Segundo adiantou o diretor-geral do evento temático que aquela autarquia do distrito de Aveiro vem realizando desde 2008 com recurso à empresa municipal Feira Viva, essa última proposta é “inédita” na história da iniciativa.

“Este ano vamos ter três áreas temáticas. Mantemos a Quinta do Castelo, que sempre foi o espaço principal de Perlim, mas acrescentamos-lhe o mercado de Natal – que chegou a realizar-se no mercado municipal Fernando Távora, mas, como esse edifício também está em obras, agora ficará no largo do Rossio – e, pela primeira vez em 14 edições, vamos ter um circo, totalmente autónomo”, revelou Paulo Sérgio Pais à Lusa.

O mercado será de entrada gratuita, mas, durante os 25 dias alternados de funcionamento do parque temático, as duas outras propostas obrigam à aquisição de bilhete, com preços entre os seis e os 30 euros.

Qualquer que seja a modalidade escolhida, a programação principal decorre na Quinta do Castelo no período das 13:30 às 19:00 e, entre vários cenários alusivos ao imaginário natalício, vai integrar 24 espetáculos e performances diárias, abrangendo desde encenações de teatro com plateia fixa até animação itinerante ao longo do circuito.

O circo, por sua vez, ficará reservado para a apresentação do espetáculo “Magikal”, que é uma produção concebida especificamente para Perlim e estará em cena sempre às 11:00 e às 17:15, numa tenda instalada junto ao Rossio e com capacidade para 750 pessoas. Funcionará em dias de chuva, mesmo que a Quinta do Castelo seja encerrada devido às condições climatéricas.

“O circo materializa uma ambição que já tínhamos há muito tempo. Estivemos à espera de encontrar uma companhia alinhada com o espírito e a filosofia de Perlim, e encontrámos o que queríamos na Evolution Circus, que é nacional, integra artistas portugueses e espanhóis, e vai trazer a Santa Maria da Feira um espetáculo para todos os gostos, sem animais, inspirado pela magia”, declara Paulo Sérgio Pais.

A edição de 2022 do parque temático natalício de Santa Maria da Feira deverá receber cerca de 100.000 visitantes, “à semelhança de anos anteriores”, e, sobretudo no período próximo dos feriados de 1 e 8 de dezembro, grande parte da afluência será de origem espanhola.

O evento implica um investimento na ordem dos 700.000 euros, no que a porção relativa a custos energéticos tem sido, segundo o diretor da Feira Viva, “residual”. Mesmo assim, se antes o recinto principal mantinha a sua iluminação ligada para além do fecho de portas, até à meia-noite, “este ano as luzes vão ser sempre desligadas às 20:00”.

Sem considerar o pessoal afeto a espaços de restauração concessionados, em Perlim vão trabalhar diariamente cerca de 50 atores e figurantes, 20 elementos da equipa técnica da Feira Viva e ainda 90 voluntários afetos à bolsa de recursos humanos da empresa e a estágios curriculares de cursos profissionais.

 O acesso ao recinto tradicional de Perlim implica bilhetes ao preços de seis a oito euros ou pulseiras livre-acesso de 12 ou 15, consoante a data de compra, e os espetáculos da companhia Evolution Circus custarão entre 10 a 30 euros, de acordo com a idade do espetador.

“Haverá também a opção de comprar um pack Perlim + Circo, que oferece desconto na compra dos dois bilhetes e representa uma opção a ter em conta para quem quiser visitar o circo da parte da manhã e ver o resto à tarde”, referiu Paulo Sérgio Pais.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.