O café é uma das bebidas mais apreciadas em todo mundo, sendo a segunda bebida mais consumida. Em Portugal, cerca de 80% da população consome café diariamente e preferem fazê-lo na forma de "expresso".

De acordo com a Associação Industrial e Comercial do Café e a European Coffee Federation, em média, cada português bebe cerca de 2,5 chávenas por dia, o que representa um consumo médio de 5 kg de café, por pessoa por ano.

Nutricionalmente, o café é composto por vitaminas do complexo B, potássio, fósforo, magnésio e antioxidantes, sendo praticamente isento de calorias (2-5 kcal por chávena de café).  De acordo com a evidência científica, o grão de café torrado parece possuir mais de 2000 compostos químicos, alguns destes com atividades biológicas conhecidas (adversas e/ou benéficas). Deste modo, os efeitos do consumo de café irão depender da qualidade e quantidade dos compostos químicos ingeridos. 

A Food and Drug Administration - a agência federal do Departamento de Saúde e Serviços Humanos dos Estados Unidos - considera a ingestão de 300mg de cafeína (cerca de 3 cafés) por dia segura em adultos saudáveis.

A ingestão moderada de café (1-3 chávenas por dia) não apresenta risco para a saúde, podendo até ter um efeito protetor para várias doenças, entre as quais: redução do risco de doença cardiovascular; redução do risco de desenvolvimento de Diabetes Mellitus tipo 2; pode ajudar a manter as funções cognitivas no envelhecimento, reduzindo o risco de doença de Alzheimer e Parkinson; diminuição da sensação de fadiga e sonolência; afeta positivamente a sensação de bem-estar, relaxamento e boa disposição.

Contudo, para algumas pessoas parece ter impacto a nível do trânsito gastrointestinal, mas porque é que isto acontece?

A verdade é que a evidência científica relativamente a esta relação não é extensa, mas parece estar relacionado com o facto de o café estimular a motilidade intestinal. Este efeito laxante não está relacionado apenas com cafeína, pois até os descafeinados têm efeitos semelhantes. Este efeito poderá ser devido ao aumento do ácido cloragénico, que é um composto que estimula o aumento da motilidade intestinal e dos movimentos peristálticos.

O café parece contribuir para o chamado “reflexo gastrocólico”, um reflexo natural após a ingestão de alimentos e/ou bebidas, que estimula a função intestinal. Este efeito poderá estar associado ou à possível estimulação da produção de certas hormonas gástricas, que também estimulam o intestino e induzem este fenómeno, ou à estimulação do sistema nervoso.

Um artigo da nutricionista Joana Bernardo, da Clínica Fisiogaspar.

Veja ainda: Os 20 efeitos secundários do excesso de cafeína

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.