O mais recente falecimento ocorreu na província de Sichuan (sudoeste do país). A região de Hubei, epicentro da epidemia, também registou 1.032 novos casos confirmados, além de outros 700 casos positivos no resto da China. Nesta altura, não há nenhuma região na China sem casos relatados da doença.

O número total de pessoas infetadas até agora é de cerca de 7.700, superando assim a quantidade de contaminados pela Síndrome Respiratória Aguda Grave (SARS) em 2002-2003.

FACTCHECK: Novo coronavírus e uma epidemia mundial de informações falsas
FACTCHECK: Novo coronavírus e uma epidemia mundial de informações falsas
Ver artigo

Na quarta-feira, a Organização Mundial da Saúde (OMS) pediu ao "mundo inteiro para agir" na luta contra o novo coronavírus, enquanto vários países retiraram os seus cidadãos da cidade de Wuhan, onde a nova epidemia surgiu.

O Comité de Emergência da Organização Mundial de Saúde (OMS) reúne-se hoje em Genebra para avaliar se o surto do novo coronavírus, com origem na China, deve ser declarado emergência de saúde pública internacional.

O diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, justificou a convocação, de novo, do Comité de Emergência com o “risco de propagação mundial” do coronavírus (família de vírus que causa pneumonia).

Europeus repatriados nas próximas horas

A companhia aérea portuguesa Hi Fly vai iniciar, esta quinta-feira, o repatriamento de cidadãos europeus desde Wuhan, a cidade chinesa onde surgiu o novo coronavírus.

De acordo com o Jornal de Notícias, “a portuguesa Hi Fly foi fretada para fazer o resgate de cidadãos europeus em território chinês”, acrescentando que o primeiro voo “sai do aeroporto de Beja às 10:00” de quinta-feira e deverá aterrar no Vietname.

Na quinta-feira, o Ministério da Saúde do Japão informou que três dos 206 cidadãos japoneses que foram retirados esta quarta-feira da cidade de Wuhan foram diagnosticados com o novo coronavírus.

Além da China, já foram registados casos em mais 17 países, sendo os mais recentes a Finlândia e os Emirados Árabes Unidos.

As companhias aéreas de vários países suspenderam ou reduziram drasticamente seus serviços de chegada e partida da China.

Iberia, British Airways Lufthansa e a indonésia Lion Air, entre outras, anunciaram a suspensão de todos os seus voos para a China continental.

Já a Rússia limitará as suas conexões ferroviárias com a China a partir de 31 de janeiro e manterá apenas em serviço a linha Pequim-Moscovo.

Veja a cronologia da expansão do vírus em imagens:

Veja o vídeo: O que é um coronavírus?

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.