Nós não estamos habituados à palavra Perdão, e muito menos ao que o verdadeiro perdão significa.

Eu mesma não sei se sei... mas sei que descubro em cada dia o seu poder de pacificar a minha mente, de saber que tenho em mim a escolha.

A escolha entre estar bem ou mal com alguém. A escolha entre amar e detestar. A escolha entre abraçar ou repudiar. A escolha entre estar feliz ou não.

Às vezes basta uma pequenina tomada de consciência de que a “razão” não significa nada, de que o que os outros fazem ou dizem não significa rigorosamente nada para nós. O mais importante é aquilo que sentimos em relação aos outros. E se somos nós que sentimos, está dentro de nós, e não nos outros.

Quando se trata de relacionamentos, o PERDÃO é a palavra chave. Mas não o perdão a que estamos habituados, em que nos perdoamos por termos pecado e perdoamos o outro pelos seus pecados.

O pecado em si é acharmos que é possível pecar. A nossa forma de pensamento é em si um pecado. E esse pecado é aquilo que nos faz sofrer.

Perdoar é saber que o Ser está sempre em perfeita PAZ, e que aquilo que vemos é apenas um reflexo do nosso estado mental.

Nada daquilo que vemos, ouvimos e sentimos é realmente verdade. É apenas uma projecção, e quando alteramos a nossa perspectiva, a realidade exterior também aparenta mudar.

Será que vale a pena querer controlar tudo e todos?

Veja na próxima página a continuação do artigo..

Será que vale a pena querer que tudo à nossa volta seja perfeito? Querer terminar discussões, querer que os outros nos compreendam e compreendam aquilo que estamos a pensar e a sentir?

Será que os outros têm realmente algum poder sobre a forma como nos sentimos?

Ou será isso uma grande ilusão do ego para nos manter prisioneiros de uma realidade que nunca nos trará paz?

Porque se estamos à espera que os outros mudem para que possamos viver em total estado de paz e harmonia, vamos continuar à espera do impossível.

Nada do que está no nosso exterior pode mudar de forma duradoura, se nós, aquele que OBSERVA a realidade, não alterar as “óculos” com os quais está a observar a realidade.

E o perdão é assim mesmo, alterar os “óculos” da raiva para o amor. Ou melhor, retirar qualquer tipo de “óculos”, retirar qualquer tipo de obstáculos ao verdadeiro Amor.

De que vale discutir? De que vale ter razão? De que vale dizer que precisamos do amor dos outros? De que vale lutar para viver feliz? De que vale a luta em si? De que vale procurar por algo fora de nós, quando a nossa essência É tudo?

De que vale mudar tantas vezes de “óculos”, ver a realidade de tantas e tantas formas diferentes, e nunca estar satisfeito com nada?

De que vale reclamar? De que vale apontar os erros dos outros? De que vale querer mudar os outros?

Veja na próxima página a continuação do artigo..

De que vale remoer o passado? De que vale querer mudar o passado?

HOJE, AQUI E AGORA é o nosso momento de poder!

Não vale a pena andar a correr atrás de um futuro que não chega e cansar a nossa mente e o nosso coração com as dores e mágoas do passado.

As pessoas que nos rodeiam hoje são aquelas que têm AMOR para nos ensinar, para nos dar, e essencialmente para receber de nós.

O nosso papel é dar Amor, de todas as formas. E não damos com actos e palavras apenas. Damos essencialmente com o nosso carinho mental, com a nossa aceitação, com o NOSSO AMOR.

Damos com os nossos pensamentos. Com aquilo que realmente pensamos das pessoas.

O perdão é completo quando apenas sentimos AMOR por alguém. Não existem outros pensamentos, outras memórias ou emoções a obstruir o livre fluir de amor e paz numa relação.

Como seria o nosso mundo se hoje, aqui e AGORA, escolhêssemos uma pessoas nas nossas vidas para perdoar?

E que melhor forma de perdoar do que perceber o perdão tal como é?

“Que eu perceba o perdão tal como é.” – Um Curso Em Milagres

Veja na próxima página a continuação do artigo..

Ângela Vieira

Ângela Vieira

Ângela Vieira licenciou-se em Matemática Aplicada à Tecnologia e rapidamente se deu conta do fascínio que tem pelo ser humano e o seu desenvolvimento pessoal.
Esta paixão levou-a a abraçar novas aventuras, como o Reiki, Cura Multidimensional, Coaching e Terapias de Libertação Emocional.
Actualmente o seu objectivo pessoal é apoiar as pessoas a ultrapassarem desafios e atingirem objectivos, com o auxílio do coaching e técnicas de libertação emocional (EFT e outras).
A auto-estima, sendo a base para a construção de uma vida de sucesso em todas as áreas, é a área mais importante do seu estudo e serviços.
Desenvolver a auto-estima e estimular o renascimento da criatividade pessoal é o propósito do seu trabalho.

Contactos:

Ângela Vieira

934900443
Email: angelamaria.mvieira@gmail.com
Blogs:
http://mudancacriativa.blogspot.com/

Coordenação de Conteúdos:
Heloisa Miranda
email: sapozen@sapo.pt
Veja o programa SAPO Zen: zen.sapo.pt

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.