A Sociedade Americana do Cancro calcula que um terço das mortes causadas por esta doença estão directamente relacionadas com factores associados ao estilo de vida dos dias de hoje.

Um deles prende-se com a alimentação, cada vez mais parca em legumes e vegetais frescos e fruta.

Damos-lhe a conhecer, neste artigo, muitos dos alimentos que podem ajudar a melhorá-la de forma a prevenir o cancro:

Alhos e cebolas

Graças ao selénio e sulfetos alílicos que contêm, possuem propriedades inibidoras do cancro e bactericidas.

Chá verde e frutos silvestres

Ricos em taninos, antioxidantes potentes. Estão presentes em framboesas, arandos, amoras, groselhas, chá verde e também vinho tinto e chocolate preto.

Propólis

Esta substância resinosa fabricada pelas abelhas é antibacteriana e uma ajuda contra o cancro, já que reforça o sistema imunológico.

Iogurte

As suas bactérias acido-lácticas protegem a flora intestinal, reforçam o sistema  imunitário e podem prevenir o reaparecimento de tumores gastrointestinais.

Fruta

As laranjas, os limões, as toranjas e outros citrinos contêm limonóides e terpenos, que favorecem as enzimas anticancro. «Para além disso, são antioxidantes potentes, sobretudo por causa da vitamina C que contêm», acrescenta Tiago Osório de Barros, nutricionista na Dermonutri – Espaço Saúde e Qualidade de Vida.

Cereais integrais e sementes

Os grãos integrais, as sementes, os frutos secos e a gema de ovo são excelentes fontes de vitamina E, um grande antioxidante.

Gengibre

Previne as náuseas em doentes submetidos a quimioterapia e é benéfico no combate ao cancro da pele.

Curcuma

Esta
planta, de onde se extrai o caril, é útil no tratamento do cancro da
pele. Há  esperanças de que seja também útil no cancro do pâncreas.

Leguminosas

Contêm vitaminas C, E e carotenóides, que podem proteger de diferentes tipos de cancro, especialmente do estômago e cólon.

Couves

As
couves-de-bruxelas, de folha e frisadas são ricas em fibras e antioxidantes,
«especialmente as de cor mais escura», especifica o nutricionista. Os
brócolos são ricos em sulforafano, que pode ser eficaz contra o cancro
do estômago.

Azeite

Estudos recentes confirmaram os benefícios do azeite na prevenção e tratamento do cancro da mama.

Soja

O tofu e outros derivados de soja e leguminosas contêm protease, uma substância química natural que inibe o crescimento tumoral.

Os alimentos que deve ingerir com moderação:

Carnes vermelhas (vitela, borrego e porco)

Limite
a sua ingestão a menos de 80 gramas diários. Sempre que puder,
substitua por peixe ou frango. As calorias contidas na carne não devem
exceder os 10 por cento do conteúdo calórico total.

Favorecem o risco de cancro de pâncreas, próstata, mama, rins e
colo-rectal.

Alimentos gordos

O
consumo de gorduras deve representar menos de 30 por cento do aporte calórico
total. As gorduras saturadas não devem ultrapassar os 10 por cento das calorias
totais. As poli-insaturadas têm de ser inferiores a 6 por cento. Favorecem o
risco de cancro de pulmão, mama, endométrio e próstata; também potenciam
o colo-rectal.

Alimentos chamuscados

Coma carne
cozinhada no churrasco apenas de vez em quando e evite as partes mais
queimadas. Este tipo de cocção produz aminas aromáticas que podem ser
carcinogénicas. Favorecem o risco de cancro de estômago e colo-rectal.

Alimentos curados ou fumados

Contêm
nitrosaminas, substâncias carcinogénicas. Também não abuse das
salsichas e óleo de coco. Estas contêm hidrocarburos aromáticos, que provocam
tumores. Favorecem o risco de todos os tipos de cancro.

Os suplementos ajudam?

Se
seguir à risca as recomendações alimentares mencionadas não é
necessário tomar suplementos vitamínicos. Aliás, não existe ainda
nenhuma evidência científica que demonstre que as vitaminas, tomadas em
suplementos, reduzam o risco de desenvolver cancro.

O efeito dos
suplementos vitamínicos é menor do que o das vitaminas e minerais
obtidos pelos alimentos, uma vez que, e tal como explica Tiago Osório de
Barros, «estão menos bioassimiláveis pelo organismo nesta forma». E o
mais importante, não modificam os hábitos alimentares que devemos
adoptar em benefício da nossa saúde, especialmente, na luta contra o
cancro.

No entanto, as pessoas cujas dietas, por motivos de saúde, hábitos (vegetarianos convictos)  não lhes assegurem os nutrientes suficientes, devem recorrer a suplementos alimentares.

Texto: Madalena Alçada Baptista com Tiago Osório de Baros (nutricionista na Dermonutri – Espaço Saúde e Qualidade de Vida)