçal do aparelho. O paciente sente apenas um ligeiro calor na área que está a ser tratada.

2. Para obter uma maior eficácia e potenciar os efeitos do aparelho, aplica-se um gel condutor de efeito drenante durante as duas ou três primeira sessões.

3. Depois, em sessões posteriores, aplica-se outro gel que estimula a dissolução da gordura, potenciando o efeito da cavitação.

4. Recomenda-se também aplicação de um programa refirmante para provocar a coesão das fibras e uma forte activação da microcirculação em cada sessão.

5. No fim, emulsiona-se a restante área tratada com gel e água e realizam-se massagens drenantes.

6. Durante o tratamento, o paciente deve utilizar em casa, duas vezes ao dia, uma emulsão que tenha uma acção lipolítica e hidratante.

7. É imprescindível beber dois litros de água durante o dia para ajudar na eliminação de gordura.

8. Aconselha-se a seguir uma dieta hipocalórica durante o tratamento.

9. As sessões, desde que feitas em zonas diferentes, devem-se realizar com um espaço de 15 dias, tempo necessário para que o organismo elimine a gordura.
corpo.

Romper a gordura

De acordo com o director clínico do
Integral Medical Center, em Lisboa,
David Brandão, «após vários ciclos de
oscilação da pressão, esta aumenta
significativamente, fazendo com que as
micro-bolhas cresçam até colapsarem
e com que haja uma implosão com
consequente libertação de enorme
quantidade de energia que afecta o
tecido adiposo, capaz de gerar uma
quebra mecânica da membrana celular
do adipócito».

Essa fragmentação adipocitária
permite uma difusão da matriz
lipídica do adipócito no meio intersticial,
gerando uma emulsão estável que será
absorvida e metabolizada naturalmente
pelo organismo.

Texto: Rita Caetano

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.