"A mensagem é alarmista e até seria bom motivo para rir, não fosse o risco de haver quem esteja disponível para acreditar nela", começa por dizer a DECO numa nota informativa agora divulgada.

Um falso comunicado disseminado pelas redes sociais em nome do Hospital de Santa Maria (Lisboa) refere "como usar a aspirina no ataque cardíaco, em caso de emergência" e enumera "sinais" deste problema, dizendo, com algum humor involuntário, que "60% das pessoas que tiveram um ataque cardíaco enquanto dormiam já não se levantaram".

"Porém, a dor no peito pode acordá-lo de um sono profundo. Se assim for, dissolva imediatamente duas aspirinas na boca e engula-as com um pouco de água", lê-se nessa publicação falsa.

Tomar aspirina em caso de ataque cardíaco
Reprodução do comunicado falso partilhado nas redes sociais

A Associação Portuguesa de Defesa do Consumidor (DECO) informa que o comunicado é falso e aponta sinais que podem ajudar os internautas a identificar este tipo de desinformação online: "A falta do logótipo do hospital no cabeçalho e a linguagem demasiado apelativa são sinais de alerta".

Existem vários sintomas no enfarte agudo do miocárdio: além da dor, que normalmente deriva para o braço, a respiração torna-se irregular e rápida, bem como o ritmo cardíaco. Ocorrem ainda tonturas, fraqueza, náuseas e vómitos, sudação e sensação de pânico.

Em caso de suspeita, deve sempre ligar para o 112, descrever os sintomas e aguardar por indicações. "Esqueça as aspirinas: apague a mensagem e não a partilhe", sugere a DECO.

Todos os anos, mais de 4.000 portugueses morrem de ataque cardíaco. Falámos com o médico e professor João Morais, presidente da Sociedade Portuguesa de Cardiologia, para saber como identificar e como reagir perante um enfarte agudo do miocárdio:

Quais são as principais causas do Enfarte Agudo do Miocárdio?

O enfarte do miocárdio, na esmagadora maioria dos casos, resulta da oclusão de uma artéria coronária, habitualmente provocada pela formação de um coágulo, que desse modo vai impedir o normal fluxo de sangue. Este fenómeno tem origem na chamada arteriosclerose, processo que leva a uma progressiva alteração da qualidade das artérias, tornando-as mais finas e rígidas, podendo desse modo ocluir.

Quem são as pessoas mais afetadas?

Em termos gerais, podemos dizer que o enfarte do miocárdio é mais frequente nos homens do que nas mulheres, nos idosos que nos novos. Contudo há fatores que, quando presentes, aumentam significativamente a probabilidade desta ocorrência, designadamente a presença de diabetes mellitus, colesterol elevado e hábitos tabágicos. Qualquer uma destas situações contribui para o envelhecimento das nossas artérias, facilitando o evento agudo.

Médico e professor João Morais, presidente da Sociedade Portuguesa de Cardiologia.
Médico e professor João Morais, presidente da Sociedade Portuguesa de Cardiologia créditos: Nuno Coimbra/SPC

Como se manifesta?

Quando surge de forma típica, o enfarte do miocárdio, manifesta-se pelo aparecimento súbito de uma for intensa no centro do peito, dor esta que pode se assemelhar a um esmagamento que, por vezes, pode irradiar para o braço esquerdo e por vezes para o maxilar. Frequentemente, o episódio doloroso irradia para o braço esquerdo, acompanha-se ainda de sudação intensa e por vezes sensação de desmaio.

O enfarte do miocárdio leva à perda do músculo cardíaco, perda esta que será tanto maior quanto mais demorada for a instituição do tratamento

Como se previne?  

O enfarte é um fenómeno de ocorrência súbita, por vezes com uma base genética e cuja ocorrência não se pode prever. Assim, a sua prevenção está focada no controlo dos chamados fatores de risco que, desta forma, podem diminuir o risco de ocorrência de enfarte. Por outras palavras, o enfarte previne-se reduzindo as condições das artérias que facilitam a sua ocorrência. Nos doentes em que a doença já é conhecida e as lesões das artérias já identificadas, o enfarte previne-se tratando essas lesões, seja através da cirurgia de bypass, seja através da chamada angioplastia coronária.

O que fazer se alguém estiver com sintomas de um Enfarte Agudo do Miocárdio?

A melhor ajuda que se pode dispensar será colocar rapidamente a vítima no local certo para ser tratada. Assim, é crucial que, na suspeita de um enfarte do miocárdio, se contacte de imediato o Instituto Nacional de Emergência Médica (112). O profissional que vai atender o telefone dará instruções simples e enviará uma viatura de emergência, com médico, o qual prestará os primeiros cuidados, e acima de tudo enviará o doente para o local ideal para tratamento.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.