Segundo a Norma Portuguesa 3293 de 2008, o gelado é o "género alimentício obtido por congelação, mantido nesse estado até ao momento de ser ingerido pelo consumidor, em cuja composição podem entrar todos os ingredientes alimentares, bem como os aditivos previstos pela legislação em vigor:

– Mistura de matérias gordas e substâncias proteicas com ou sem adição de outros ingredientes alimentares;
– Mistura de água, açúcar e outros ingredientes alimentares".

Quais os ingredientes que podem constituir os gelados alimentares?

– Leite ou outros produtos lácteos;
– Gorduras de origem animal e vegetal ou ambas;
– Proteínas lácteas (ex: caseína, caseinato, soro de leite…) e proteínas não lácteas (ex: vegetais, do ovo, gelatina…) ou ambas;
– Açúcar (ex: sacarose, dextrose, frutose…);
– Água.
Os gelados podem ainda conter:
– Mel;
– Ovos;
– Frutos (ex: frescos, congelados, em pó, polpa…);
– Frutos secos;
– Cacau e chocolate;
– Café, extrato ou pó;
– Chá e extrato.

Quais os tipos de gelados disponíveis no mercado?

Gelado de água – Constituído principalmente por água e açúcares;
Gelado – Emulsão composta por água e/ou leite, gorduras alimentares, proteínas e açúcares;
Gelado de leite – Contém pelo menos 2.5% de gordura láctea e pelo menos 5% de extrato seco desengordurado do leite com exclusão de todas as gorduras e/ou proteínas não lácteas;
Gelado de nata – Contém pelo menos 5% gordura láctea com exclusão das gorduras e/ou proteínas não lácteas;
Gelado de fruta – Em conformidade com a definição de gelado de água e contém no mínimo 15% de frutos (exceções: 10% para citrinos e frutos exóticos e 5% para frutos com casca e suas preparações);
Sorvete – Gelado de fruta ao qual não é adicionada qualquer gordura e contém no mínimo 25% de frutos (exceções: 15% para citrinos e frutos exóticos e 10% para frutos com casca e suas preparações).

Podemos ainda encontrar:

Granizado – Gelado de água, gelado de fruta e sorvete que se encontram nos seu estado semi-sólido;
Sobremesa gelada – Sobremesa com gelado alimentar decorada com géneros alimentícios;
Semi-frio – Gelado alimentar definido como qualquer um dos anteriores, conservado a uma temperatura de -10ºC.

Qual o valor nutricional dos gelados?

Os gelados são, por norma, muito ricos em açúcar. Se tiverem na sua constituição leite ou natas, possuem um elevado teor proteico. Quanto ao teor em lípidos (gordura), é bastante variável, por exemplo se for um gelado de água pode ter apenas 0,5g de gordura por 100mL, contudo se tiver leite ou natas na sua constituição o teor poderá ser muito superior, atingindo mais de 50% do valor calórico total. Além disso, importa referir que a gordura é maioritariamente saturada, isto é, gordura não saudável.

Quais devemos preferir?

  • Os gelados de água são normalmente pouco calóricos (cerca de 90kcal por gelado);
  • Os gelados de leite de tamanho pequeno são geralmente menos calóricos (cerca de 65kcal por gelado);
  • Gelados que contenham natas, caramelo, chocolate, frutos secos (amêndoa, amendoim, etc.) ou bolacha têm sempre maior teor calórico (>120kcal por gelado);
  • Se preferir por exemplo um gelado com natas, chocolate e caramelo pode ter cerca de 330kcal por dose. Um gelado com natas, chocolate a amêndoas 280kcal por dose;
  • O gelado light poderá ser uma ótima opção. Este apresenta uma redução de 30% de determinado nutriente, quando comparado com o original. Atenção que a redução poderá ser ao nível do açúcar ou da gordura, contudo não significa que o gelado não tenha açúcar ou gordura na sua constituição;
  • Os sorvetes são, por norma, uma opção menos calórica, por serem constituídos por fruta. Atenção que os sorvetes são isentos de gordura, mas têm açúcar na sua constituição;
  • Sempre que possível, opte por comprar gelados em dose individual, para controlar de forma mais fácil a quantidade que consome;
  • Opte por gelados de bola, nos quais pode controlar a quantidade que vai ingerir. Prefira um sabor sem caramelo, chocolate, frutos secos (amêndoa, amendoim) ou bolacha. Opte por exemplo por um gelado à base de fruta;
  • Sempre que pedir um gelado de bola, peça-o em copo, em vez de cone.

Alternativas mais saudáveis

Porque não, optar por confeccionar um gelado saudável em casa? Pode optar por utilizar uma liquidificadora, varinha mágica ou outro robot de cozinha e triturar uma porção de fruta do seu agrado (frutos vermelhos, melancia, manga, limão…), colocar a restante porção de água, leite ou iogurte magro, misturar bem e colocar em formas individuais para gelados no congelador. Espere algum tempo e terá um gelado pronto a consumir e com inúmeras vantagens:

– Produzido em casa, mais económico;
– Sem adição de açúcar ou gordura extra;
– Baixo valor calórico.

Pode ainda optar por misturar várias frutas num mesmo gelado, por exemplo kiwi e morango ou manga e laranja, etc. Faça os gelados que mais gostar e delicie-se com poucas calorias!

Conselho da nutricionista

O consumo de gelados pode fazer parte da nossa alimentação, contudo deverá constituir a exceção e não a regra. Se compararmos a quantidade de gordura de um gelado com um iogurte, um gelado pode ter dez vezes mais gordura. O consumo de gelados deverá ser feito de forma moderada, por exemplo uma a duas vezes por semana, e sempre com a consulta atenta do rótulo nutricional, optando por gelados com menor teor calórico, de açúcares e gordura. Opte por produzi-los em casa ou selecione por exemplo os sorvetes, que são gelados à base de fruta, sem adição de gordura.

Por Joana Bernardo, Nutricionista

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.