De acordo com informação disponibilizada por entidades como o Centers for Disease Control and Prevention (CDC), é fundamental que os idosos, bem como as pessoas que integram outros grupos de risco, adotem atempadamente medidas de precaução no sentido de minimizarem o risco de virem a contrair COVID-19. É igualmente essencial que saibam o que fazer se apresentarem sinais de alarme e também caso tenham de ficar em isolamento profilático.

Existem vários tipos de medidas que devem ser adotadas pelos mais velhos e também pelas pessoas que têm patologias crónicas, nomeadamente doenças cardíacas, doenças pulmonares, doenças autoimunes e diabetes, para se defenderem dos riscos do novo coronavírus, que Jorge Atouguia, médico especialista em infecciologia e medicina tropical e presidente da Sociedade Portuguesa de Medicina do Viajante, apontou em entrevista à revista Prevenir.

10 medidas para reduzir o risco de ficar doente

1. Permaneça em casa o máximo de tempo possível. Siga os conselhos da Direção-Geral da Saúde e restrinja as saídas à rua ao mínimo indispensável, tendo sempre o cuidado de deixar os sapatos à porta e de lavar a roupa que usou nessa deslocação no regresso a casa. Se tiver mesmo que sair, fique afastado de pessoas doentes.

2. Mantenha-se a uma distância de segurança das pessoas que vivem consigo, evitando o contacto próximo. Por muito que lhe possa custar, nesta fase estão desaconselhados todos os afetos físicos.

3. Se for a um local público por uma razão de força maior, faça como faz em casa. Mantenha-se afastado das pessoas e limite igualmente o contacto próximo. Apertos de mãos e beijos estão completamente interditos.

4. Lave frequentemente as mãos com água e sabão durante, pelo menos, 20 segundos. Deve fazê-lo principalmente depois de assoar o nariz, de tossir ou de espirrar. Depois de convenientemente lavadas, as mãos devem ser secas.

5. Em locais públicos, evite o contacto com superfícies como botões do elevador, maçanetas e corrimãos. Se precisar de tocar em algo, deve fazê-lo utilizando um lenço de papel, que deve deitar para o lixo de imediato. A seguir, as mãos devem ser lavadas.

6. Se não tiver água e sabão, pode usar um desinfetante para as mãos que contenha pelo menos 70% de álcool.

7. É importante tentar não tocar na cara, no nariz, na boca e nos olhos com as mãos. Se tem esse hábito, muitas vezes instintivo, procure contrariá-lo rapidamente.

8. Nos casos em que tiver mesmo de sair de casa, evite multidões, especialmente em espaços com pouca ventilação. O risco de exposição a vírus respiratórios pode aumentar em ambientes fechados e com pouca circulação. Especialmente se houver pessoas doentes presentes.

9. Evite as viagens aéreas, as deslocações por mar e todas as outras movimentações que não sejam essenciais nesta fase. É importante que se resguarde ao máximo para proteger a sua saúde e também a dos que o rodeiam.

10. Se houver um cluster de COVID-19 na sua comunidade, evite ao máximo o contacto próximo com pessoas e, se possível, mantenha-se permanentemente em casa, como recomenda a Direção-Geral da Saúde.

5 cuidados que deve ter durante a permanência em casa

1. Assegure-se de que tem mantimentos suficientes para ficar em casa durante algum tempo e, caso necessário, peça ajuda a um familiar ou a um amigo no sentido de obter um reforço, nomeadamente de produtos frescos, que têm uma perecibilidade maior. Em alternativa, recorra às lojas de comércio eletrónico para adquirir os produtos de que precisa.

2. Garanta que tem os medicamentos que toma habitualmente em quantidade suficiente para uma estadia em casa mais prolongada. Se necessário, contacte o seu médico. Há farmácias que fazem entrega de fármacos ao domicílio. Se for caso disso, faça uma pesquisa na internet ou procure obter essa informação no seu centro de saúde habitual.

3. Certifique-se de que tem em casa medicamentos para tratar a febre e outros sintomas da covid-19, nomeadamente paracetamol, lenços de papel e outros objetos de proteção que possam ser necessários. Na maior parte dos casos, as pessoas que adoecem na sequência de uma infeção causada pelo novo coronavírus conseguem recuperar em casa.

4. Lave as mãos frequentemente. Ao contrário do que muitos ainda pensam, lá por estar em casa não deve deixar de ter esse gesto preventivo.

5. Faça limpezas regulares em casa. Desinfete as superfícies em que toca com frequência, como é o caso das mesas, das maçanetas, dos puxadores, dos interruptores, dos móveis e dos acessórios da casa de banho, ds telemóveis e do comando da televisão. Se estiver a trabalhar em casa, desinfete também o tecado do computador e o rato, se estiver a trabalhar com um.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.