O sene, uma planta nativa originária do continente africano, tem como princípios ativos as antraquinonas, senosídeos A e B, que estimulam o trânsito intestinal de duas formas. Em pouca quantidade, aumenta a concentração de água no cólon, reduzindo a absorção de líquidos por esta via, ao mesmo tempo, liberta prostaglandinas que, juntamente com o cálcio, estimulam as contrações do músculo intestinal.

Se for administrado em grande quantidade, tem um efeito laxativo por irritação das paredes do cólon, como se confirmou uma investigação com duas décadas e meia. Um estudo publicado em 1993 no British Medical Journal, realizado em pacientes idosos, concluiu que o sene tem mais vantagens que a lactulose, com menos efeitos secundários e um preço mais reduzido, no tratamento da prisão de ventre.

Num estudo de 2010, realizado pelo Departamento de Ginecologia e Obstetrícia da Universidade de Medicina de Connecticut, nos EUA, o sene foi administrado no pré e pós-operatório de pacientes sujeitos a reconstrução pélvica. Os 48 pacientes que tomaram sene obtiveram a primeira evacuação, em média, ao fim de três dias, enquanto os 45 pacientes que tomaram placebo demoraram quatro dias a consegui-lo.

Principais propriedades

O recurso a esta planta está indicado no tratamento da obstipação de uma forma suave ou purgante, consoante a dosagem relacionada com a intenção terapêutica. O sene é uma das plantas mais utilizadas para a obstipação, porque, já desde a década de 1970, os estudos confirmam a sua eficácia, não só na obstipação mais comum mas também noutros tipos, como afirmam muitos especialistas e investigadores.

É também eficaz quando a obstipação é provocada por outras causas, tais como pacientes com cancro a tomarem opiáceos ou pessoas acamadas durante muito tempo devido a uma grande cirurgia, na preparação para cirurgia, com maior eficácia e menos efeitos secundários que outros laxantes, como comprovaram as muitas experiências levadas a cabo por especialistas internacionais nas últimas décadas.

Outras indicações

É um auxiliar no tratamento da obesidade. O sene tem ainda uma ação antioxidante, antiviral e antibacteriana ao nível do cólon, como comprovaram várias investigações internacionais ao longo das últimas décadas.

Administração

Utilizam-se os folíolos ou folículos do sene. Tome 50 a 100 miligramas por dia em extrato seco ou dois a três folículos para uma chávena de chá.

Precauções

Não utilize as folhas, que são demasiado irritativas. Não utilize durante mais de uma semana em doses elevadas e, mesmo em doses reduzidas, não utilize mais de um mês e sempre conjuntamente com plantas emolientes, que ajudam a regenerar as paredes do cólon, como é o caso da salva, da alteia, das malvas ou do gel de aloé vera.

Remédio caseiro

Prepare um estimulante da vesícula. Se houver um historial de vesícula preguiçosa, inclua na alimentação corações de alcachofra ou rábano negro, que vão aumentar a eficácia do sene por um aumento de bílis no cólon, uma substância que torna as fezes mais moles e facilita a evacuação.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.