"O cancro da próstata é a segunda causa de morte por cancro no homem, atrás do cancro do pulmão, e é o cancro mais frequente nos homens acima dos 50 anos. A vigilância médica periódica é essencial para despistar o cancro da próstata, uma vez que este não apresenta sintomas numa fase inicial", alerta Rui Borges, médico urologista do Hospital Lusíadas Porto.

Apesar das causas exatas do cancro da próstata não serem ainda totalmente conhecidas, a ciência indica que o fator da hereditariedade, assim como idade e a descendência africana têm um grande peso na incidência da doença.

Estes são os sintomas de cancro mais ignorados pelos portugueses
Estes são os sintomas de cancro mais ignorados pelos portugueses
Ver artigo

"A vigilância médica periódica é essencial para despistar o cancro da próstata, sendo que esta doença pode começar por volta dos 45 anos nos doentes sem fatores de risco. A vigilância deve ser antecipada para os 40 anos de idade nos doentes de risco e consiste no exame do toque retal e no doseamento do PSA (o antigénio específico da próstata) no sangue", esclarece o urologista.

O tratamento

Em relação ao tratamento, o médico explica que "embora existam diferentes opções terapêuticas, a prostatectomia radical é o tratamento mais eficaz para o cancro da próstata localizado".

"Com o desenvolvimento tecnológico, esta cirurgia que era habitualmente efetuada por via aberta, pode atualmente ser executada por via laparoscópica e, mais recentemente, por via robótica, podendo diminuir assim as consequências associadas, nomeadamente a incontinência urinária e a disfunção eréctil", indica.

"Sabe-se também que apesar de ser a segunda causa de morte por cancro no homem, quando o cancro da próstata é detetado precocemente a possibilidade de cura ronda os 85%", conclui.

Esta patologia representa cerca de 3,5% de todas as mortes e mais de 10% das mortes por cancro em Portugal.

Conhece alguém com cancro? Faça-lhe um grande um favor e não diga isto
Conhece alguém com cancro? Faça-lhe um grande um favor e não diga isto
Ver artigo

De acordo com a Associação Europeia de Urologia, o cancro da próstata é um dos cancros mais frequentes, com mais de 417 mil novos casos e 92 mil mortes registadas por ano na Europa, sendo a terceira causa de morte nos homens no velho continente.

Um em cada sete homens desenvolve cancro da próstata e mais de dois milhões de homens vivem com esta doença na Europa. A incidência desta doença crónica aumentou significativamente nos últimos 20 anos e a maioria dos casos são diagnosticados aos 69 anos, mas não afeta os homens apenas desta idade. Atualmente, 10% dos novos diagnósticos nos Estados Unidos ocorrem em homens com menos de 55 anos.

Quais os sintomas do cancro da próstata?

Na maioria dos casos, os sintomas desta doença mortal não estão relacionados com um tumor maligno e podem ser provocados por tumores benignos (HBP) ou outros problemas de saúde. Só um médico poderá fazer o diagnóstico correto. No entanto, estes são os sinais e sintomas mais comuns:

  • Problemas urinários.
  • Incapacidade de urinar, ou dificuldade em iniciar ou parar o fluxo de urina.
  • Necessidade frequente de urinar, principalmente à noite.
  • Fluxo de urina fraco ou intermitente.
  • Dor ou ardor durante a micção.
  • Dificuldade em ter uma ereção.
  • Sangue na urina ou no sémen.
  • Dor frequente na zona inferior das costas, nas ancas ou na zona superior das coxas.

Estes são os sintomas de cancro mais ignorados pelos portugueses

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.