Começou a dedicar-se a cozinhar para fora quando a crise começou a dar os primeiros sinais...Como é que isso aconteceu na sua vida?

Bem, foi mais quando a crise chegou a mim, Margarida. Estava
desempregada e tudo fazia para conseguir ganhar algum dinheiro.
Fiz uma lista de pratos e espalhei por conhecidos e amigos que
cozinhava para fora. E assim comecei...Entretanto o Centro Comunitário da Boa Nova ia abrir um Bar de apoio ao Auditório e ao Colégio e fui junto à direcção candidatar-me ao lugar.
Passado um mês a "cozinha da Tia Guida" começou.

A cozinha da Tia Guida consiste em confecionar pratos para fora, tipo marmitas, é isso?

Como referi, além de bar de apoio ao auditório, colégio, creche,
centro de dia, também servimos refeições para fora. São as "marmitas caseiras". Tento ter toda a qualidade no que sirvo e que os clientes voltem a ter aquele sabor, aquele "cheirinho" dos biscoitos, bolos e pratos de casa dos pais e avós que a corrida e o
stresse do dia-a-dia tira a muitos casais.

Como foi a procura...que tipo de clientes?

Muitos dos clientes estavam e estão no Centro - alunos,
professores, pais... A maior publicidade e o aumento de clientes veio
com aqueles que foram e provaram, saborearam e gostaram...

Hoje alargou o seu negócio para grandes eventos. Esta é uma forma rentável de se fazer uma festa nos dias que correm ou é só para bolsos mais abastados?

Estou a alargar. Já fizemos alguns eventos que tiveram lugar noAuditório e em outras Empresas. Contratar o nosso serviço pode ser para qualquer bolso. Ao virem ter
comigo tento perceber o que pretendem e quanto podem gastar. Há pratos
para todos os bolsos assim como pessoal de apoio e sobremesas.
Para uma festa ou um jantar menos dispendioso não quer dizer que só se
sirva croquetes e batatas fritas. Por vezes são pessoas que têm budgets
mais alargados e que têm saudades do tal sabor "caseiro"...
Ao longo deste tempo tenho tentado enriquecer a minha "cultura
gastronómica" e aprendendo e experimentando mais e mais receitas para
poder apresentar mais soluções.

Quais as suas dicas de poupança na hora de cozinhar?

Ir para as compras com uma lista e não se afastar da mesma. Estar
atento às promoções de cada local. Verificar se o preço indicado na
promoção não sairá mais dispendioso do que o que está ao lado.

A Margarida praticamente trocou as luzes da ribalta pelos temperos da sua cozinha...custou-lhe?

Não me custou. Precisava de uma vida mais calma, sem tanta
adrenalina. Cozinhar, criar novas receitas, lembrar outras tem-me
feito muito bem. Uma tarde na cozinha faz com que consiga descarregar
a minha adrenalina.
Ninguém pense que é uma vida fácil. Trabalho muito, muitas horas por
dia. Começo muitos dias às 7h e termino às 19: 20 e por vezes noite
fora. Mas estou satisfeita e tento dar o meu melhor.
Às vezes lamento não ter mais tempo para estar com a minha filha,
família e amigos mas hei-de conseguir orientar-me melhor.

Sempre gostou de cozinhar?

Sempre adorei cozinhar. Aos 15 anos estava cansada das
férias e resolvi fazer um curso de culinária. Depois sempre cozinhei
por prazer e foi sempre com gosto que cozinhava em casa para os
amigos.

Projetos para este ano?

Tenho novos projetos, sim e Deus queira que tenha tempo para os
pôr em prática. O site está no ar há cerca de quinze dias. Quero
aumentar o take away e fazer mais caterings para eventos e não só.
Há alguns produtos que quero comercializar como as "areias de Cascais"
que dizem que as faço como ninguém... as nozes de Cascais e outras
receitas encontradas no livro de receitas da minha Mãe...
Também fiz agora um curso para um novo serviço de decoração de bolos
de aniversário e de cupcakes. E, um outro projecto...mas esse ainda não revelo.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.