À medida que os anos passam, o nosso organismo oxida. Trata-se de um processo natural do organismo. No entanto, os seus efeitos podem ser abrandados com uma alimentação cuidada, rica em fontes antioxidantes.

Os minerais, neste caso, oligoelementos, não actuam directamente, mas são necessários à produção de enzimas antioxidantes, essenciais no combate ao processo de oxidação.

É o caso da enzima superóxido desmutase, que tem elevado poder antioxidante, mas cuja produção por parte do organismo depende da existência dos seguintes minerais:

Selénio

É um mineral que, juntamente com a vitamina E e a enzima peroxidase, é capaz de evitar a formação de radicais livres. A função do selénio é actuar sobre as células e as membranas celulares evitando este mesmo processo. Desta forma, reduz-se o risco de desenvolver doenças coronárias e inflamatórias bem como tumores na pele, fígado, cólon e mama. A sua eficácia é aumentada mediante a presença das vitamina A, C e E.

Está presente em... Gérmen de trigo, alho e arroz integral, marisco, peixe, fígado de vaca, lacticínios, verduras, cebola, cogumelos e espargos.

Zinco

Potencia a acção antioxidante das vitaminas e enzimas (como o superóxido desmutase). É de extrema importância, por exemplo, para o organismo masculino devido à sua capacidade de favorecer a formação de ADN, sendo um mineral essencial para manutenção da fertilidade e da saúde genital masculina.

Está presente em... Amêndoas, nozes, avelãs, trigo integral, feijão, ervilhas, peixe, gema de ovo, salsa, fígado, enchidos, ostras, marisco, sardinhas, algas, legumes, cogumelos, cebola, alho, feijão verde e pevides.

Manganês

Tal como o zinco, participa no complexo enzimático superóxido desmutase, aumentando a capacidade antioxidante interna no organismo. Melhora a eficácia das vitaminas C e do complexo B. Tem efeitos anti-inflamatórios, benéficos em casos de tendinite, entorse, dores menstruais e artrite reumatóide.

Está presente em... Nozes, cereais integrais, sementes de girassol e de sésamo, farelo e gérmen de trigo, gema de ovo, leguminosas, hortaliça de folha verde e chá.

Cobre

Também actua enquanto co-factor da enzima superóxido desmutase, tendo um papel antioxidante por proteger as células dos efeitos tóxicos dos radicais livres. Participa na formação de enzimas, proteínas e neurotransmissores cerebrais, facilitando a fixação de cálcio e de fósforo.

Está presente em... Frango, peru, peixe, marisco, ostras, moluscos, vísceras (fígado, cérebro, rins...), cereais integrais, verduras e hortaliças (batata, cogumelos...), sementes, nozes e outro frutos secos, legumes e água potável.

Os minerais têm um forte poder antioxidante, mas não são os únicos. As vitaminas e os polifenóis são outros nutrientes que também podem ajudá-lo
a combater o processo de oxidação. Para ficar a saber porque oxidamos,
clique aqui.

Texto: Ana Catarina Alberto com Pedro Lôbo do Vale (médico de clínica geral e docente no mestrado de Nutrição, na Faculdade de Medicina de Lisboa)

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.