Em 2017, 46 jovens com idades entre os 12 e os 24 anos atentaram contra a própria vida, mais 15 do que no ano anterior, ou seja, um aumento de 48%.

A taxa de mortalidade por suicídio atingiu assim o valor mais alto da última década, noticia esta quinta-feira, Dia Mundial da Saúde Mental, o "Jornal de Notícias".

Como reagir?

Em caso de ideação suicida ou se conhecer alguém em risco, procure um médico.

Em caso de emergência, ligue para o 112.

Mais contactos

Centro SOS-Voz Amiga (diariamente das 16h00 às 24hoo)

- 21 354 45 45

- 91 280 26 69

- 96 352 46 60

Linha Telefone Amigo (todos os dias das 17hoo à 01h00)

239 72 10 10

Linha Telefone Amizade (de segunda a quinta-feira das 16h00 à 01h00; sexta-feira e sábado das 19h00 às 21h00 horas)

- 800 205 535

Foram 4,1 óbitos por lesões autoprovocadas intencionalmente por cada 100 mil habitantes, precisamente a mesma taxa registada em 2009. Se somarmos uma taxa de 0,1 na faixa etária dos 5 aos 14 anos, esta será a mais alta taxa entre 2017 e 2007, de acordo com os dados mais recentes do Instituto Nacional de Estatística (INE).

Ao Jornal de Notícias, especialistas pedem cautela na leitura dos números e alertam para a urgência de uma maior resposta na área da saúde mental infantil e juvenil.

"Comentários à incidência de suicídio têm de ter em conta que os números absolutos são sempre pequenos", frisou Fausto Amaro, presidente da Sociedade Portuguesa de Suicidologia.

As causas "são múltiplas, numa idade em que há mais probabilidade de incerteza, insegurança", diz.

São as pessoas mais próximas do indivíduo, como familiares e amigos, que têm um papel fulcral na identificação de sinais indicadores da presença de fatores de risco para comportamentos suicidários.

Homens em maior risco

Dos 46 jovens que morreram em 2017, 75% eram rapazes, um dado que vai ao encontro da literatura científica que indica que existe uma maior probabilidade de suicídio por parte do homem. Essa probabilidade é três vezes superior à da mulher.

10 alimentos que ajudam a livrar-se da depressão
10 alimentos que ajudam a livrar-se da depressão
Ver artigo

A morte auto-infligida é responsável por cerca de 800 mil perdas de vidas humanas a cada ano em todo o mundo, ou seja, o suicídio mata mais do que o cancro da mama, a malária, a guerra ou os homicídios.

Segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), nos últimos anos o suicídio tem aumentado entre os mais jovens, sendo que na faixa etária entre os 15 e os 29 anos esta é, a seguir aos acidentes rodoviários, a segunda principal causa de morte.

Quando analisada a faixa de jovens até aos 19 anos, o suicídio passa a surgir em terceiro lugar nas causas de morte, após os acidentes de viação e apenas ligeiramente abaixo das mortes causadas por violência interpessoal.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.